Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Salvar Escolher Pasta
Transformação digital exige ousadia e pensamento inquieto
Home > Carreira

Transformação digital exige ousadia e pensamento inquieto

Para Francis Ribeiro Scherer, gerente de TI da Sulgás, agenda de transformação agrega valor não só às empresas, mas também à cultura dos colaboradores

Carla Matsu

23/07/2020 às 14h26

Foto: Divulgação

Para Francis Ribeiro Scherer, gerente de TI da Sulgás, Companhia de Gás do Estado do Rio Grande do Sul, a transformação digital exige certa ousadia e um pensamento inquieto. Afinal, para entregá-la é preciso desafiar não só a si mesmo como as equipes responsáveis e de outras áreas da organização. “Quando começamos, ouvíamos ‘ah, mas é muito complexo’, ‘podemos ter problemas de integração’, ‘será que vão usar?’. Seguimos adiante mesmo assim”, lembra o executivo em entrevista ao IT Forum 365. sobre o desdobramento dos projetos do portal do cliente da Sulgás e do aplicativo móvel que deram à Scherer o Prêmio Executivo de TI do Ano 2020, na Categoria Utilities.

Aos 37 anos, formado em Ciência da Computação e com pós-graduação em Gerenciamento de Projetos, o gaúcho fez carreira na Sulgás, onde entrou em 2013 por meio de concurso público para a posição de Analista de Sistemas. Três anos depois foi convidado para assumir a gerência de TI.

A vocação do trabalho mudou drasticamente. Se antes possuía uma função mais operacional, Scherer agora precisava assumir uma posição mais estratégica e, claro, de liderança. “Quando fui convidado [para a posição de gerente] pelo então diretor na época, falei que o meu principal desafio não era o técnico e sim o de pessoas. Engajar equipes. Quando assumi, recebi a missão de gerenciar pessoas que já estavam há mais de 10 anos na empresa. Foi um grande desafio. Mas é um trabalho de área e um desafio cíclico que temos conseguido entregar”, destaca.

Na Sulgás, empresa de economia mista, com investimentos públicos e privados, a transformação digital tem, segundo Scherer, conquistado grandes resultados do ponto de vista não só de clientes, como também do engajamento entre as equipes.

CIO2503

E-book por:

A TI assume, então, participação no planejamento estratégico. “Temos envolvimento em projetos chaves, um comitê interno da TI para discutir as principais ações. A cartilha da transformação digital é amplamente discutida e não se restringe ao projeto inscrito [no prêmio Executivo de TI], mas vários outros que estamos inseridos”, explica Scherer.

Automação e agilidade

Durante cerca de um ano e meio, Scherer e sua equipe se debruçou sobre o desenvolvimento do portal de clientes e de um aplicativo móvel. A exemplo de como as grandes operadoras e concessionárias de energia oferecem um portal que concentra informações para os consumidores, a Sulgás tinha em mente um portal que pudesse agilizar o atendimento tanto na ponta final quanto na rotina de colaboradores. A ideia, explica Scherer, era desenvolver mecanismos e recursos de software para descentralizar atividades até então realizadas internamente pela área de contabilidade, finanças e as áreas comerciais.

“Até aquele momento de concepção do portal, a gente tinha um grande esforço de pessoas envolvidas em atendimento ao cliente para lidar com coisas como segunda via de boletos, emissão de nota fiscal. Como o número de clientes vem aumentando, essa atividade também vem escalando. Em reuniões internas chegamos a conclusão de que precisávamos ter um portal”, explica.

O produto final, então, cobrou o desenvolvimento de uma plataforma integrada com o sistema de Billing e CRM da companhia, disponibilizando por meio de acesso privado para os clientes da Sulgás informações cadastrais, contratuais e comerciais, de faturamento e pagamento. Entregando recursos de autosserviço para clientes, a TI, então conseguiu desonerar as equipes comerciais e financeiras.

Depois de entregar o portal, foi a vez de evoluir para o aplicativo para Android e iOS, o Sulgás Digital. O app é um espelho do portal web, porém há recursos móveis que conseguiram atrair maior tráfego, incluindo aí recursos para promover maior interação com os clientes do segmento veicular, no mercado de Gás Natural Veicular (GNV). É um segmento no qual a companhia tem destinado ações específicas e concentrando esforços para o crescimento. O lançamento do aplicativo veio para reforçar este propósito.

Um dos destaques fica para a integração com o Google Maps e Waze que permite ao usuário não só encontrar informações sobre os postos de combustíveis que oferecem o GNV, como traçar rotas até os mesmos. Há ainda informações de valores do gás natural praticado pelos postos e oficinas convertedoras. “Temos 80 mil veículos convertidos no estado, com o app damos apoio a este cliente. Isso está nos dando uma estratégia muito grande de divulgação”, destaca Scherer.

Trabalho em colaboração

Com um prazo apertado diante o desafio, o time de Scherer, que é enxuto, cinco pessoas no total, contou com o apoio de um fornecedor externo. “Eles dão um embasamento muito significativo e força de trabalho. Sem nossos parceiros e as empresas que apóiam, não teríamos condições de dar andamento aos projetos concomitantemente”, destaca o executivo.

Da mesma forma que outras companhias que veem a falta de mão de obra especializada uma das grandes lacunas para avançar projetos de digitalização, com a Sulgás, não tem sido diferente. Para Scherer, a tecnologia e projetos de automação vêm, então, para lidar com essa sombra. “Estamos aumentando o número de clientes. Projetos de transformação digital têm sido fundamentais para aumentar o dinamismo do negócio sem esbarrar na escassez de talentos”, pontua.

Inovação cobra liderança

Quando questionado sobre o seu protagonismo frente à inovação da Sulgás, Scherer responde com modéstia e afirma ser “mais um membro da engrenagem”. “A TI tem papel fundamental, a gente trabalha em parceria com outras áreas e diretoria, inclusive. A agenda de transformação digital foi discutida de forma mais ampla e fomentada com a diretoria que está inserida neste contexto. A diretoria dá apoio aos gerentes para fomentar esse tipo de análise e trabalhar com projetos de transformação digital”, reforça.

Para Scherer, os resultados obtidos com o projeto do portal e aplicativo são um demonstrativo palpável de como uma agenda de transformação pode agregar não só valor à empresa, como também à cultura dos colaboradores, engajados agora com um pensamento orientado à inovação. “O que eu falo para a minha equipe é que a gente precisa planejar e pensar bem as nossas ações e decisões. Mas ao mesmo tempo precisamos ter ousadia, sermos arrojados”, finaliza.

Tags
Vai um cookie?

A CIO usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Fechar anúncio

15