Home > Gestão

Será que você está adotando Blockchain da forma mais adequada?

Para muitos, ele continua a ser uma tecnologia em busca de um problema, afirma o Gartner

Lucas Mearian, Computerworld/EUA

19/02/2019 às 8h52

Foto: Shutterstock

Até aqui, líderes de TI que mergulharam no Blockchain estão implantando-o principalmente para fazer testes de prova de conceito  (PoC) que resolvem os mesmos problemas que um banco de dados convencional poderia resolver, alerta o Gartner.

Baseando-se em uma pesquisa com empresas de consultoria cujos clientes implantaram alguma forma de Blockchain, a consultoria descobriu que os CIOs estão usando a tecnologia para manutenção de registros compartilhados e rastreamento de ativos. E NÃO como um ledger descentralizado capaz de suportar trilhas de auditoria de dados imutáveis ​​atestando uma única versão da verdade transacional - missão central do Blockchain.

Para muitos, Blockchain continua a ser uma tecnologia em busca de um problema, afirma o Gartner.

Na opinião do Gartner, a percepção de que a tecnologia não está atendendo às expectativas de negócios resulta em uma desilusão palpável entre os líderes de TI decorrente do desalinhamento entre as expectativas com o Blockchain e os requisitos reais dos projetos corporativos. O Blockchain ainda não está maduro o suficiente para todos os casos de uso corporativo.

Baseado em uma tecnologia peer-to-peer, descentralizada (a DLT), O Blockchain apresenta consenso descentralizado, eliminação de autoridades centrais, tokenização ou ativos digitais, confidencialidade de dados, escalabilidade, gerenciamento, segurança de dados e privacidade. Além disso, permite o uso de contratos inteligentes ou ferramentas de automação comercial.

Um dos principais atributos do Blockchain é sua capacidade de criar um consenso descentralizado entre os usuários, em que quanto mais computadores ou usuários houver na rede P2P, mais seguros os registros estarão dos ataques; isso porque quanto mais nós forem necessários para obter um consenso (ou acordo) sobre uma transação, menor a chance de alguém ganhar o controle da maioria dos nós.

Derrotando o propósito do Blockchain
Embora o consenso descentralizado e a tokenização não sejam necessários para trilhas de auditoria compartilhadas de dados imutáveis ​​no DLT, eles são componentes importantes para minimizar a necessidade de verificação ou confiança daqueles que o usam para fins comerciais, de acordo com Avivah Litan, VP do Gartner e coordenadora da pesquisa.

Em um Blockchain privado ou permissionado - o mais típico aplicado para uso comercial - não há mecanismo de consenso descentralizado; na verdade, há nós limitados, e o administrador do DLT e o usuário ou usuários pré-autorizados na rede.

"Em 60% dos casos de uso que vemos através da pesquisa ... você não vê  utilização de consenso descentralizado", disse Litan. "Eles são todos Blockchains permissionados e têm um conjunto de regras sobre quem pode participar e quem pode adicionar dados. Em certo sentido,  derrotam o propósito do Blockchain."

Um Blockchain permissionado, segundo Litan, essencialmente evita a inovação primária da DLT - o consenso sem confiança, onde cada nó tem uma cópia atual do livro razão e cada nó tem uma assinatura verificável, criptográfica, confirmando sua autenticidade; não há autoridade central governando um Blockchain público.

Várias empresas lançaram a ideia de um Blockchain público ou aberto para uso comercial, incluindo Devvio e Ernst & Young, que criaram um protótipo de uma rede Blockchain pública a ser lançada este ano. O Blockchain público para negócios permitirá que as empresas realizem transações com qualquer número de parceiros em uma rede aberta, protegendo a privacidade de cada participante e seus dados, criptografando-os.

Por outro lado, alguns casos de uso de Blockchain permissionados alavancam sua estrutura de consenso descentralizada e suas trilhas de auditoria de dados imutáveis.

"Existem alguns casos de uso legal que realmente lançam mão da parte consensual e a tokenização do Blockchain", disse Litan. "Eles ainda não estão usando os milhares de nós [em um Blockchain público], mas poderiam crescer para coisas como a negociação de créditos de carbono e venda de energia entre consumidores através de uma bolsa administrada por serviços públicos. Esses parecem ser os casos de uso mais promissores".

Por exemplo. A NGA Human Resources adotou um Blockchain privado ou permissionado para proteger dados de folha de pagamento e tratar de questões de auditoria sobre o uso de uma única versão do banco de dados compartilhado internamente e com clientes (e eventualmente funcionários de clientes), segundo Litan.

A fornecedora de Blockchain da NGA, a Gospel Technology , fornece APIs que fazem interface direta com os sistemas de folha de pagamento dos clientes da NGA, eliminando a necessidade de transferências de arquivos FTP menos seguras, disse Litan.

A NGA estava usando o protocolo de transferência de arquivos (FTP) para gerenciar contas de folha de pagamento para clientes, uma configuração que tinha vulnerabilidades de segurança; principalmente, não fornecia dados criptografados. A NGA também tem auditoria interna e obrigações de conformidade para garantir que seus serviços sejam executados adequadamente, juntamente com obrigações externas de conformidade, porque qualquer um de seus clientes pode auditar seus serviços uma vez por ano usando um auditor de sua escolha, de acordo com Litan.

Agora, sempre que as transações do cliente são importadas para a plataforma Gospel, as principais transações são criptografadas e armazenadas como dados imutáveis ​​no Blockchain.

Como saber se você precisa de Blockchain
Em 2019, os líderes de TI que estejam tentando abraçar o Blockchain deverão enfrentar uma série de questões de tecnologia enquanto tentam entender como ele funciona, por que precisam dele e qual valor ele oferece sobre o banco de dados legado ou outras tecnologias. Eles também precisam descobrir quais casos de uso são mais apropriados. "Senão você acaba pensando, por que eu preciso disso?",  diz Litan.

Os CIOs e outros líderes de TI também precisam entender como integrar o Blockchain aos sistemas legados existentes, que hoje consistem principalmente em um conjunto de APIs e padrões de compartilhamento de dados.

Por ter sido criticado por vendedores e por analistas do setor de tecnologia por tanto tempo quanto uma bala de prata para problemas B2B, o Blockchain se juntou recentemente a outras tecnologias como assistentes virtuais, Deep Learning e plataformas de IoT na "Trough of Disillusionment" do Gartner.

O Gartner mede o amadurecimento da nova tecnologia por meio de um "Hype Cycle", um ciclo de vida baseado em gráficos que segue cinco fases: do Technology Trigger, quando surgem histórias de prova de conceito e interesse da mídia, até o Plateau of Productivity, quando ocorre - se a tecnologia for mais do que uma solução de nicho.

Entre esses cinco Hype Cycles está o Vale da Desilusão, quando o interesse diminui à medida que os pilotos e as provas de conceito falham e os provedores de tecnologia resolvem as falhas e melhoram a tecnologia para a satisfação dos usuários, ou acabam fracassando.

8 obstáculos
Em um post no blog da consultoria, Litan listou oito obstáculos que o Blockchain precisa superar para avançar e atingir as metas apontadas pelos provedores de tecnologia que o vendem como uma solução para praticamente qualquer necessidade de rede transacional internacional - de serviços transfronteiriços sem taxas pagamentos a rastreamento da cadeia de suprimentos.

O Blockchain está em seu inverno, de acordo com o Gartner. Mesmo assim, os líderes de TI precisam se preparar para "o inevitál impulso que terá assim que os casos de uso evoluírem e amadurecerem, resultando em benefícios significativos para a empresa", observou o Gartner.

Um dos maiores atributos do Blockchain em relação aos bancos de dados tradicionais é sua capacidade de resolver o "Problema de dois generais", no qual uma mensagem pode ser confiável mesmo que esteja sendo transmitida por uma rede aberta. O Blockchain consegue isso através do uso de assinaturas verificáveis ​​criptograficamente.

"Até a introdução desta inovação chave no Blockchain, este problema não havia sido resolvido "computacionalmente". Um banco de dados relacional não resolve esse problema", disse Litan.

Mesmo com os líderes de TI estejam céticos quanto à capacidade do Blockchain de resolver problemas de negócios, ele continua sendo o termo mais pesquisado no portal de pesquisa da Gartner, "à medida que as organizações buscam entender como essa tecnologia afetará seus processos de negócios no futuro".

O Gartner prevê que, até 2023, a blockchain apoiará o movimento global e o rastreamento de US $ 2 trilhões de mercadorias e serviços anualmente. E a tecnologia tem feito avanços entre as FinTechs, onde está sendo usada como um método para transações financeiras internacionais.

Para que CIOs e gerentes de TI determinem se o Blockchain pode resolver problemas de negócios, Litan disse que eles devem primeiro determinar se realmente precisam da tecnologia.

"Se você precisa de tecnologia de contabilidade distribuída, então pergunte a si mesmo se precisa dessas testemunhas para as transações de forma a adicionar segurança. Caso afirmativo, isso significa que você precisa de consenso, seja autorizado ou descentralizado", disse Litan. "Se você precisa disso, então você precisa usar o Blockchain.

Tags
Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail