Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Salvar Escolher Pasta
10 previsões da IDC para a Internet das Coisas
Home > Tendências

10 previsões da IDC para a Internet das Coisas

Dentro dos próximos cinco anos, mais de 90% de todos os dados de IoT será hospedado em plataformas de computação em nuvem

Da Redação

07/12/2014 às 21h15

Foto:

A Internet das Coisas ou Internet of Things (IoT) continua a ganhar visibilidade, assim como a atenção dos fornecedores de TI que procuram explorar um mercado crescente de produtos e serviços relacionados com a tendência.

Mas, para os CIOs, que significado tem a IoT? Como vão adaptar suas empresas? Mais importante ainda: como vão agir de forma responsável com a informação disponível?

"A Internet das Coisas vai dar os gerentes de TI muito o que pensar", afirma Vernon Turner , vice-presidente sênior de pesquisa da IDC. "As empresas terão de abordar todas as disciplinas de TI para equilibrar eficazmente o dilúvio de dados a partir dos dispositivos e sensores que estarão conectados à rede corporativa. Além disso, a Internet das Coisas vai transformar as empresas, ao permitir a criação de produtos e modelos de negócio disruptivos", diz ele.

Como parte de sua série de previsões para 2015, a consultoria revelou algumas específicas para o mercado de IOT. Confira.

1 - Internet das coisas e a nuvem
Nos próximos cinco anos, mais de 90% de todos os dados da Internet das coisas será hospedado em plataformas de prestadores de serviços de computação em nuvem, reduzindo a complexidade de apoiar a combinação de dados.

2 - IoT e segurança
Dentro de dois anos, 90% de todas as redes de TI terão uma falha de segurança derivada da IoT. Diretores de Segurança da Informação (CISOs) serão forçados a adotar novas políticas para a Internet das Coisas.

3 - IoT na borda
Em 2018, 40% dos dados gerados pela IoT serão armazenados, processados, analisados ​​e devidamente usados perto de, ou na borda, da rede.

4 -IoT e a capacidade de rede
Em três anos, 50% das redes de TI terão, obrigatoriamente, excesso de capacidade para lidar com os dispositivos da Internet das Coisas.

5 - IoT e a infraestrutura não tradicional
Em 2017, 90% dos data centers e dos sistemas corporativos de gestão irão adotar, rapidamente, novos modelos de negócios para gerenciar infraestrutura não tradicional e novas categorias de dispositivos de BYOD.

6 - IoT e diversificação vertical
Hoje, mais de 50% da atividade IoT é centrada em aplicações de consumo, transporte e Cidades Inteligentes, mas dentro de cinco anos todas as indústrias terão desenvolvido  iniciativas de Internet das Coisas.

7 - Internet das coisas e a Cidade Inteligente
Para construir Cidades Inteligentes, inovadoras e sustentáveis, em 2018 mais de 25% de toda a despesa dos governos em TI será dedicada à implantação, gerenciamento e percepção de valor de negócio da Internet das Coisas.

8 - IoT e sistemas embarcados
Também em 2018, 60% das soluções de TI desenvolvidas sob medida para alguns segmentos de negócio se tornarão open source, permitindo a formação de mercados verticais de Internet das Coisas.

9 - IoT e wearables
Dentro de cinco anos, 40% dos dispositivos vestíveis terão evoluído para uma massa de consumidores alternativa ao mercado de smartphones.

10 - IoT e Millennials
Em 2018, mais de 15% da população produtiva será de Millennials, geração que vai acelerar a adoção IoT devido à sua realidade de viver em um mundo conectado.

Vai um cookie?

A CIO usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Fechar anúncio

15