Home > Carreira

Profissão de cientista de dados é a mais procurada do século 21

Ciência de dados foi considerada a profissão mais sexy do século 21. Tema será levado para o palco do IT Forum X

Da Redação

15/10/2019 às 18h00

Foto: Shutterstock

Nos últimos anos, uma das profissões que mais tem se destacado no mercado é a de cientista de dados. E não é à toa que, em 2012, a especialidade recebeu o título de trabalho mais sexy do século 21.

De acordo com o Fórum Econômico Mundial, os analistas e cientistas de dados seguirão como os profissionais mais relevantes do mercado pelo menos até 2022. Essa tendência é motivada pela necessidade de transformação digital e, consequentemente, pelo crescente uso de dados para que os negócios se mantenham competitivos a longo prazo.

Considerados o novo petróleo, os dados permitem melhores tomadas de decisão nas empresas, gerando insights, aumento da produtividade, redução de custos e estabelecimento de estratégias. Para isso, o cientista de dados utiliza as informações para prever vendas e tendências de mercado, melhorar a experiência do cliente e direcionar o lançamento de novos produtos ou serviços.

É através da ciência de dados que as organizações estão se tornando cada mais capazes de identificar potenciais e resolver problemas, garantindo o desenvolvimento de planos de negócios assertivos e o aproveitamento de oportunidades para os mais diversos setores.

Levando em consideração a importância do cientista de dados hoje, sua satisfação com o trabalho, média salarial e número de vagas disponíveis, um levantamento da Glassdor o classificou como o profissional mais feliz do mercado.

Pensando em esclarecer a necessidade de uso de dados para as empresas e de que forma a especialidade contribui para o desenvolvimento dos negócios, especialistas abordarão o tema durante o painel "Digital e analytics: inseparáveis na nova dinâmica dos negócios", que acontecerá no dia 16/10 durante o IT Forum X. A 7ª edição do evento receberá mais de 250 palestrantes em diferentes palcos e praças de conteúdo. O tema principal desse ano será “Eu 5.0”, que busca posicionar o ser humano no centro da discussão tecnológica.

Para falar sobre o assunto estarão presentes

Cássio Pantaleoni, SAS Brasil

Cássio Pantaleoni é graduado e mestre em Filosofia pela PUC-RS e possui especialização em Finance & Accounting na The Wharton School at the University of Pennsylvania. Tem mais de mais de 30 anos de experiência no setor de tecnologia, atuando em empresas como SAP, Oracle, BEA Systems e TIBCO Software, até chegar ao SAS em 2008. O executivo assumiu a presidência da empresa no Brasil em agosto de 2017.

Roberto Carvalho, Dynatrace

Roberto de Carvalho atua no mercado de TI há 25 anos com passagens em grandes consultorias e fabricantes como Gartner Group, Informix Software (IBM), Business Objects (SAP), CPMBraxis (Capgemini) e Compuware. Atualmente, está à frente das operações da Dynatrace Software no Brasil e América do Sul como Vice-Presidente para a região. Nesse papel, tem contribuído nas estratégias de grandes projetos de transformação digital, gerenciamento de nuvens corporativas, AIOps e Gestão da Experiência Digital tanto de empresas B2B como B2C em diferentes setores. Graduado em Administração de Empresas e Comunicação Social, possui especialização em gerenciamento de produtos de software pela UC Berkeley.

Fabio Metta, BR Properties

Graduado em Sistemas de Informação, o executivo soma 22 anos de atuação em Gestão de TI. Tem participação como keynote em eventos nacionais e internacionais, especialista nas principais tendências tecnológicas: Inovação, Transformação Digital, Experiência de Usuário, Analise de Dados, Inteligência de Negócios, Computação em Nuvem, Segurança da Informação, Comunicações Unificadas, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Possui longa experiência em simplificação de processos, criação de novos modelos de negócios, condução de projetos, gestão de serviços, orçamentos e plano diretor, assegurando que os investimentos de TI impulsionem a estratégia da companhia.

Celso Athayde, Favela Holding

CEO da Favela Holding, Celso Athayde chegou a morar nas ruas e em abrigos públicos, até se firmar com a família na Favela do Sapo, na zona oeste do Rio de Janeiro. O executivo criou a Central Única das Favelas (CUFA) – a maior organização não governamental focada nas favelas do Brasil e presente em mais de 15 países. Em 2013, fundou a Favela Holding, a primeira holding social que se tem notícia. Atualmente, Celso atua como executivo social e CEO das 21 empresas do grupo, todas com ações em favelas e periferias e foi eleito pela Revista Istoé Dinheiro o Empreendedor Social de 2017. Celso é autor de sete livros, alguns deles best-sellers, como “Falcão – Meninos do Tráfico” e “Um País Chamado Favela”. Criador do conceito “economia paralela”, palestrou em grandes universidades, como Harvard, Columbia, Emet e London School of Economics.

O painel será mediado por Flávio Xandó, formado em engenharia, administração e MBA em Gestão estratégica de TI na FEA-USP. Na sua empresa FX Soluções, atua como consultor há mais de 25 anos em projetos de diagnótico de TI, sistemas, cloud, segurança e no jornalismo de tecnologia. Escreveu por 10 anos no Caderno de Informática do jornal O Estado de São Paulo (1995 a 2005), revistas como PC World, Revista do Windows, PC Master e como colaborador de sites como ForumPCs (colunista 2005-2012), ITWEB, atual colunista do ITFORUM365 e dos seus próprios sites FXREVIEW e PAPOFÁCIL.

O IT Forum X acontecerá nos dias 16 e 17 de outubro no Transamérica Expo Center, em São Paulo. Outros temas como big data, metodologias de aceleração, cidades inteligentes, 5G e conectividade serão abordados durante o evento. Para mais informações, clique aqui.

 

Tags
Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail