Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Salvar Escolher Pasta
Vivo e Esalq-USP criam ‘fazenda conectada’ no interior de São Paulo
Home > Tendências

Vivo e Esalq-USP criam ‘fazenda conectada’ no interior de São Paulo

Projeto viabilizou por meio de rede 4G sistema de irrigação automatizado

Da Redação

14/10/2019 às 18h29

Foto: Shutterstock

A Vivo Empresas, segmento corporativo da Telefônica Brasil, e a Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq-USP) apresentaram nesta segunda-feira (14) o projeto de “Fazenda Conectada”, na cidade de Piracicaba, interior do Estado de São Paulo. Em uma área de 100 mil m², a Vivo viabilizou por meio de uma rede 4G aliada a uma solução de estação meteorológica da Ativa Soluções a conectividade de 100% do sistema de irrigação da fazenda da Esalq.

A área já contava com sistema de irrigação, com um pivô central para cultivo de milho, cana-de-açúcar e soja além de um instrumento utilizado na medição da evapotranspiração, chamado de lisímetro. No entanto, agora a estação meteorológica foi atualizada para entregar o potencial da Internet das Coisas (IoT), podendo fazer a coleta de dados essenciais como indicadores atmosféricos da região em tempo real.

“Neste processo, a conectividade da estação meteorológica torna-se essencial. Caso o lisímetro indique que a água facilmente disponível no solo esteja no final, isso associado a uma previsão de tempo seco, automaticamente o pivô central será acionado para liberar exatamente a quantidade de água necessária para aquela cultura”, explica Diego Aguiar, Head de Marketing e Produtos IoT/Big Data B2B da Vivo.

“O projeto é pioneiro no País por se tratar de um sistema de irrigação 100% conectado, com benefícios diretos na operação, como a redução de falhas decorrentes de erros humanos, o aumento de produtividade – já que o cultivo está sempre em condições ideais de água no solo –, a redução de custos e, ao otimizar o consumo de água e energia, a diminuição de impactos ambientais”, acrescenta Aguiar.

A solução oferecida pela startup Ativa é dedicada à coleta, armazenamento, processamento e transmissão de dados de todos os sensores conectados à estação, podendo medir chuva, velocidade e direção do vento, radiação solar, temperatura e umidade relativa do ar, umidade do solo, e pressão atmosférica. O nível de vazão de rios e lagos, além de qualidade do ar e da água também podem ser medidos por esse tipo de estação.

Segundo a Vivo, os agricultores do local terão acesso às informações oferecidas pelo sistema em tempo real. A expectativa é que a tecnologia possa aumentar a produtividade da fazenda.

 

Vai um cookie?

A CIO usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Fechar anúncio

15