Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Salvar Escolher Pasta
Como a aquisição da Arm pela Nvidia irá conduzir a IA a todos os extremos
Home > Notícias

Como a aquisição da Arm pela Nvidia irá conduzir a IA a todos os extremos

Preenchendo uma lacuna em suas ofertas, a Nvidia espera ganhar dinheiro e participação de mercado com o amplo alcance da Arm

James Kobielus, Infoworld

22/09/2020 às 12h30

Foto: Adobe Stock

A Nvidia agora está bem posicionada em IA (inteligência artificial). Nos próximos anos, a maioria dos sistemas de IA continuará a ser treinada em GPUs Nvidia e hardware especializado e serviços em nuvem que incorporam esses processadores.

No entanto, a Nvidia está frustrada em suas tentativas de se tornar um fornecedor dominante de chips de IA para implantação em smartphones, sistemas embarcados e outros dispositivos de ponta. Para abordar essa lacuna estratégica, a Nvidia anunciou na semana passada que está adquirindo a empresa de arquitetura de processador Arm Holdings do SoftBank Group e do SoftBank Vision Fund.

Assim que a aquisição for concluída nos 18 meses esperados, a Nvidia manterá o nome, a identidade da marca, a equipe de gerenciamento e a base de operações da Arm em Cambridge, Reino Unido. Ela também expandirá as instalações de pesquisa e desenvolvimento da Arm sediada em Cambridge, enquanto estabelece uma instalação de pesquisa da Nvidia, instalações de treinamento de desenvolvedores e incubadora de startups no local. A Arm irá operar como uma divisão Nvidia.

Este é realmente um negócio histórico. A Nvidia certamente integrará sua tecnologia de GPU ao smartphone, IoT e arquiteturas de chip integrado projetadas pela Arm, levando assim suas tecnologias de IA de forma onipresente para dispositivos de ponta em todos os lugares.

CIO2503

E-book por:

A seguir estão os principais aspectos nos quais a Nvidia se beneficiará com a aquisição da Arm.

Reforçando os resultados financeiros da Nvidia

A Nvidia está comprando a Arm por US$ 40 bilhões em dinheiro e ações, o que a torna muito maior do que a aquisição da Mellanox por US$ 7 bilhões que foi fechada em abril.

A Arm entra na Nvidia como uma importante fonte de renda, da qual sua nova controladora quase certamente financiará novos projetos ambiciosos e preencherá as aquisições daqui para frente. Espera-se que a aquisição da Arm pela Nvidia seja um acréscimo aos resultados financeiros do adquirente. Assim que o negócio for fechado, a Arm começará a contribuir com seus lucros consideráveis ​​para o lucro líquido de sua nova controladora imediatamente. A demonstração de resultados da Nvidia ganhará milhões de dólares em taxas anuais de licenciamento da Arm e bilhões de dólares em taxas de royalties.

A transação, que está sujeita às condições usuais de fechamento e aprovações regulatórias, representa um retorno mediano sobre os gastos de US$ 32 bilhões da SoftBank quando tornou a Arm privada em 2016. A barganha da Nvidia sobre o negócio decorre em grande parte do fato de que a SoftBank havia entrado em uma crise de caixa depois de perder bilhões de dólares devido à pandemia e apostas ruins no Uber e WeWork. A SoftBank irá adquirir uma participação acionária na Nvidia de não mais de 10%, efetivamente tornando-se uma das maiores acionistas da Nvidia.

Dando à Nvidia uma nova alavanca competitiva

A aquisição da Arm ocorre em um momento em que a próxima geração de chips da Intel enfrenta grandes atrasos. A Nvidia será capaz de alavancar a aquisição da Arm para competir com a Intel em uma ampla gama de terminais móveis, periféricos, embarcados, de jogos e IoT. Arm fornece as arquiteturas básicas para os chips do processador central de baixo consumo de smartphones e tablets de licenciados como Apple, Samsung e Qualcomm.

Por meio da licenciada Apple, os processadores baseados em Arm substituirão os processadores Intel na próxima geração de computadores Mac. O acordo dará à Nvidia uma chance melhor de substituir a Imagination Technologies como fornecedora de GPU da Apple para seus dispositivos iOS. E permitirá que a Nvidia atenda aos fabricantes de chips que estão adaptando os designs da Arm para trabalhar em servidores e PCs, que há muito tempo são a fortaleza da Intel.

Impulsionando a posição de mercado de processadores da Nvidia

A Nvidia está se tornando rapidamente o fornecedor dominante de processadores para implantações de IA da nuvem até a borda. Mesmo antes da aquisição da Arm, a Nvidia estava acumulando vendas recordes, viu o preço de suas ações dobrar este ano e ultrapassou a Intel como a empresa de semicondutores mais valiosa dos EUA. Ao mesmo tempo, a Intel continuou a tropeçar em seus esforços para trazer ao mercado uma alternativa de GPU confiável para as ofertas carro-chefe da Nvidia.

A aquisição da Arm avançará corajosamente a posição da Nvidia no mercado de smartphones, bem como nos mercados de dispositivos embarcados, IoT e outros dispositivos de ponta, que são todos segmentos dos quais a Nvidia tem estado ausente. Por outro lado, a Arm ostenta um quase monopólio no fornecimento de IP (propriedade intelectual) para arquiteturas de chips de dispositivos móveis. A Arm atualmente licencia projetos para microprocessadores de terceiros que abastecem aproximadamente 90% dos smartphones do mundo e em muitos outros tipos de dispositivos móveis e de ponta. Os projetos de eficiência energética da Arm foram usados ​​para criar 160 bilhões de chips que são fabricados e vendidos por mais de 1.000 licenciados.

Diversificando a solução e o portfólio de tecnologia da Nvidia

A Nvidia está adquirindo uma empresa com um portfólio de tecnologia complementar, modelo de negócios e abordagem de entrada no mercado.

A Nvidia não projeta CPUs, que são o núcleo do chip IP da Arm. A Nvidia não licencia IP para empresas de semicondutores, que é o principal modelo de negócios da Arm. E a Nvidia não compete no mercado de mobilidade, que é onde operam os licenciados principais da Arm.

Além disso, a Nvidia não possui nenhuma fábrica de chips, mas terceiriza a produção de seus designs de chips para fundições especializadas. A Arm, por outro lado, não terceiriza seus projetos de chip, mas, em vez disso, licencia seu IP para outros fornecedores que os fabricam, seja em suas próprias instalações ou terceirizados.

Assim que a aquisição for finalizada, a Nvidia planeja construir um supercomputador equipado com a Arm para dar suporte à P&D de IA nas instalações da Arm em Cambridge. A Nvidia também planeja expandir o portfólio de licenciamento de IP da Arm com tecnologias Nvidia, especialmente GPUs líderes de mercado desta última.

As empresas convergentes serão capazes de abordar as oportunidades da nuvem até a borda que combinam as soluções de IA da Nvidia com a vasta gama de licenciados da Arm. Mesmo antes deste último negócio, a SoftBank impulsionou a diversificação da Arm em novas oportunidades de licenciar seu IP em parcerias nos mercados de data center, automotivo, IoT e processamento de rede. A Arm já havia anunciado que estava projetando seu software IP Pelion para uma gama crescente de aplicativos de IA de baixo consumo e alto desempenho executados em dispositivos de ponta.

Bloqueando um fornecedor estratégico para a Nvidia

A Nvidia, ao adquirir a Arm, estará garantindo seu futuro acesso à tecnologia de processador da Arm, mantendo-a fora do alcance dos concorrentes. Se este acordo for aprovado, muitas empresas de semicondutores que de outra forma seriam simplesmente rivais da Nvidia também se tornarão seus clientes.

No entanto, a Nvidia anunciou sua intenção de continuar com o ecossistema de licenciamento aberto da Arm, uma promessa que será absolutamente necessária para garantir as aprovações regulatórias necessárias. A Nvidia se comprometeu a continuar a política de neutralidade do cliente da Arm, licenciando IP para empresas que possam competir com a Nvidia em GPU, IA e outros segmentos de produtos.

Ampliando o alcance e a escala de mercado da Nvidia

Por último, mas não menos importante, a NVIDIA está adquirindo um fornecedor com um alcance de mercado e escala muito maiores do que o seu.

Para começar, o negócio vai expandir o alcance da Nvidia na comunidade de desenvolvimento dos atuais 2 milhões para mais de 15 milhões. Mais significativamente, a Nvidia vendeu cerca de 100 milhões de chips no ano passado, enquanto os mais de 1.000 licenciados parceiros de tecnologia da Arm venderam mais de 22 bilhões (com um “b”) chips no ano passado e mais de 180 bilhões até o momento.

Enfrentando oposição

A promessa da Nvidia de continuar com o licenciamento aberto da Arm e a neutralidade do cliente será um elemento chave para enfrentar os desafios regulatórios que certamente ocorrerão.

A China olhou muito para a aquisição recentemente aprovada da Mellanox e pode ser difícil de aplacar, especialmente considerando as tensões em sua postura geopolítica em relação aos Estados Unidos.

A garantia da Nvidia de que o site e a equipe da Arm permanecerão intactos na Inglaterra será essencial para garantir a aprovação desse país. No entanto, as forças políticas em ação no Reino Unido podem fazer com que as aprovações regulatórias sejam difíceis de garantir.

Aparentemente para evitar que o assunto seja uma distração regulatória durante o processo de aprovação, a aquisição da Arm não incluirá os dois negócios de software do Grupo de Serviços de IoT da Arm. A SoftBank havia anunciado anteriormente um plano para separar os dois negócios em novas entidades independentes de propriedade da SoftBank. Mas há quase três semanas, Arm disse que estava interrompendo os planos de spin-off.

O maior desafio em potencial para a combinação Nvidia-Arm, mesmo depois que o acordo elimine todos os obstáculos regulatórios, será se os licenciados da Arm na indústria de microprocessadores ficarão confortáveis ​​em adquirir essa tecnologia-chave de um concorrente. A reputação da Arm como a "Suíça da indústria de semicondutores" está em jogo. Os rivais da Nvidia - como a AMD - podem buscar fontes alternativas se perceberem que o acordo dá à empresa do CEO Jensen Huang uma vantagem injusta na batalha para levar a IA aos dispositivos de ponta.

Vai um cookie?

A CIO usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Fechar anúncio

15