Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Salvar Escolher Pasta
TI bimodal é uma das tendências para 2015, segundo o Gartner
Home > Tendências

TI bimodal é uma das tendências para 2015, segundo o Gartner

Formada pela “TI de classe empresarial” e pela “TI oportunista” ela deverá suportar um ambiente de negócios evolutivo, mas também ágil e flexível

Da Redação, com IDG News Service

08/10/2014 às 9h08

Foto:

CIOs devem trabalhar com executivos de negócios e com o CFO a fim de garantir que a contribuição crítica de TI seja incorporada desde cedo no planejamento estratégico e nos processos de planejamento de orçamento das corporações, defende o Gartner, que recomenda fortemente a criação de uma área de TI “bimodal”, composta por uma, a “TI de classe empresarial”, responsável por entregar serviços de TI eficientes, com altos níveis de excelência e confiabilidade; a outra, a “TI oportunista”, pronta para aproveitar novas oportunidades, com a criação de novos modelos de negócio. A “TI de classe empresarial” suporta um ambiente de negócios evolutivo, ao passo que a “TI oportunista” suporta um ambiente de negócios ágil e flexível.

"A estrada rumo a um futuro digital requer das empresas ações
transformadoras de TI por meio de inovação disruptiva, ao mesmo tempo em
que continua a ‘fazer negócios como sempre’ no nível de excelência
esperado,” afirma Dreyfuss. “Portanto, TI deve operar em níveis de alto
desempenho em dois modos muito diferentes”, afirma Cassio Dreyfuss, vice-presidente de pesquisas do Gartner

O executivo lembra que, no passado, considerações sobre o uso de TI para dar suporte aos negócios vinham muito tempo depois das estratégias e iniciativas estratégicas para o período seguinte terem sido projetadas e sancionadas pela alta gerência. “Com o passar do tempo, a TI deixou de ser uma ferramenta de suporte para ser uma ferramenta de capacitação e criação de negócios. Sob essa perspectiva mais ampla e inclusiva, faz mais sentido falar sobre gastos relativos a TI em toda e qualquer iniciativa de negócio e seu respectivo orçamento. Desta forma, o CIO é desafiado a adotar um perfil mais relevante e se engajar ostensivamente em oportunidades para influenciar as decisões de TI nos orçamentos de negócios da empresa”, completa Dreyfuss.

Todos sabemos que as decisões adequadas sobre o orçamento de TI seguem processos diferentes para cada empresa, dependendo do seu estilo de trabalho, que, por sua vez, depende de variáveis externas, como seu ambiente de negócios, e variáveis internas, como os processos de trabalho e de decisões. Mas, por mais diferentes que as empresas possam ser, o CIO tem contribuições únicas sobre as decisões de TI para empresas de todos os estilos.

Na opinião do Gartner, a área de TI está em uma posição de se envolver de forma ampla e intensa com as decisões de orçamento, oferecendo perspectivas-chave à discussão sobre:

- Arquitetura de informação – Conhecimento da informação que é utilizada na empresa, quem usa qual informação, quando, como e com que objetivo.

- Redes de processos de negócio – Conhecimento dos processos da empresa, de ponta a ponta, suas regras e dinâmicas, quem os executa, quando, como e com qual objetivo.

- Infraestrutura das operações: Domínio de como executar todos os processos e entregar todas as informações, seus ciclos, suas exigências de integração e todas as interfaces com as pessoas.

- Cenário da tecnologia: Perspectiva abrangente e qualificada do cenário da tecnologia e sua evolução, e os recursos, oportunidades, desafios, riscos e os aspectos econômicos das ferramentas de TI.

Outras tendências para 2015
A visão da consultoria é a de que a digitalização das organizações permitirá às empresas adotarem
uma postura tecnológica menos amarrada a eficiência operacional de
processos internos e mais como uma habilitadora para o desenvolvimento
de modelos de negócios, serviços e produtos disruptivos.

Esses negócios, produtos e serviços devem esta alinhados a uma nova realidade que aponta para a fusão entre o
mundo real e o virtual, graças ao surgimentos de modernas tecnologias como a Internet das coisas (IoT), que traz a reboque um universo de componentes
complementares como máquinas inteligentes, análises pervasivas e
impressão 3D.

A lista de conceitos e tecnologias que devem estar no radar dos CIOs em 2015, para que possam desempenhar a função de conselheiros, inclui:

1 - Computação em toda parte – Para a consultoria, o
mundo caminha para um acesso total e ubíquo a toda capacidade
tecnologia. Telas inteligentes e dispositivos conectados se proliferarão
em diversas formas, tamanhos e tipos de interação.

2 - Internet das coisas –
A consultoria manda um recado para os CIOs: experimentem, avaliem e
incentivem projetos para desenvolver utilizações de sensores e
dispositivos conectados em suas empresas.

3 - Impressão 3D – Ok,
não se trata de uma tecnologia nova. Aliás, vamos fazer justiça que o
conceito ronda por aí desde 1984. Contudo, agora é que atinge níveis
importantes de maturidade. Enquanto o tema ganha atenção no campo de
consumo, a verdadeira revolução tende a vir de sua aplicação nas
corporações.

4 - Análises avançadas, pervasivas e invisíveis – Toda aplicação é um app de análises nos dias de hoje.

5 - Sistemas contextuais ricos –
Conhecer o usuário, sua localização, tudo que ele fez no passado, suas
preferências, conexões sociais e outros atributos fornecerão inputs para
as aplicações.

6 - Máquinas inteligentes – A capacidade de executar tarefas com precisão e apreenderem com rotinas dará nova dimensão aos mais diversos equipamentos.

7 - Nuvem e client computing –
Esse é tópico central para evolução da nuvem. Isso significa que uma
aplicação estará baseada em nuvem e será capaz de se estender a
múltiplos clients.

8 - Aplicações e infraestruturas definidas por software – Tecnologia precisa misturar estruturas de maneira dinâmica, com elementos pré-definidos e bem menos complexidade.

9 - Web-scale IT – Tópico
que se assemelha ao modelo já usado por grandes provedores de soluções
em nuvem, incluindo sua cultura abrangente de riscos e alinhamentos de
colaboração.

10 - Segurança – Em particular, a tendência é de mais atenção para aplicações com autoproteção.

Snippets HTML5 default Intervenções CW
Vai um cookie?

A CIO usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Fechar anúncio

15