Home > Gestão

Para 350 CIOs globais, multicloud não é opção tudo ou nada para aplicativos

De acordo com estudo, 66% das empresas enfrentam dificuldades para integrar e gerenciar aplicativos em ambientes de terceiros

Da Redação

13/11/2019 às 18h07

Foto: Shutterstock

A Kemp, empresa especializada em soluções e serviços de balanceamento de cargas e controle de entrega de aplicativos, publicou o seu relatório "Condições das Experiências dos Aplicativos" (State of AX 2019). Para compreender como a demanda e a adoção de mudanças na infraestrutura em nuvem e em multicloud estão transformando as experiências de aplicativos, a companhia levou em consideração as descobertas feitas com 200 entrevistados dos EUA e do Reino Unido pela ZK Research, bem como informações de uma pesquisa realizada pela Forrester Consulting com 150 líderes de TI e de negócios em cinco mercados da APAC (Ásia-Pacífico).

De acordo com o estudo, 66% das empresas enfrentam dificuldades para integrar e gerenciar aplicativos em ambientes de terceiros. Por outro lado, os líderes de TI afirmam que 50% das cargas de trabalho dos aplicativos não serão migradas para ambientes em nuvem pública nos próximos três anos.

Conforme apontado pelo relatório, os aplicativos serão gerenciados em ambientes locais e multicloud. A migração para a nuvem não faz parte dos projetos de todas as companhias. Segundo os pesquisadores, diversas organizações não pretendem migrar os aplicativos para a nuvem, e outras pretendem adotar uma abordagem por etapas, por meio de ambiente híbrido.

Vale destacar que, hoje, a maioria das organizações está lidando com desafios em relação às experiências de aplicativos em multicloud. Apesar da arquitetura multicloud eliminar a dependência das empresas de provedores de nuvem, há obstáculos importantes quando se pensa na experiência do aplicativo ao se utilizar duas ou mais nuvens públicas e uma infraestrutura de nuvem privada.

CIO2503

E-book por:

"Quando se trata da máquina multicloud, o foco parece estar centrado nas plataformas de hiper escalabilidade para o desenvolvimento de aplicativos, ao invés de entregar aqueles que os clientes atualmente desejam, oferecendo uma experiência ideal para o usuário final com seus apps", explica Peter Melerud, cofundador e Diretor de Estratégia da Kemp.

“A única constante que resta é a necessidade de uma interconexão de balanceamento de carga altamente flexível, para não apenas servir como base para experiências de aplicativos, mas também para ser um canal para o ciclo de vida da adoção da nuvem.”

Sobre o assunto, o relatório afirma que os balanceadores de carga de hardware ainda são os mais utilizados para as empresas. No entanto, os entrevistados demonstraram o movimento de migração para soluções virtuais e em nuvem.

“Cada vez mais, as empresas estão implementando arquiteturas em nuvem híbrida e em multicloud para apoiar iniciativas digitais e de transformação de TI. 35% dos gerentes de rede dizem que as iniciativas em nuvem pública são os principais impulsionadores de suas decisões hoje, e outros 35% dizem que as iniciativas em nuvem privada são os principais propulsores. Além disso, em média, as empresas afirmam que 45% de seu tráfego de rede é atribuível a aplicativos em nuvem pública”, observa Shamus McGillicuddy, Diretor de Pesquisa da EMA.

Tags
Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail