Home > Gestão

Vai fazer uma apresentação on-line? Fique atento a 3 pontos importantes para não falhar

Apresentações on-line têm requisitos exclusivos para o sucesso. Aqui estão três coisas importantes a serem lembradas ao preparar e fazer uma

Theodore May, CIO (EUA)

24/03/2020 às 12h02

Foto: Shutterstock

As apresentações online eram a exceção e não a regra para a maioria das apresentações de negócios. Mas desde a semana passada devido ao avanço da covid-19, quase todos os profissionais de negócios passaram a trabalhar de maneira remota, pelo menos em parte do tempo e, estarão ainda mais suscetíveis a serem chamados a criar e realizar apresentações por meio de uma videoconferência on-line.

A principal virtude de uma apresentação virtual é a capacidade de atingir um público mais amplo. Mas é um erro comum pensar no conteúdo e no desempenho de uma apresentação virtual como uma apresentação "tradicional".

As apresentações são mais adequadas para o conteúdo focado em ideias de fácil acesso e implementação direta, como operações diárias e pequenas mudanças táticas. Vale ressaltar também que os aspectos virtuais da apresentação afetam o desempenho de maneiras sutis, mas profundas.

Bem-vindo ao multiverso

Uma apresentação virtual acontece em muitos espaços. É uma colcha de retalhos de espaços únicos ocupados pelo apresentador e cada membro da plateia. Pode soar óbvio, mas as pessoas só podem entrar nessa rede virtual de espaços se tiverem acesso a uma plataforma de tecnologia comum. Mas os dispositivos, conectividade, e o ambiente de cada membro da audiência não são comuns. Cada dispositivo, conexão e ambiente variam muito em termos da experiência que oferecem e, portanto, cada membro do público terá uma experiência única da apresentação.

CIO2503

E-book por:

O apresentador está, de fato, criando janelas para os diversos universos ocupados por cada membro da plateia. O objetivo é ir além - “Todos podem me ouvir? Todo mundo vê minha área de trabalho?” - para capturar a atenção de cada membro da audiência e atraí-los através dessa janela. Essa é a obrigação do apresentador.

O apresentador deve ir além da logística de acesso: iniciar um aplicativo, fazer login, navegação, ativar seu microfone (e / ou câmera) etc., para saber como usar a tecnologia como um meio de comunicação eficaz. É como você aplica a tecnologia para romper o ruído em todos os espaços remotos que são essenciais. O apresentador, portanto, não pode assumir ambientes pacíficos e organizados. Afinal, aqui não se terá todo o controle: de quem é o cachorro latindo ao fundo?

É difícil para o apresentador se apropriar de espaços como este. Mas com o domínio da tecnologia começamos a tomar posse desse espaço. É o uso habilidoso dessa tecnologia que demonstra nossa competência administrativa.

É tudo sobre a voz

Pode ser contra intuitivo com todas as opções de videoconferência móvel agora disponíveis, mas a voz continua sendo o meio de comunicação mais importante em uma apresentação virtual.

É fácil para o apresentador olhar para os slides que aparecem na área de trabalho e esquecer que há um público presente. Eles podem ouvir a si mesmos zumbindo casualmente como se estivessem ao telefone. Mas você deve se lembrar que: a) existe uma audiência presente; e b) não é uma audiência cativa.

Não tome como garantido que o público está prestando totalmente atenção, que só porque você começa a falar, eles estarão prestando atenção em você. Você deve atrair e prender a atenção deles. Você não pode depender de slides estáticos para fazer isso ou depender do baixo valor de qualidade e informação das imagens de todos os outros participantes.

A maioria dos executivos de negócios não é treinada para usar suas vozes de maneira eficaz em ambientes de transmissão para sustentar o interesse do público. O ritmo, a articulação, a variedade vocal e a dinâmica, e o uso estratégico das pausas, tornam-se de extrema importância. Ouvir é tão importante quanto falar.

Uma apresentação virtual é como uma transmissão de rádio ou um podcast. Queremos imprimir ideias nas mentes da plateia. E fazemos isso com o uso intencional de nossas vozes.

Mais detalhes, menos ideias

A maioria dos slides de uma apresentação virtual é uma experiência de dois minutos para o apresentador e o público. Isso deve permitir grandes detalhes em nossos slides, mas nem todas as telas são iguais. Alguns membros da plateia estão seguindo em um laptop ou notebook. Alguns estão em tablets ou celulares, que tornam as planilhas quase indecifráveis.

A natureza bidimensional plana da experiência na tela é menos visualmente atraente do que a tela grande de uma apresentação clássica e, sem valores de produção super altos, é mais difícil sustentar o foco e a atenção por parte do público.

A ausência de modelagem de comportamento por parte do apresentador e dos membros da plateia participantes (que não podem se observar facilmente além das miniatura na tela) suprime ainda mais a coesão, o envolvimento e a resposta da plateia.

A solução simples é mantê-la breve. Não há problema em obter mais detalhes de cada slide, desde que você destaque o público-alvo, reduza o número e a complexidade das ideias que você está apresentando e concentre-se nas transições dinâmicas de um slide para o outro.

As apresentações virtuais bem-sucedidas geralmente são aquelas que:

  • Fazem uso efetivo do meio, cortando o ruído para capturar a atenção de um público amplo em espaços distantes;
  • Caracterizam uma voz forte com um senso de urgência;
  • São compactas em foco e de curta duração.

É difícil estimular o senso de comprometimento de uma plateia e mobilizar ações com uma apresentação virtual, mesmo em momentos urgentes: o afastamento pode levar à percepção de um comprometimento menor por parte do apresentador. Mas criar e entregar apresentações on-line bem-sucedidas é algo que todos precisaremos fazer, e será mais fácil para todos se você começar a se lembrar dessas três coisas.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail