Home > Tendências

A LGPD vai decretar o fim do Marketing Direto?

Lei prevista para entrar em vigor neste ano afetará diretamente os departamentos de marketing

Por Cyro Diehl*

17/01/2020 às 18h00

Foto: Shutterstock

Segundo pesquisa realizada pela Truecaller, o Brasil continua no incômodo quarto lugar de países mais impactados somente por SMS. Ficamos apenas atrás de países como Etiópia, África do Sul e o Quênia, com uma média de 87 SMS por mês por usuário somente em 2019.

Mas talvez o que mais nos incomode, e sofremos diariamente com isto, são os chamados spam calls, chamadas indesejadas e não autorizadas. Neste quesito somos os campeões, segundo a mesma pesquisa. Temos uma média de 45 chamadas por mês por usuário, liderados pela indústria de telecomunicações com oferecimentos de novos pacotes ou produtos. Isto é o resultado do uso descontrolado do chamado Marketing Direto, que utiliza estratégias como: mala direta, televendas, email marketing e mídias sociais.

O custo para se rodar uma campanha utilizando estes canais possuem um custo bastante atraente, mas desconsidera totalmente a satisfação dos seus clientes e prospects. Esta estratégia de utilização do marketing direto levou a criação de um verdadeiro mercado negro de informações pessoais. É muito fácil comprar uma lista de pessoas, e-mails, empresas por três mil reais no centro de São Paulo e iniciar uma campanha.

Durante alguns meses, tive a curiosidade de em casos de recebimento de spams, em clicar no link de descredenciamento e remover meu e-mail dela. Pude contar mais de cinquenta nomes diferentes de lista, e muitas vezes a mesma lista com diversas empresas que nunca autorizei o contato. Bom, desisti de continuar e após alguns meses, a mesma empresa utilizando listas diferentes novamente me enviaram spams.

E como todo este caos, nossos dados fluindo abertamente, em diferentes listas pela internet terá fim? O nome desta solução é a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) que entra em vigor em agosto de 2020. Sim, uma Lei que irá proteger os nossos dados, não somente de chamadas indesejadas ou e-mails com conteúdo desinteressantes. Mas proteger para que empresas más intencionadas não possam fazer uso de nossos dados, para não trazerem ofertas, mas causarem prejuízos a nós.

Leia também na IT Trends

O LGPD afeta diretamente os Departamentos de Marketing, que para a sua sobrevivência, deverão se transformar em verdadeiras editoras de conteúdo. Isto mesmo, vence aquele que agregar mais valor aos seus clientes. Várias pesquisas apontam que mais de 85% das pessoas dariam a última oportunidade de comprar daquele fornecedor que agregou em primeiro lugar informações relevantes sobre um serviço ou produto.

Portanto, a LGPD vem somente separar o joio do trigo, como dizem. Ela vai dar oportunidades àquelas empresas e profissionais que realmente atendam às necessidades de um consumidor. É a vez do marketing 1:1, do Roger&Peppers, da experiência individualizada e personalizada. Ainda temos tempo para nos prepararmos para a nova Lei. Pouco. Mas ninguém quer ser o joio da LGPD, certo ?

*Cyro Diehl é CEO da Be Compliance