Home > Gestão

Saiba quais serão as prioridades de gastos em TI para 2019

Da análise de dados à cibersegurança e à experiência do cliente, é aqui que os CIOs direcionarão seus orçamentos de TI este ano

Sharon Florentine, da CIO (EUA)

08/04/2019 às 9h45

Foto: Shutterstock

A função de CIO continua a crescer, graças em grande parte à transformação digital, com executivos de TI adicionando novas responsabilidades, variando de análise de dados a desenvolvimento de produtos, de acordo com o levantamento Situação do CIO em 2019. Para atender essas metas e continuar a inovar, os líderes experientes de TI devem decidir cuidadosamente quais investimentos de tecnologia devem ser feitos para impulsionar a inovação, aumentar a participação no mercado, desenvolver e implantar novas soluções e atender às necessidades dos clientes.

Mas onde estão os líderes de TI investindo para receber o maior retorno por seu investimento? Nossa pesquisa com 683 chefes de TI lança luz sobre as iniciativas de negócios que serão mais significativas na condução de investimentos em TI neste ano.

Aqui, analisamos esses números e discutimos com vários CIOs sobre os tipos de tecnologias em que eles investirão para concretizar as iniciativas de negócios deste ano.

As prioridades de negócios que impulsionam gastos de TI

De acordo com nossa pesquisa de 2019 sobre a situação do CIO, aumentar a eficiência operacional e reforçar a segurança cibernética estão entre as iniciativas mais significativas que devem guiar o investimento em TI em 2019, com metas relacionadas ao crescimento, como melhorar a lucratividade e facilitar o desenvolvimento de novos produtos, como a transformação de processos de negócios e a introdução de novas receitas digitais, e também a chave para as 10 principais respostas:

1. Aumentar a eficiência operacional: 40%

2. Aumentar as proteções de segurança cibernética: 40%

3. Melhorar o serviço ao cliente: 35%

4. Crescimento dos negócios: 31%

5. Transformar os processos de negócios existentes: 31%

6. Melhorar a rentabilidade: 24%

7. Otimizar a produtividade do trabalhador: 20%

8. Introduzir novos fluxos de receita digital: 15%

9. Atender aos requisitos de conformidade (GDPR etc.): 15%

10. Aprimorar/habilitar o novo desenvolvimento de produto: 13%

Para a nuvem

Para Anthony Peters, diretor de TI da Frank, Rimerman and Co., uma empresa de contabilidade, consultoria e compliance de San Jose, Califórnia, a busca por maior eficiência operacional e melhor experiência do cliente se traduzirá em maiores investimentos na nuvem.

“Estamos focados na nuvem para aproveitar a capacidade de transferir aplicativos para fácil implantação, gerenciamento e escalabilidade”, diz ele. “Tudo o que podemos fazer para facilitar esse processo ajudará na eficiência e, a partir disso, na experiência do cliente”.

Mas, como a maioria das organizações atualmente, os gastos com segurança cibernética continuam sendo vitais para a empresa. “Segurança é sempre uma preocupação, especialmente em nossos negócios, e por causa dos clientes de alta tecnologia que atendemos”, diz Peters.

Quanto ao crescimento futuro, Peters e sua equipe estarão investindo em análise para ajudar a facilitar a evolução da empresa em uma organização orientada a dados.

“Vamos aproveitar a análise de dados para prever a direção futura da empresa. Já temos alguns recursos de visualização de dados, mas queremos levar isso ao próximo nível e nos ajudar a melhorar a inovação de serviços, a eficiência operacional e a experiência do cliente”, diz Peters.

Análise no centro

Como muitos líderes de TI, Brandon Jones está embarcando em uma jornada digital. O CIO de Assurance for Employees of Public Agencies (WAEPA), uma organização sem fins lucrativos que facilita o acesso a seguros para funcionários federais dos EUA, diz que está abordando a transformação digital por meio de uma abordagem de quatro pilares.

“Aumentaremos as proteções de segurança, melhoraremos a experiência do cliente, transformaremos nossos negócios existentes e ampliaremos os negócios construindo uma estrutura apoiada em relações com quatro pilares: nossos clientes, nossos parceiros, nossos funcionários e IoT [internet das coisas]”, diz Jones.

No centro dessa estrutura está o que Jones chama de análise orientada a resultados de negócios, ou BODA. “Com base nas práticas recomendadas e na contribuição de nossos parceiros estratégicos, investimos realmente no uso de análises para entender como esses pilares estão conectados e as relações entre eles”.

Este esforço incluirá análises adaptadas para melhorar a experiência do cliente, a integração de sistemas e os sistemas de back-office e core, diz Jones. A análise também ajudará a WAEPA a entender melhor as necessidades de seus clientes e parceiros.

Para atingir esses objetivos, Jones direcionará investimentos para análise de dados, tecnologias de nuvem e segurança, bem como ferramentas de experiência do cliente, como inteligência artificial. “A análise de dados, a tecnologia de nuvem e a segurança cibernética são realmente importantes, mas também estamos analisando a tecnologia de experiência do cliente, como chatbots e outras soluções com inteligência artificial voltadas para o cliente”, diz ele.

Modernizando processos

Para a cidade de Los Angeles, a modernização dos sistemas empresariais essenciais continua sendo uma prioridade, então 2019 será voltada para a eficiência operacional, otimizando as práticas de negócios e protegendo os dados do público, diz Joyce Edson, vice-CIO da Agência de Tecnologia da Informação de Los Angeles (ITA).

Como uma organização governamental, o mandato da cidade é fornecer serviços públicos de maneira eficiente, rápida e segura, diz Edson. Portanto, os esforços de TI se concentrarão na melhoria da prestação de serviços e no aumento da eficiência na prestação desse serviço, bem como na proteção do público e dos constituintes que atende, juntamente com seus dados associados.

O desafio de Edson é alcançar esses objetivos diante de uma crise de talentos, com um grande número de trabalhadores mais velhos saindo do mercado de trabalho e deixando muitos cargos vagos por todo o governo da cidade. Isso significa aproveitar as soluções de tecnologia para simplificar e automatizar certas tarefas e processos, bem como otimizar a produtividade, diz ela.

“A cidade de Los Angeles, como muitas organizações hoje, está enfrentando os efeitos da entrada da geração Baby Boomer na aposentadoria (Tsunami de Prata) e o potencial para um grande número da força de trabalho atual deixar os cargos da cidade”, diz Edson. Mas Edson também vê isso como uma oportunidade para rever e melhorar os processos de negócios, um esforço que exigirá investimentos em tecnologia para documentar fluxos de trabalho e processos, e para fornecer assistência no preenchimento da lacuna da força de trabalho.

E como o outro mandato importante do governo é o uso responsável do fundo público, Edson e sua equipe estarão investindo em tecnologia para facilitar uma maior produtividade do trabalhador e melhorar a qualidade e a eficiência da prestação de serviços por meio desse fundo público.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail