Home > Carreira

Salve seu emprego diante da crise eminente

A ameaça de recessão econômica começa a criar insegurança no futuro profissional. Veja como agir

Meridith Levinson, CIO EUA

28/01/2008 às 15h17

alvonovo_int.jpg
Foto:

Quando a economia norte-americana entrou em colapso em 2001, as empresas rapidamente responderam com demissões massivas. Companhias aéreas fecharam centenas de vagas. Empresas grandes e pequenas de tecnologia cortaram pessoal. A taxa de desemprego passou de 4% em 2000 – o menor nível desde 1969 – para 6% em 2003, de acordo com o Bureau de Estatísticas de Emprego.

Agora, com a economia dos EUA se aproximando de uma nova recessão, o medo de demissões está renascendo e com fortes motivos:

- Na segunda-feira, foi divulgado o plano do Yahoo de reduzir em centenas o número de funcionários.
- A Spring-Nextel anunciou na semana passada que cortaria 4 mil trabalhadores da folha de pagamento.
- Ainda este mês, o Citigroup disse que acabaria com 4 mil empregos.

Demissões estão aparecendo na mesa dos funcionários por todos os lados enquanto a tinta vermelha domina o balanço de várias companhias. Ninguém está a salvo, independente da posição na companhia. Executivos seniores estão menos vulneráveis que os funcionários abaixo deles, mas podem ser casualidades da reestruturação.

Na verdade, Bear Stearns demitiu o CEO James Cayne no começo de janeiro. E mais de uma companhia demitiu seu CIO e o substituiu por um diretor de TI mais barato durante a última reviravolta da economia. (Obviamente, os executivos de alto nível geralmente saem com bons acordos.)

Independente se você é um CIO ou um técnico de help-desk, coachs dizem que você pode tomar algumas medidas para prevenir que a navalha corte sua garganta. A CIO listou algumas ações e comportamentos que você deve evitar para assegurar seu emprego. Algumas das recomendações podem parecer triviais e obviais, mas não as descarte. Elas podem salvar a sua pele. Saiba seu valor e o comunique.

“Se vocês está voando abaixo do radar, será o primeiro a ser eliminado,” diz Kirsten Dixson, autora de Distinção na carreira: Fique de fora construindo sua marca.

Dixson recomenda trabalhar em um relatório semanal que destaque o projeto ou os projetos em que está trabalhando, seu progresso em cada um deles e os indicadores-chave, e enviá-lo para seu chefe toda semana. Você também pode apresentar os mesmos dados em reuniões semanais com ele ou ela.

Mostrar seu valor em períodos econômicos desafiadores eleva sua posição no ranking dos executivos de TI contratados com base em seus relatórios de expansão de linhas de negócios. Se você é conhecido como um “CIO de crescimento e inovação” e você quer manter seu emprego na empresa, que está mais focada por passar pela tempestade econômica do que em inovar, você precisa provar que é adepto do corte de custos tanto quanto um gerador de idéias, diz Joanne C. Dustin, um veterano de 25 anos em uma mesma indústria e atual coach de carreira.

Dustin diz que CIOs precisam falar na eficiência e na redução de custos que suas inovações criaram assim como no aumento das vendas gerado. Sua companhia pode decidir que precisa de alguém com capacidades diferentes para a vaga de CIO, mas ao menos você fez o seu melhor.

Seja otimista

“Pessoas deixando a equipe para baixo e espalhando rumores são as primeiras da lista de demissões,” diz Dixson. “Notei através do contato com meus clientes que as pessoas dispensadas são, geralmente, aquelas que verbalizam suas insatisfações com o emprego ou a companhia há algum tempo.”

Se quiser manter seu emprego ou controlar quando o deixará, você deve refletir sobre sua atitude, diz Dixson, mas a percepção de seus colegas a seu respeito como o “reclamão” pode não mudar tão rápido quanto sua negatividade. Dixson recomenda uma media mais assertiva: Faça uma reunião com seu chefe e recomende formas de melhorar a situação de seu departamento ou da empresa. Se está sempre representando o advogado do diabo e está preocupado com seu emprego, ela recomenda que você encontre uma forma gentil de expressar suas opiniões.

Se ser positivo em relação a seu emprego ou à companhia é impossível, Dixson aconselha os profissionais a procurarem por outra oportunidade. “O fato de você estar fazendo algo sobre sua situação melhora sua visão,” diz ela. Saber que está no caminho para outra coisa também torna seu atual emprego mais tolerável.

Seja um jogador de equipe

Se dar bem com os outros é critico quando os corte estão para chegar, especialmente para profissionais de TI que tendem a serem independentes, diz Dustin, que trabalhou como programador, gerente de projeto e de sistemas. “Esses momentos requerem cooperação, flexibilidade e um desejo de ir um pouco mais além,” diz ela.

Ed Longancre, vice-presidente de TI da Amerisafe, diz que profissionais de TI que “simplesmente sentam em suas mesas ou na sala de servidores e cumprem o 8 por 5 estão em risco”. O problema de esconder-se, diz ele, é que passa a impressão de não estar interessado na organização.

Longanacre também afirma a importância da comunicação: “Se você tem uma excelente performance mas não se dá bem com as pessoas e está sempre causando problemas, não vale o esforço,” diz ele. “Se a organização está diminuindo, aqueles que se manterão têm que trabalhar bem juntos.”

Faça um sacrifício

Alguns CEOs de bancos relatam que depois da crise do sub-prime desistiram dos bônus para manterem a reputação e o emprego.

Mark Cummuta publicou em um recente post de seu blog na CIO.com que desistiu de diversos pagamentos enquanto era CTO de uma companhia de softwares que passou por momentos difíceis depois do 11 de setembro para que a empresa tivesse dinheiro para pagar a equipe. Ele disse também que pagou por servidores e equipamentos de rede usando seu cartão de crédito pessoal para certificar-se de que a empresa responderia às necessidades dos clientes.

Desistir de um bônus, esquecer de alguns cheques de pagamento e adquirir suprimentos com seus recursos mostra dedicação. Mas seja cauteloso em ofertar um corte de salário, diz Dustin. Corre o risco de ter seu valor diminuído se aceitar menos, diz ela. “Você está ganhando o que está ganhando porque vale,” acrescenta.

Afie suas habilidades

Patricia Stepanski Plouffe, presidente da Consultoria de Gerenciamento de Carreira em Worcester, Mass., aconselha os trabalhadores a se informarem mais sobre suas companhias em momentos difíceis.

Trabalhadores precisam entender o negócio da companhia, seus desafios e diferentes funções. Quanto mais souberem, mais versáteis e valiosos serão. Ela recomenda que os trabalhadores usem oportunidades para participarem voluntariamente de comitês ou eventos para conhecer outras pessoas do negócio.

Longanacre valoriza a importância do aprendizado continuo para os trabalhadores de TI e a maior ligação com o negócio. Servir como elo é particularmente impressionante porque esse papel geralmente não tem a  ver com o dia-a-dia da equipe de TI. Aqueles que conseguem exercê-lo demonstram habilidade de construir relacionamentos com funcionários fora da TI, explicar as direções estratégicas da área, entender as necessidades das unidades de negócio e comunicá-las para o grupo de TI – coisas que aumentarão seu valor individual para a companhia.

Não espalhe rumores, mas ouça as fofocas

Os fofoqueiros estão no topo da lista de cortes, então faça disso seu alerta. Mas, apesar de não ser bom fazer fofoca, pode ser uma boa idéia ouvi-la.

Estar atento ao que está acontecendo na companhia, incluindo toda a fofoca, pode ajudá-lo a antecipar mudanças, diz Stepanski Plouffe. “Se existem rumores de que seu departamento sofrerá perdas, você pode identificar outras áreas da companhia para onde pode transferir suas habilidades,” diz ela.

Não seja condescendente com as unidades de negócio

Longanancre diz que o gerente de infra-estrutura que trabalhava para a Amerisafe quando ele entrou para a empresa, em abril de 2000, sustentou uma atitude “eu sei o que é melhor para o negócio” que não combinava com o chefe de Longanancre, o vice-presidente de TI anterior da companhia. “Meu predecessor agüentou aquilo seis meses e depois se livrou dele.”

Gerentes que não lidam com uma equipe arrogante durante o período de crescimento, certamente não vão tolerar esse comportamento durante a recessão.

Lidere

“Dos executivos, é esperado que estabeleçam a visão e mostrem às pessoas a situação da empresa,” diz Dixson. “Essa não é a hora para se trancar no seu escritório. Mostre capacidade de decisão, força e integridade. Mostre que você está combatendo a fofoca.”

Mostre entusiasmo pelos projetos

“O projeto em que está trabalhando no momento é muito importante porque você é tão bom quanto o último projeto em que trabalhou,” diz Dixson. E vamos encarar o fato: Essa é a forma como decisões pessoais são tomadas.

Se adapte para mudar rápido

“Se você desenvolver uma atitude de que nada vai ficar do mesmo jeito nunca e que a sua organização e seu emprego sempre estarão em fluxo, pode ser mais fácil superar as fases difíceis,” diz Stepanski Plouffe. “Esteja pronto para quando a mudança vier.”

Não deixe seu emprego sem esses materiais! Uma lista

Se você realmente for demitido, certifique-se de pegar a seguinte documentação antes de passar pela porta:

1- Referências escritas de colegas de trabalho, superiores e subordinados.
2- Avaliações de desempenho
3- Cartas e e-mails de clientes expressando retornos positivos
4- A descrição do seu emprego

Fonte: Patricia Stepanski Plouffe

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail