Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Salvar Escolher Pasta
Gartner prevê gastos mundiais com TI 6,2% maiores em 2021
Home > Notícias

Gartner prevê gastos mundiais com TI 6,2% maiores em 2021

Pandemia impactou gastos em 2020, mas transformação digital dos negócios e home office deverão impulsionar investimentos este ano

Redação

09/02/2021 às 16h40

Foto:

Os gastos globais com TI chegarão a US$ 3,9 trilhões em 2021, aumento de 6,2% em relação ao acumulado do ano passado, quando houve queda de 3,2%. No ano passado, as organizações priorizaram investimentos em tecnologias e serviços “críticos” durante os estágios iniciais da pandemia, o que afetou os resultados.

A estimativa do Gartner divulgada nesta terça-feira (9) indica que a tecnologia se tornou de fato um pilar para a transformação digital dos negócios. Apesar dos resultados ruins em 2020, o fato de a TI ter apoiado pessoas e negócios atenuou os efeitos negativos de recessão econômica ocasionados pela emergência sanitária.

Leia mais: CIOs podem esperar uma década de inovação radical, diz Gartner

Segundo John-David Lovelock, vice-presidente
de pesquisa do Gartner, os CIOs em 2021 se concentrarão em iniciativas de equilíbrio,
ou seja, que promovam tanto economia de recursos como expandam iniciativas de
transformação.

“Com a economia mundial voltando a
um estado mais previsível, as organizações tendem a voltar a investir em tecnologia
da informação de maneira mais consistente com as expectativas de crescimento,
não apenas seguindo os níveis atuais de receita”, diz o analista em comunicado
enviado à imprensa.

Todos os segmentos de gastos com
TI devem voltar a crescer em 2021. Espera-se que o mercado de software corporativo
tenha a recuperação mais significativa (8,8%), à medida que os ambientes de
trabalho remoto sejam expandidos e aprimorados. O segmento de dispositivos terá
o segundo maior aumento (8%), e deve chegar a um gasto de US$ 705,4 bilhões.

Sistemas para data centers (com
6,2% de crescimento), serviços de TI (6%) e de telecomunicações (4,5%) aparecem
em seguida na lista.

Home office como alavanca

“Há uma combinação de fatores que
impulsionam o mercado de dispositivos para cima”, diz Lovelock. “À medida que
os países continuam a promover a educação remota ao longo deste ano, haverá uma
demanda por tablets e laptops para os alunos. Da mesma forma, as organizações
estão aprimorando o home office para os funcionários.”

Até 2024, as empresas serão
forçadas a acelerar planos de transformação digital em pelo menos cinco anos
para sobreviver em um mundo pós-COVID-19. Isso envolve uma adoção permanente do
trabalho remoto e pontos de contato digitais para os clientes.

O Gartner estima que os gastos
globais com TI relacionados ao home office totalizarão US$ 332,9 bilhões em
2021, um aumento de 4,9% em relação a 2020.

O retorno da atividade global com
relação às taxas de gastos apresentadas em 2019 não acontecerá até 2022, embora
muitos países possam se recuperar mais cedo. Os setores mais atingidos pela
pandemia, como restaurantes, viagens e entretenimento, permanecerão com
dificuldades de longo prazo.

Vai um cookie?

A CIO usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Fechar anúncio

15