Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Salvar Escolher Pasta
6 tendências de infraestrutura e operações que estão em alta e 5 que estão em baixa
Home > Tendências

6 tendências de infraestrutura e operações que estão em alta e 5 que estão em baixa

Quando se trata de infraestrutura, estabilidade é rei. Mas se a mudança persiste, como garantir a segurança e entregar com velocidade?

Peter Wayner, CIO (EUA)

22/03/2021 às 18h50

Foto: Adobe Stock

A Covid-19 tem estressado significativamente o mundo da TI, mas também tem justificado uma série de opções de infraestrutura feitas por aqueles que prestam atenção às tendências emergentes. A nuvem provou ser uma panaceia para muitas organizações que resistem às mudanças desencadeadas pela pandemia. A automação também ganhou força à medida que as empresas assumiram o papel de pioneiros que estavam bem posicionados quando a pandemia chegou, graças às apostas anteriores de RPA e IA.

Mesmo assim, com pandemia ou não, os departamentos de TI nunca podem ser complacentes. Mudanças, muitas vezes rápidas e sempre implacáveis, são uma parte constante da indústria. E, graças à pandemia, as mudanças na TI estão se acelerando.

As equipes responsáveis por curar o código e manter os sistemas funcionando sem problemas são naturalmente cuidadosas. A experimentação e a mudança pela mudança são para os inovadores mais tensos que trabalham nas skunkworks. Quando a empresa depende de tudo funcionando perfeitamente, manter a infraestrutura e as operações estáveis é mais importante.

Ainda assim, muitas novas estratégias e ferramentas chegaram recentemente para transformar a maneira como os back office fazem o trabalho pesado de manter os servidores e as redes funcionando. Algumas dessas tendências são impulsionadas por novas inovações, algumas por economia pura e algumas por realidades políticas. Todos refletem a maneira como as equipes de infraestrutura de TI são pressionadas para fornecer mais segurança e velocidades mais rápidas sem sacrificar a estabilidade.

Em alta: Multicloud

As vantagens de mover o código da sala do servidor para a nuvem foram reconhecidas há muito tempo. Um pool de máquinas alugado mantido por outra pessoa é ideal para cálculos intermitentes e cargas de trabalho que aumentam e diminuem. Sempre haverá perguntas sobre confiança e segurança, mas os fornecedores de nuvem as abordaram cuidadosamente com equipes dedicadas, possibilitadas com economias de escala.

Se uma nuvem é uma boa ideia, por que não duas, três ou mais? O suporte a várias nuvens pode exigir mais trabalho, mas se seus desenvolvedores forem cuidadosos ao escrever o código, eles podem remover o perigo de dependência do fornecedor. E seus contadores apreciarão a oportunidade de avaliar seu software em várias nuvens para descobrir os fornecedores mais baratos para cada carga de trabalho.

Em baixa: Sites dinâmicos

No início, a World Wide Web era composta de arquivos estáticos. Os servidores da Web receberam um URL e responderam com um arquivo igual para todos. Esse mecanismo simples rapidamente caiu em desgraça quando os desenvolvedores perceberam que podiam personalizar o que os usuários podiam ver ao visitar um determinado URL. As páginas da web não precisam mais ser as mesmas para todos. Os usuários gostaram da personalização. Os anunciantes gostaram da flexibilidade na segmentação. As empresas gostam das oportunidades apresentadas por uma web dinâmica. Assim, estruturas elaboradas chegaram para ajudar a criar páginas personalizadas para quem quisesse.

Essa atitude mudou recentemente, à medida que desenvolvedores e empresas reconheceram que, apesar de todas as opções, a maioria das páginas da web acaba sendo praticamente a mesma para todos. Toda a sobrecarga de criar uma lógica de servidor inteligente vale a pena? Por que não apenas enviar os mesmos bits para todos, usando toda a velocidade das redes de distribuição de conteúdo com experiência em borda? Cada vez mais inteligência está sendo empurrada para as bordas da rede.

Agora, algumas das mais novas ferramentas de desenvolvimento web levam seu site e pré-destilam em uma pasta de páginas estáticas da web para que você possa ter toda a flexibilidade de um sistema de gerenciamento de conteúdo dinâmico servido com a velocidade de arquivos estáticos. Os resultados não são completamente estáticos, no entanto, porque um pouco de JavaScript pode preencher lacunas ou coletar alguns dados personalizados usando chamadas AJAX.

Em alta: Blockchains gerenciados

Uma grande parte da visão original do Bitcoin era uma economia descentralizada sem hierarquia de poder. O preço, no entanto, é alto porque o Bitcoin depende de uma corrida matemática em constante desenrolar que consome eletricidade. Os blockchains mais recentes estão procurando alternativas que não destruam a energia potencial de tantos elétrons apenas para inserir uma nova linha em um banco de dados.

Alguns querem simplificar as coisas, distribuindo o poder de acordo com o número de moedas que você possui, em outras palavras, sua aposta no sistema. Outros querem cobrar um imposto ou um “burn”. Outros querem medir o armazenamento em disco em vez do consumo elétrico. Um grupo deseja apenas construir temporizadores confiáveis ​​especiais.

A solução mais barata pode ser desistir de uma competição aberta, escolhendo uma equipe de gerentes que deve chegar a um consenso. Ainda é distribuído, mas apenas para alguns selecionados. Isso pode ser do interesse de empresas que buscam criar blockchain em suas operações de negócios também: alguns stakeholders específicos que chegam a um consenso sobre a veracidade das transações de negócios de um livro de registros compartilhado.

Em baixa: Energia desperdiçada

Os mineradores de Bitcoin não são os únicos se perguntando sobre os custos de eletricidade. A Microsoft não construiu um grande data center no desfiladeiro do rio Columbia porque os curadores queriam praticar kite board nas horas de folga. A eletricidade é mais barata lá graças às enormes barragens hidrelétricas.

Todos estão observando o consumo de energia para cima e para baixo na pilha de hardware, desde o menor sensor da Internet das Coisas até o servidor mais rápido com terabytes de RAM. As empresas com servidores locais podem ser as grandes vencedoras, pelo menos nas partes mais frias do inverno. O calor residual que sobrou do cálculo pode ser reutilizado para aquecer os edifícios.

Em alta: serverless

Por muito tempo, os desenvolvedores queriam controle total sobre seu ambiente. Isso porque, se eles não pudessem especificar a distribuição e versão exatas, não seriam capazes de garantir que seu código funcionaria corretamente. Muitos aprenderam da maneira mais difícil que as inconsistências podem ser fatais. Então, eles queriam acesso root a uma máquina que controlavam.

Todas essas cópias dos mesmos arquivos podem manter tudo funcionando perfeitamente, mas é ineficiente e um desperdício. Novas ferramentas sem servidor eliminam toda essa gordura do sistema. Agora, os desenvolvedores podem se preocupar apenas em escrever para uma interface simples que carregará seu código apenas quando necessário e cobrará de você só, então. É uma dádiva de Deus para trabalhos que são executados ocasionalmente, sejam eles um processamento em segundo plano ou um site que não recebe muito tráfego. Eles não precisam ficar em um servidor com uma cópia completa do sistema operacional ocupando memória e não fazendo nada.

O paradigma sem servidor também torna um pouco mais fácil levar a computação para as bordas da rede. Empresas como Cloudflare e AWS estão pegando pequenos pedaços de código sem servidor e inicializando-os em servidores nos ISPs que estão próximos aos usuários. O tempo de atraso diminui e a resposta aumenta à medida que menos pacotes viajam para muito longe.

Em baixa: Componentes finos

Os desenvolvedores geralmente constroem suas obras-primas unindo uma coleção de componentes e bibliotecas menores. Cada parte contribui com um pouco de informação para todo o pacote. Muitas das peças são produtos de prateleira, como bancos de dados ou APIs populares. Não é incomum que dezenas ou mesmo centenas de partes trabalhem juntas para produzir uma presença unificada na web para o usuário.

Ultimamente, porém, os produtos têm ficado mais inteligentes à medida que seus criadores adicionam mais recursos. Alguns bancos de dados, por exemplo, são mais integrados à rede e oferecem a possibilidade de sincronizar os dados armazenados nos clientes, dispensando a construção dessa funcionalidade. Recursos como tradução agora são incorporados a outras ferramentas. À medida que os aplicativos e serviços engordam, o código-cola e a personalização desaparecem. Às vezes, ele se transforma em arquivos de configuração e às vezes desaparece completamente. O fluxograma ainda abrange a mesma funcionalidade, mas agora as caixas estão mais grossas e há menos peças para juntar e manter no topo.

Em alta: IA ecológica e ética

Quem não quer ser ético? Quem não quer ser verde? Ultimamente, as pessoas têm insistido que não é suficiente para uma IA oferecer um modelo útil. Deve ser ético ao mesmo tempo.

A má notícia é que a ética é difícil de definir e ainda mais difícil de implementar. Alguns apontam para os resultados e insistem que eles se encaixam em algum modelo predeterminado. Mas se você sabe a resposta que deseja, por que se preocupar em pedir a uma IA para encontrar uma resposta que você apenas duvida?

Encontrar uma versão verde da IA é muito mais fácil, mesmo porque a definição padrão tende a envolver o uso de menos energia e energia é algo que é fácil de medir. Mastigar menos watts é uma mudança radical para a indústria. Nas últimas décadas, quando se trata de machine learning e IA, quanto mais comparações, mais cálculos e mais dados de treinamento, melhor. Se você queria aproveitar ao máximo a IA, crescer era o caminho para melhores resultados.

Mais computação, entretanto, geralmente requer mais eletricidade, e muitas empresas estão começando a se perguntar se um grande algoritmo com uma grande pegada de carbono é realmente necessário. Isso está estimulando os desenvolvedores de IA a testar se podem retornar resultados quase tão bons - ou pelo menos bons o suficiente - sem fazer o medidor de eletricidade (e os custos subsequentes na nuvem ou no local) girar como um pião.

Em baixa: Repositórios básicos

No passado, um repositório de código não precisava fazer muito para ganhar seu sustento. Se mantivesse uma cópia do software e rastreasse as alterações ao longo do tempo, todos ficariam surpresos. Agora os desenvolvedores esperam que os repositórios enviem seus códigos por meio de um pipeline que pode incluir qualquer coisa, desde testes de unidade básicos a otimizações complicadas. Não é mais suficiente para o repositório ser um bibliotecário. Ele também deve fazer o trabalho de uma governanta, um verificador de fatos, um especialista em controle de qualidade e, às vezes, até mesmo um policial. Equipes de desenvolvimento inteligentes estão recorrendo mais ao repositório para impor disciplina. Alguns estão escrevendo regras sobre boas práticas de codificação e outros estão tentando descobrir se o código foi testado de forma adequada. Tudo isso torna o repositório muito mais do que um espaço seguro. É mais um árbitro, engenheiro de garantia de qualidade e até mesmo policial gramatical, tudo em um.

Em alta: zero trust

Já se passaram décadas desde que Andy Grove, a lenda da Intel, escreveu seu livro, Only the Paranoid Survive. No entanto, finalmente, a mensagem está chegando aos profissionais de segurança que conseguiram a tarefa impossível de tentar manter os segredos corporativos trancados quando todos começaram a trabalhar em casa.

O novo modelo que alguns endossam foi apelidado de "confiança zero" ou Zero Trust e implica que não há espaço seguro em qualquer lugar. Supõe-se que cada laptop esteja conectado a partir de algum café incompleto em um país hostil que está cheio de hackers da competição. Até mesmo o PC na mesa do CEO. Depois que os pacotes saem da máquina, eles devem ser criptografados e testados para autorização. Não há como relaxar porque a máquina de alguém estava conectada a alguma VPN.

Em baixa: Parceiros de confiança

Não são apenas os provedores de nuvem que estão expulsando os clientes pagantes. O novo sindicato do Google anunciou que deseja ter voz ativa em quem compra os serviços do Google. Sim, a maioria de nós consegue manter a cabeça baixa e escapar da ira, mas como saber se a maré vai virar contra a sua empresa? Os heróis de um ano, muitas vezes, podem se transformar nos vilões do ano seguinte.

As equipes de DevOps estão fazendo perguntas mais difíceis às empresas de computação em nuvem e seus provedores de serviços. Eles estão pedindo melhores garantias. No passado, todos eram apaixonados pela ideia de que as máquinas estavam instantaneamente disponíveis para aluguel. Ninguém se incomodou em se perguntar se isso também significava que você poderia ser instantaneamente chutado para o meio-fio. Agora, eles estão.

Por exemplo, uma empresa de nuvem tem uma cláusula abrangente que proíbe o envio de "e-mail de baixo valor". No passado, ninguém se preocupava em medir o valor do e-mail. Agora eles estão se perguntando se esse termo abrangente poderia ser usado como um porrete para desligar tudo. A confiança está saindo pela janela. Essa confiança evaporada significa que relacionamentos de longo prazo exigem contratos negociados com mais rigidez e com menos espaço de manobra ao redor.

Em alta: Automação

No passado, você precisava escrever algum código para fazer qualquer coisa. Alguém precisava se preocupar com as variáveis e lembrar todas as regras sobre tipos, escopo e sintaxe. Então, todos precisavam ouvi-los se mexer como Michaelangelo falando sobre suas regras sobre qualidade de código, que muitas vezes se resumiam a pronunciamentos sobre espaços em branco não funcionais (ver 18.3 e 19.4).

Novas ferramentas com nomes como “automação de processos robóticos” estão mudando a dinâmica. Não há droids como o C3PO, no entanto, apenas rotinas de manipulação de dados aprimoradas. Agora, não-programadores experientes podem realizar muitas coisas usando ferramentas que removem a maioria das arestas e pegadinhas do processo de desenvolvimento. Qualquer pessoa que consiga adicionar uma coluna em uma planilha pode produzir alguns resultados bastante elaborados e interativos com apenas alguns cliques e nenhuma tagarelice sobre fechamentos.

Vai um cookie?

A CIO usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Fechar anúncio

15