Home > Carreira

O ‘pensar fora da caixa’ exige disciplina e método

Confira 5 atitudes que o ajudarão a estar preparado para esse exercício

Da Redação

15/01/2019 às 16h06

Foto: Shutterstock

Do ponto de vista dos negócios, não há nada melhor do que celebrar a passagem de ano com vista à inovação e criatividade. Mas é difícil fazer o pensamento fluir para longe das ideias convencionais em uma rotina corrida em que o piloto automático dá as cartas.

A solução? O velho e bom exercício do "pensar fora da caixa”. O conceito se resume a ir em busca de insights diferentes para solucionar os desafios da empresa. Sair do senso comum e abrir-se para alternativas que nem sempre são encontradas no “caminho padrão”.

Flora Alves, CLO da SG Aprendizagem Corporativa e idealizadora do Trahentem, metodologia que ajuda os CPFs por trás do CNPJs a redesenhar os seus processos de aprendizagem corporativa, fez uma lista com cinco pontos imprescindíveis para conseguir começar a de fato “pensar fora da caixa”.

1. Amplie o repertório
O cérebro humano está condicionado a resolver um problema pela saída segura. Então, a primeira opção que surge na mente é a que quase sempre se utiliza – o que não significa ser a mais criativa. Nesse contexto, é fundamental ampliar o repertório mental. Para que uma renovação de mindset aconteça, é necessário realizar tarefas que fujam do cotidiano como escutar a um estilo musical diferente, experimentar um prato novo na hora do almoço ou assistir a um filme que você nunca havia considerado ver antes. No fim, os pontos fora da curva serão os responsáveis por ativar partes inativas do cérebro que irão provocar conexões inéditas.

2. Interaja
Uma atitude simples que contribui com a formulação de novas ideias, mas que em muitos momentos é esquecida ou descartada, é a interação efetiva com os colegas de trabalho. Às vezes, uma conversa rápida com as pessoas da organização gera um conhecimento que pode agregar à solução dos desafios cotidianos. Portanto, alimente o hábito de ouvir e absorver outras opiniões.

3. Mergulhe no problema
É possível que a resolução para determinado desafio não apareça por conta da falta de entendimento completo do problema. Logo, o ideal é compreender a situação com profundidade antes de começar a destrincha-la.

4. Planeje seções de brainstorming
A dinâmica de brainstorming é ter na empresa um espaço descontraído e sem julgamentos para pesquisar, discutir ideias e trocar experiências com a finalidade de elucidar problemas específicos ou apenas incentivar a criatividade entre a equipe. A prática frequente desta iniciativa resulta em soluções para desafios complexos.

5. Respire
Esta dica de respirar enquanto não se faz nada pode gerar certo estranhamento. Mas não deveria. Em um cotidiano marcado pelo bombardeio de informações, é indispensável reservar um período para arejar a mente. Para a alimentar a contemplação e a criação. Pausas para respirar diminuem sensações como ansiedade e estresse. Por consequência, recarregam as energias.

Tags
Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail