Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Salvar Escolher Pasta
A ‘nuvem distribuída’ não está surgindo. Ela já está aqui
Home > Tendências

A ‘nuvem distribuída’ não está surgindo. Ela já está aqui

Atribuir armazenamento e processamento de dados a regiões de nuvem específicas é uma boa jogada, mas é preciso saber por quê

David Linthicum

16/11/2020 às 19h14

Foto: Adobe Stock

De acordo com o Gartner, “Distributed cloud ou Nuvem distribuída é a distribuição de serviços de nuvem pública para diferentes locais físicos, enquanto a operação, governança e evolução dos serviços permanecem sob responsabilidade do provedor de nuvem pública”. Os analistas continuam explicando que a nuvem distribuída fornece um ambiente ágil e flexível para aplicativos e dados que exigem baixa latência, redução de custos de dados e residência de dados.

Esta ideia não é nova; Eu já a usei para remover a latência e/ou cumprir as leis de soberania de dados de tempos em tempos. Basicamente, a vantagem é que os usuários finais possuem recursos de computação em nuvem mais próximos do local físico onde acontecem as atividades de negócios, reduzindo a latência.

Claro, grupos de analistas adoram atribuir chavões a padrões emergentes, e eu não sou diferente (embora mais pessoas ouçam uma grande empresa de analistas do que eu). No entanto, ultimamente parecemos estar nomeando coisas que são… bem… já são uma coisa. A nuvem distribuída se enquadra nessa categoria.

Primeiro, as nuvens públicas foram distribuídas há algum tempo, permitindo que desenvolvedores e arquitetos atribuam processamento e armazenamento de dados específicos a uma ou mais regiões geográficas. Em segundo lugar, aproveitar as regiões para ajustar o processamento e o armazenamento de dados para segurança, desempenho e conformidade tem sido uma prática recomendada há anos.

CIO2503

E-book por:

Vamos dar uma olhada nos méritos da nuvem distribuída e ver se isso deve ser uma opção para suas cargas de trabalho baseadas na nuvem.

Nuvens distribuídas precisam de algum controle centralizado

Mover o processamento e os dados para diferentes regiões é realmente muito fácil. Todas as regiões foram atribuídas ao provisionamento de recursos de armazenamento ou computação. No entanto, você deve pensar em coordenar esses recursos, incluindo a sincronização de dados e distribuição de processamento. Felizmente, fizemos isso para nuvens públicas distribuídas únicas e também para várias nuvens. As soluções são muito bem compreendidas e a tecnologia funciona de maneira eficaz.

Mais de um provedor de nuvem alavanca o conceito distribuído

Multicloud é a forma que a maioria das pessoas experimentará as nuvens distribuídas. Você não apenas distribuirá o processamento e os dados em um único provedor de nuvem, mas poderá ser até cinco provedores, com processamento e dados existentes em implantações multicloud. Isso aumentará o número de regiões nas quais você está implantado, multiplicado pelo mesmo número de marcas de nuvem que você está usando.

Não quero estourar o balão da nuvem distribuída. É uma boa opção arquitetônica, mas você precisa entender quando usá-la e por quê.

Vai um cookie?

A CIO usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Fechar anúncio

15