Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Salvar Escolher Pasta
Relacionamento com o cliente via WhatsApp cresce 500% com pandemia
Home > Tendências

Relacionamento com o cliente via WhatsApp cresce 500% com pandemia

Conversas entre usuários e empresas pelo aplicativo cresceram exponencialmente à medida que as medidas de isolamento social eram sendo tomadas

Da Redação

22/05/2020 às 10h19

Foto: Shutterstock

Os hábitos dos clientes e das empresas vem mudando diante da pandemia da Covid-19. Com a pandemia, a relação entre eles precisou de uma atenção especial à medida que as pessoas se adaptavam ao isolamento social. Canais de atendimento digital estão desempenhando um papel relevante durante esse período em que as empresas precisam se adaptar para dar continuidade aos negócios. Um estudo da Aivo, empresa especializada em soluções de atendimento ao cliente com Inteligência Artificial, revelou que houve um aumento de 500% no número de conversas pelo WhatsApp no mês de abril passado em relação a fevereiro.

Com equipe reduzida durante essa contingência, incapacidade de fornecer suporte físico e linhas de contato direto saturadas, os canais digitais como chat on-line, WhatsApp ou Facebook Messenger têm sido cruciais para que os agentes continuem atendendo os clientes. Além do crescimento expressivo em abril, já houve um aumento de 51% no volume geral de conversas entre empresas e usuários em março deste ano em comparação ao mês anterior, diz o estudo.

Os dados levantados na pesquisa realizada pela Aivo, que opera em 22 países, levou em consideração 120 empresas de médio e grande porte, de setores como serviços bancários e financeiros, comércio eletrônico e consumo de massa, educação, telecomunicações, saúde e entretenimento. Todos clientes da empresa. De acordo com o estudo, a maioria dos entrevistados está fazendo uma mudança estrutural em sua estratégia de serviços devido à expansão do coronavírus e às limitações por parte dos clientes em decorrência da quarentena.

O levantamento mostra que antes da pandemia, muitos tinham um modelo de canal de atendimento dividido em 70% via telefonia e 30% via mensagens on-line. Quase 20% dessas empresas fizeram investimentos nessa área no início da crise. Não apenas pela dificuldade de migrar o atendimento telefônico dos agentes para um programa de trabalho em casa, mas também pela necessidade de se adaptar à situação e inovar. Como consequência, os canais digitais tiveram crescimentos médios de tráfego entre 200% e 300% para essas empresas e até 800% nos casos de alguns clientes em abril em relação a fevereiro, deste ano.

CIO2503

E-book por:

“Hoje estamos passando por uma profunda transformação. A economia colaborativa, que transformou a maneira como vivemos, viajamos e operamos, está longe. Agora, estamos entrando em uma economia de isolamento. O novo coronavírus está impactando muitas indústrias. As empresas estão modificando rapidamente os seus modelos de marketing, operações e negócios para atender melhor os clientes em tempos de crise. É mais importante do que nunca agir com flexibilidade e empatia nos canais de atendimento, que sejam mais convenientes aos clientes", afirma Martín Frascaroli, CEO e Fundador da Aivo.

Os avanços tecnológicos vivenciados pelos consumidores na última década, quando ainda não havia uma crise global de saúde e econômica, causaram mudanças substanciais em seu comportamento, diz a empresa. A crescente popularização do uso de canais digitais é uma dessas grandes transformações: os usuários únicos desses meios de contato cresceram 65% em 2019 em relação a 2018, de acordo com um outro estudo global da Aivo.

Esse mesmo levantamento aponta que a tecnologia e o uso dela melhoram com o tempo. O percentual de eficácia das soluções de chatbot aumentaram de 73% para 86% (+ 13%) entre 2018 e 2019.

O estudo também mostra que a grande maioria das consultas de clientes aos chatbots é respondida de maneira eficaz. De fato, apenas 12% das conversas dos clientes da Aivo via chatbots chegam a ser transferidas para os agentes. Em média, os chatbots têm sido capazes de responder a 88% das consultas dos clientes com eficiência.

Perspectivas

O relatório, que analisou as mudanças no atendimento ao cliente durante a atual conjuntura, também inclui as percepções e opiniões de grandes empresas e líderes de opinião, como UHUU, Disal, BBVA, Falabella, Movistar, Mabe, Zendesk, Mastercard, Genesys, Customer Bliss, Universidad EAN e Teleperformance.

“A principal tendência de 2019 foi o despertar para o conceito de ‘persona’. A persona, e não mais o cliente, torna-se o centro de todas as ações: ver os clientes como pessoas é disruptivo”, declarou Éthel De Almeida Ribas, Coordenador de Experiência do Cliente da UHUU.

“Em 2020, acreditamos que a integração on-line e off-line se tornará cada vez mais forte. Os clientes serão atendidos igualmente em todos os canais”, disse Roberto Maruyama Junior, Gerente de TI da Disal.

Tags
Vai um cookie?

A CIO usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Fechar anúncio

15