Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Salvar Escolher Pasta
Prepare-se para conviver com um novo colega de trabalho, o robô
Home > Tendências

Prepare-se para conviver com um novo colega de trabalho, o robô

Em breve você estará trabalhando com sistemas inteligentes

Sharon Gaudin, Computerworld/EUA

21/04/2016 às 16h29

Foto:

Sim. Em um futuro não muito distante os robôs e as máquinas inteligentes vão substituir postos de trabalho.

A situação, porém, não é tão terrível como alguns querem fazer crer, de acordo com Tom Davenport, co-autor de Only Humans Need Apply: Winners and Losers in the Age of Smart Machines. O livro será lançado em maio.

Em vez de roubar empregos dos seres humanos, os sistemas de  Inteligência Artificial e Robótica vão ajudar muitas pessoas a fazerem o seu trabalho melhor.

"Nós temos uma nova geração de tecnologias e precisamos trabalhar com elas se quisermos ser mais produtivos e eficazes", disse Davenport, em entrevista. "Acho que, em muitos casos, estaremos trabalhando com essas máquinas como colegas ... E que vão prosperar e ter sucesso os profissionais que gostarem de trabalhar com máquinas."

Houve um monte de manchetes preocupadas e avisos de pânico sobre a chegada dos robôs e o fim dos empregos.

A insurreição do robô, alguns prevêem, pode começar com robôs assumindo como como bombeiros, carteiros, concierges de hotéis, cozinheiros de fast food e motoristas de táxi.

Em novembro passado, o economista-chefe do Banco da Inglaterra alertou que os robôs podem tomar mais de 50% dos postos de trabalho nos EUA e no Reino Unido ao longo das próximas duas décadas. Isso significaria a perda de 15 milhões de empregos britânicos e cerca de 80 milhões de americanos.

Alguns meses antes disso, o Boston Consulting Group previu que, até 2025, os robôs irão assumir 25$ dos empregos na indústria, e não apenas 10% como agora.

Davenport, que escreveu seu livro com o jornalista Julia Kirby, também escreveu Big Data at Work
Dispelling the Myths, Uncovering the Opportunities
. E afirma que as pessoas não devem entrar em pânico.

"Estamos relativamente otimistas, embora as pessoas não devam ser demasiadas complacentes sobre isso", disse Davenport, que é um companheiro do MIT Center for Digital Business e professor de Tecnologia da Informação e Administração do Babson College. "Empregos não serão substituídos por robôs ou tecnologias cognitivas. Tarefas sim.  Vamos ver alguma perda de emprego marginal - talvez na faixa de 10% a 20%, mas vamos ver alguns novos postos de trabalho sendo criados também ".

CIO2503

E-book por:

Essas perdas de emprego são esperadas para os próximos 10 anos ou mais, de acordo com Davenport.

"Essas coisas levam muito mais tempo do que qualquer um prediz normalmente", disse ele. "Vamos precisar de ajuda robótico para descarregar cargueiros rapidamente. Mas o sindicato de estivadores, nos EUA, foi muito hostil a isso. Se você é um estivador, não é bom tornar-se complacente. Mas não veremos milhões deeles sendo substituídos em breve. "

Empregos no chão da fábrica e no trabalho intensivo não são os únicos em risco. Davenport observou que muitas tarefas dos trabalhadores do conhecimento podem ser realizadas por robôs ou máquinas inteligentes. Ao longo dos próximos 20 anos, a tecnologia deve afetar áreas como Direito, Medicina, Contabilidade, Marketing e sim, o Jornalismo.

"Essas são as áreas que estão sendo alvejados por tecnologias cognitivas, como o IBM Watson e", disse Davenport. "Elas envolvem tanto conhecimento que os seres humanos simplesmente não poderão dar conta. A Oncologia, já complexa, ficará ainda mais com a genômica. Já pensou manter o controle de todos os genes do câncer?"

Isso significa que as pessoas devem pensar em trabalhar com robôs e sistemas inteligentes.

"Acho que em muitos casos vamos trabalhar com essas máquinas como colegas", explicou Davenport.  Aqueles que aceitarem esse tipo de mudança e a abraçarem serão bem sucedidos.

"O trabalho é muito importante para nós seres humanos. A possibilidade de perder o emprego é algo assustador. Para os trabalhadores do conhecimento, que estão no ponto mais alto da cadeia alimentar, é muito assustador."

Para aqueles que fazem os trabalhos que deverão ser tomadas por máquinas, é hora de olhar para como podem supervisionar os robôs, ou encontrar tarefas diferentes, uma vez que serão liberados das tarefas mais mundanas.

Se você quiser evitar robôs, então precisará escolher sua profissão com cuidado. Davenport recomenda escrever comédia de TV.

"Há muito espaço para prosperar", disse Davenport. "As máquinas vão assumir as tarefas que não eram tão excitantes assim. E elas podem diagnósticar um câncer de forma mais rápida ou sugerir melhores tratamentos para a doença, como se opor a isso?"

Vai um cookie?

A CIO usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Fechar anúncio

15