Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Salvar Escolher Pasta
Mesmo após pandemia, processo de tomada de decisão dos consumidores será diferente
Home > Tendências

Mesmo após pandemia, processo de tomada de decisão dos consumidores será diferente

Pesquisa da KPMG aponta novas tendências e desafios pós Covid-19 para os setores de tecnologia, mídia e telecomunicações

Da Redação

07/05/2020 às 8h16

Foto: Shutterstock

Empresas do setor de tecnologia, mídia e telecomunicações precisarão rever a geração de valor da marca e repensar a forma de se conectar com os clientes quando formularem estratégias pós Covid-19, segundo levantamento da KPMG. O estudo traz considerações sobre o padrão de comportamento da retomada dos negócios após a pandemia para esses setores, bem como os impactos nas cadeias de suprimentos, pressão nos negócios e no caixa, e os obstáculos a serem enfrentados com as receitas.

“Estudos apontam que a prioridade da sociedade mudou, preocupações com saúde ganham importância e vieram para ficar. Para ter uma ideia, cerca de 24% dos americanos adultos estão fortemente inclinados a repensar sua frequência em restaurantes”, disse Dustin Pozzetti, Sócio-Líder do setor de tecnologia, mídia, esportes e telecomunicações da KPMG no Brasil.

Para Pozzetti, o processo de tomada de decisão dos consumidores será diferente na realidade após a crise. “As marcas vão precisar reconectar com seu público, rever suas ofertas e quem tiver habilidade e agilidade poderá mudar o jogo. Um bom exemplo foi a recente notícia do Netflix no Q1/20 quando anunciou mais que o dobro de assinaturas com relação ao esperado. Para ser bem sucedido em capturar essas novas fontes de receita as organizações precisam reforçar suas habilidades digitais e entregar efetivamente a promessa da marca e produtos garantindo a conexão por todo processo do negócio, também chamado de Connected Enterprise”, analisa.

Segundo o levantamento da KPMG, os principais desafios e as tendências de retomada para o setor de tecnologia, mídia, esportes e telecomunicações são:

Tecnologia

Big Techs: Mais adaptáveis a um mundo em constante mudança, empresas digitais e de comércio eletrônico obtém posição de vantagem durante e após a quarentena com desafio no cumprimento dos prazos de entrega e demais pontos da cadeia de suprimentos quando aplicável.

CIO2503

E-book por:

Indústria: queda na produção pelo alto impacto nas cadeias globais de suprimento, agravado pelo câmbio atual, traz preocupação na geração de receita e compromete resultados na indústria.

Software: alta dependência e impacto da repriorização de projetos associado à carteira de clientes porém com grande oportunidade para rever posições de ataque pós crise aproveitando mão de obra qualificada.

Telecomunicações

Big Telco (grandes empresas de telecom) – Enfrenta desafios para manter funcionamento das redes, sistemas e atendimento. Impactos no EBTIDA em função da restrição no consumo em segmentos, modalidades e produtos B2C e B2B. Impacto da taxa de câmbio nos investimentos e aumento dos passivos contingentes relativos a consumo, emprego e cadeia de fornecimento. Retomada será gradual nos passos da economia do país, sendo momento único para revisar ofertas e transformar processos internos conectando para entregar a melhor experiência ao cliente.

Provedores de Internet: Restrição de consumo e possível aumento na inadimplência traz impacto no caixa e coloca pressão sobre dívidas e ambições atingindo provedores menores que precisam construir resiliência para a retomada.

Mídia e esportes

Mídia: Pressão para manutenção das receitas publicitárias com efeitos diretos requerendo renegociações de contratos, além de possível ajustes nos gastos. Repensar prioridades, investimentos e reinventar adotando modelos mais digitais aumentando a resiliência e acelerando recomposição de receita.

Esportes: Grande desafio para o segmento com a suspensão de eventos esportivos, restrição de uso dos parques e cinemas além de mudança nas grades de programações, gerando alta pressão para os negócios agirem com velocidade e também para reinventar-se. Transformar para aportar agilidade ao negócio com estratégia de dados multicloud e uso intenso de inteligência artificial.

Vai um cookie?

A CIO usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Fechar anúncio

15