Home > Tendências

Para avançar na carreira, pratique o desapego e não olhe para trás

Situações mudam constantemente, nada é para sempre. É importante não pensar no passado. Em vez disso, aprenda a seguir em frente

Sue Weston, CIO EUA

06/06/2019 às 7h00

Foto: Shutterstock

Você já pensou sobre o que leva as pessoas a agirem de certas formas? Às vezes me pego tentando entender o comportamento de outras pessoas, especialmente quando as coisas não saem como eu esperava. Em vez de olhar para frente, fico introspectiva. Eu questiono como eu poderia ter lidado melhor com a situação. E suponho (erroneamente) que as coisas teriam sido diferentes. Ao internalizar a situação, assumi a responsabilidade. Mas espere – isso deveria ser minha preocupação? Olhando para trás, percebo que estava analisando e assumindo a responsabilidade de outra pessoa. Eu precisava aprender a voltar atrás.

Aprenda a desapegar

Não reflita sobre um problema, distancie-se e passe por ele. Nos negócios, após uma conversa difícil, os homens parecem seguir em frente concentrando-se nas atividades. Em contraste, as mulheres tendem a permanecer no passado repetindo interações, internalizando e levando comentários. As mulheres ruminam onde os homens entram em ação. Se as mulheres estão mais preocupadas em manter o relacionamento ou se sentirem pessoalmente responsáveis, pensar no passado leva à insegurança, ao estresse e à inação.

Como é impossível mudar o passado, a análise excessiva é um uso improdutivo do tempo. Aprenda a se distanciar da situação e não assuma responsabilidade pessoal. Você pode possuir a solução, mas sem culpa. Use erros para expandir seu conhecimento e experiência. Reescreva esses momentos de aprendizagem em histórias de guerra e compartilhe livremente a responsabilidade. Nunca se desculpe. Talvez você pudesse ter evitado uma situação ruim, mas você estava sozinha?

Reconheça que as pessoas agem de acordo com seus melhores interesses

(E algumas pessoas podem ser simplesmente más). A maioria das pessoas simplesmente quer ser reconhecida e, como resultado, suas ações podem ser egoístas. Eles podem dominar uma conversa ou acreditar que uma ideia é importante. Segundo a teoria da comparação social, as pessoas se julgam em comparação com outras. Para chegar na frente, elas precisam colocar alguém para baixo. O comportamento resultante não considera a outra pessoa e leva a comentários descuidados que podem ser prejudiciais.
Somado a isso, está o desejo de se conformar perante a autoridade. Em um famoso estudo de obediência, os sujeitos seguiam instruções, administrando choques elétricos apesar dos gritos do paciente.

O desejo das pessoas por aprovação e reconhecimento pode ser mais importante do que sua sensibilidade para com outros. Para crescer no ambiente trabalho, você precisa ser forte e se defender. Não se preocupe sobre por que as pessoas agem da maneira delas.

Não assuma a responsabilidade alheia

Ao assumir a responsabilidade por outra pessoa, você permite que ela se esquive da responsabilidade. Pense no Peter Pan, que continua sendo um garoto que se recusa a crescer e a aceitar a responsabilidade, encantador mas não confiável. Recue e deixe que outras pessoas se responsabilizem por seus trabalhos e erros. Reflita de novo... você já fez parte de um projeto de equipe com alguém que não fez sua parte? Pode ser frustrante, e se você compensar e fazer o trabalho deles, estará reforçando esse comportamento.

Ao longo de minha carreira, lembro-me de ter passado a noite terminando o trabalho de outra pessoa para concluir um projeto a tempo. Meu trabalho produziu resultados, mas foi um ato ingrato, porque a outra pessoa recebeu crédito por um trabalho bem feito. Eu pensei que estava agindo pelo bem da equipe, mas aprendi que ser generosa me fazia passar despercebida e dispensável.

Seja dona do seu trabalho (saia das sombras). As mulheres tendem a subestimar suas realizações e minimizar suas conquistas. Muitas mulheres bem-sucedidas sofrem da síndrome do impostor, o que faz com que duvidem do valor de suas realizações e presumam que, se conseguem fazer alguma coisa, deve ser fácil. Nunca subestime suas contribuições. Pense no que seus colegas homens fariam. Nunca trabalhe nos bastidores. Apesar do ditado “não há 'eu' em equipe”, sempre leve crédito pelo seu trabalho, seja dona do seu sucesso e nunca olhe para trás!

Levei anos para perceber que não há nada absoluto. Apesar de minha tendência de classificar as coisas como ruins ou boas, essas distinções não são reais. Situações mudam constantemente, nada é para sempre. É importante não pensar no passado. Em vez disso, aprenda a seguir em frente, ajuste seu raciocínio para fornecer resultados de alta qualidade e não sinta a necessidade de assumir a responsabilidade por outra pessoa. Assuma seu trabalho com orgulho. Recue para deixar que os outros contribuam.

Então, fique firme e seja notada!

 

Tags
Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail