Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Salvar Escolher Pasta
Bem-vindo à era do data center definido por software
Home > Tendências

Bem-vindo à era do data center definido por software

Mas o que isso significa na prática?

Da Redação com Eric Knorr, CIO/EUA

07/04/2014 às 6h29

Foto:

Assim como o mundo mudou quando redes isoladas
tornaram-se a Internet, a computação está prestes a dar um salto quântico com
os data centers definidos por software que podem residir em vários locais
físicos. O objetivo é tornar a infraestrutura de TI mais ágil, elástica e
confiável.

Imagine uma infraestrutura inteira de TI como
programável como sistemas individuais. Uma infraestrutura controlada não
manualmente e por hardware, mas por software. Uma infraestrutura na qual as
cargas de trabalho são manipuladas automaticamente pelo recurso mais
apropriado.

Como?
A arquitetura do data center
definido por software abstrai todos os recursos de hardware e cria um pool
de recursos que agrega capacidade, automatização, eficiência e distribui as
aplicações conforme as necessidades.

Essa abstração não apenas ajuda você a gerenciar
serviços atuais de forma mais eficiente, mas também permite que você
reconfigure-os de imediato, desenvolva novos projetos rapidamente usando
provisionamento automatizado e programático e atinja um nível de escalabilidade
que abordagens tradicionais não conseguem atingir.

Os usuários desse modelo podem construir data centers
virtuais próprios, como uma coleção isolada logicamente de computação virtual,
armazenamento, rede e recursos de segurança que estão acostumados.

O elemento-chave do data centers definido por software
é, portanto, a virtualização. Os profissionais de infraestrutura e operações
podem agora virtualizar e reunir os três componentes principais da computação:
servidores, armazenamento e redes.

De acordo com o Gartner, veremos cada vez mais o
movimento SDx (tudo definido por software) na área de infraestrutura e
operações, liderada principalmente pelos conceitos de SDN (redes definidas por
software) e (SDS) armazenamento definido por software (software defined
storage).

O armazenamento definido por software simplifica os
recursos de armazenamento para permitir a criação eficiente de pools, a
replicação e a distribuição sob demanda. O resultado é uma camada de
armazenamento semelhante ao processamento virtualizado: agregado, flexível,
eficiente e dimensionável. Os benefícios são as reduções, de forma
generalizada, no custo e na complexidade da infraestrutura de armazenamento.

Já a SDN promete deixar a rede mais flexível, ágil e
dinâmica, acompanhando o ritmo das demandas de negócios que estão em rápida e
constante alteração atualmente.

CIO2503

E-book por:

SDN abre o caminho
O benefício mais próximo prazo para as empresas será a flexibilização do
gargalo na virtualização de rede. “Diferente do mundo cliente-servidor, em que
a comunicação acontece entre dois pontos, no mundo cloud as aplicações precisam
acessar múltiplos bancos de dados e servidores, gerando tráfego em múltiplos
sentidos e ampliando a complexidade do ambiente. Esta situação pode ser
mitigada pelo SDN”, explica Daniel Domingues, analista da PromonLogicalis.

Vários data centers definidos por software podem, por
exemplo,  usar a infraestrutura física de sobreposição de modo que cada
inquilino pudesse ter a sua própria rede virtual com a sua própria autenticação
e regime de autorização, sem a disponibilidade e escalabilidade limitações de
VLANs convencionais.

Entre as soluções SDN destacam-se Arista, Cisco,
Microsoft e VMware - esta última reforçada em 2013 a partir da aquisição da
Nicira. Entre os SDS, destacam-se EMC, HP e Hitachi, Nutanix, entre outros.

Padrões abertos
O desenvolvimento de protocolos abertos -  Openstack e Openflow - está
tornando possível a construção do data center definido por software, possibilitando
a combinação de fornecedores, com todos se adaptando a uma interface de
programação de aplicativo (API) comum. Ao contribuir e dar suporte a essas
iniciativas, as empresas participantes garantem que seus serviços de hardware e
data center permaneçam viáveis em um ambiente de data center definido por
software.

O padrão OpenStack,
por exemplo, permite controlar recursos de computação, armazenamento e rede,
oferecendo uma plataforma comum, para que serviços privados baseados em nuvem
possam se estender perfeitamente com qualquer nuvem pública que ofereça APIs
OpenStack.

Já o OpenFlow oferece um modelo de controle remoto de switches e roteadores de
redes definidas por software. Qualquer controlador habilitado para OpenFlow
pode controlar qualquer dispositivo habilitado para OpenFlow.

Importante para os negócios
A pressão por corte de gastos obriga as companhias a rodarem aplicações em
qualquer lugar do mundo, reafirma David Cappuccio, vice-presidente de pesquisas
do Gartner.  A tendência é manter o que é crítico para os negócios no
modelo on-premise e os demais serviços na nuvem.

O data center definido por software será um meio
através do qual os serviços de nuvem poderão ser entregues de forma mais
eficiente.

"Os data centers se tornaram críticos e
precisarão estar preparados para atender os negócios, cada vez mais dependentes
da nuvem", diz  Henrique Cecci, diretor de pesquisas do Gartner.

Vai um cookie?

A CIO usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Fechar anúncio

15