Home > Gestão

Reorganização da TI impulsiona negócios da Nexa Resources

Com mudanças na estrutura, departamento de tecnologia realizou 100% das entregas de projetos no último ano

Luiz Mazetto

20/03/2019 às 22h04

Foto: Nexa/divulgação

Menos controle e mais suporte. É assim que o CIO da Nexa Resources, José Antonio Furtado, vê o papel do líder de TI moderno em meio à ampla disponibilidade de soluções tecnológicas no mercado. “O CIO deveria se voltar mais para como gerar valor aos negócios, e em como facilitar e trazer novas abordagens e tecnologias para a companhia”, afirma.

Para o executivo, que é formado em Engenharia de Produção e possui especialização em Gestão de Negócios, sempre foi natural enxergar a Tecnologia da Informação (TI) como parte dos negócios. “Esse alinhamento faz parte do dia a dia”, diz Furtado, que aponta a facilidade com os negócios como diferencial em sua carreira.

A entrada no mercado de tecnologia aconteceu no fim dos anos 1990, após ser chamado para trabalhar em um projeto de implementação de soluções SAP, que foi finalizado com sucesso em 2001. Depois disso, foi convidado a ficar na área.

Desde então, já realizou diversos cursos específicos e passou por empresas como Usiminas, em que foi Superintendente de TI, e Grupo Libra, em que atuou como CIO, até chegar à Nexa Resources, há cerca de quatro anos, quando a companhia ainda se chamava Votorantim Metais – a mudança de nome aconteceu em 2017 após a abertura de capital.

E foi com essa visão da tecnologia como parte dos negócios que Furtado venceu o Prêmio Executivo de TI do Ano 2019, organizado pela IT Mídia, na categoria Siderurgia, Metalurgia e Mineração, por meio de um projeto de reorganização da área de TI da empresa, que conta atualmente com cerca de cem profissionais, incluindo funcionários e terceirizados.

Entre outras coisas, o programa em questão foi desenvolvido com o objetivo de levar a empresa a avançar nos conceitos de “Indústria 4.0” e “Digital Workplace”, de modo a potencializar os objetivos estratégicos corporativos.

Antes organizado por áreas técnicas, o departamento de tecnologia da Nexa passou a ser dividido em quatro grandes gerências, incluindo uma equipe de estratégia e uma de relacionamento com o negócio. E a mudança já trouxe bons resultados no último ano, revela.

“No ano passado, por exemplo, entregamos 100% dos projetos previstos, tanto em termos financeiros, quanto físicos. Agora, os projetos estão mais alinhados às necessidades dos clientes”, afirma.

De acordo com Furtado, um dos desafios consistiu em montar um time de TI capaz de realizar essas entregas, e que esteja mais preocupado em como usar as tecnologias, em vez de como controlá-las.
“A questão é como gerar mais e mais negócios para as áreas de negócios usando essas facilidades com as novas tecnologias.”

Juntamente com a formação da nova TI, também foi criada uma iniciativa chamada de inovação com foco em tecnologia chamada User Experience (UX). Com um ciclo anual, o projeto coleta ideias de toda a empresa para gerar inovações tecnológicas em prol da evolução do negócio ou resolução de problemas.

Para o futuro, Furtado diz que a companhia pensa em investir fortemente em novas tecnologias como machine learning (Aprendizado de Máquina), deep learning (aprendizado profundo) e robôs.

O executivo, que projeta um futuro com robôs e seres humanos trabalhando lado a lado, também destaca a necessidade de contar com uma espécie de “RH para robôs”. “Estamos tomando cuidado para desenhar toda uma arquitetura de governança de robôs”, explica.

Finalistas do prêmio Executivo de TI do Ano 2019 - Siderurgia, metalurgia e mineração

1º Jose Antonio Furtado, CIO da Nexa

2º Marcos Casado Castaño, CIO da Embraco

3º Eduardo Magalhães, diretor de TI, RH e Suprimentos da Kinross Gold Corporation

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail