Home > Tendências

Maioria dos produtos de tecnologia serão feitos por profissionais que não da TI até 2024, diz Gartner

Nova categoria de compradores empresariais está ocupando uma parcela maior do mercado geral de TI, alterando as fontes de inovação do mercado

Da Redação

17/06/2021 às 11h06

Foto: Adobe Stock

A pandemia forçou a transformação digital e causou uma invasão tecnológica nos negócios. Essa popularidade da tecnologia em todas as áreas de negócios e entre os consumidores criou demanda por produtos e serviços fora dos departamentos de TI. De acordo com o Gartner, isso tem transformado o mercado de TI. A empresa de consultoria prevê que, em 2024, 80% dos produtos e serviços de tecnologia serão desenvolvidos por aqueles que não são profissionais de tecnologia.

Essa tendência é impulsionada por uma nova categoria de compradores fora da empresa de TI tradicional, que está ocupando uma fatia maior do mercado geral de TI. Hoje, os gastos totais de TI liderados pelos negócios chegam a 36% do orçamento total de TI formal, segundo a consultoria.

“Os negócios digitais são tratados como um esporte de equipe pelos CEOs e não mais como domínio exclusivo do departamento de TI”, disse Rajesh Kandaswamy, Distinto Vice-Presidente de Pesquisa do Gartner. “O crescimento em dados digitais, ferramentas de desenvolvimento de low-code e desenvolvimento auxiliado por Inteligência Artificial (IA) estão entre os muitos fatores que permitem a democratização do desenvolvimento de tecnologia além dos profissionais de TI”.

As necessidades desse novo perfil de comprador nem sempre se encaixam perfeitamente nas ofertas dos fornecedores tradicionais, o que foi agravado pela crise de Covid-19. A pandemia apenas expandiu a quantidade e o tipo de casos de uso que a tecnologia é necessária para atender. Em 2023, o Gartner prevê que US$ 30 bilhões em receita serão gerados por produtos e serviços que não existiam antes da pandemia.

Os analistas do Gartner afirmam que a rápida expansão dos serviços em nuvem, iniciativas de negócios digitais e serviços remotos abriu a porta para novas possibilidades de integração e otimização. Com a Covid-19 derrubando barreiras técnicas e burocráticas da tecnologia, aqueles profissionais fora da TI capazes de desenvolver soluções baseadas em tecnologia assim fizeram, abrindo um caminho para qualquer pessoa que pudesse atender às necessidades induzidas pela pandemia.

Segundo o Gartner, isso inclui profissões não tecnológicas dentro das empresas, ou “tecnólogos de negócios”, desenvolvedores cidadãos, cientistas de dados e sistemas de IA que geram software.

Nesse novo contexto do mercado de TI, fornecedores de tecnologia estão cada vez mais entrando em mercados relacionados ou em concorrência com fornecedores não tecnológicos, incluindo empresas inovadoras em serviços financeiros e varejo. Este último está criando soluções voltadas para TI com mais frequência e com mais ambição, diz o Gartner, à medida que mais empresas continuam seus esforços de transformação digital.

O Gartner espera que anúncios de alto nível de lançamentos de tecnologia de empresas não tecnológicas proliferem nos próximos 12 meses. Além disso, mais de um terço dos provedores de tecnologia competirão com os provedores de não tecnologia até 2024, prevê a consultoria.

“A disponibilidade de tecnólogos de negócios fornece novas fontes de inovação e a capacidade de realizar o trabalho. Assim, os provedores de tecnologia e serviços precisarão estender seu fornecimento de ideias e desenvolvimento de tecnologia a novas comunidades, sejam elas baseadas no desenvolvimento de cidadãos, suas próprias comunidades de clientes ou outras fontes”, disse Kandaswamy.