Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Salvar Escolher Pasta
Apesar da pandemia, empresas brasileiras devem aumentar investimentos em TI
Home > Notícias

Apesar da pandemia, empresas brasileiras devem aumentar investimentos em TI

Pesquisa da Grant Thornton mostra que 80% dos líderes brasileiros vão gastar mais com tecnologia, enquanto média global não passa de 45%

Redação

18/03/2021 às 17h29

Foto: Adobe Stock

Empresários brasileiros estão entre os mais otimistas globalmente, ao menos quando se trata de investimentos futuros em tecnologia da informação em seus negócios. É o que revela uma pesquisa da Grant Thornton, segundo a qual 80% dos entrevistados brasileiros preveem aumento dos aportes em TI, enquanto a média global é de 51%.

Pesquisa e desenvolvimento devem
ganhar mais atenção para 68% dos empresários no Brasil (o índice médio global é
de 44%). Investimentos em habilidades da equipe são importantes para 70% no
Brasil e 45% na média global. Para 60% dos brasileiros, as instalações e
máquinas devem receber mais investimentos, contra uma média global de 38%.

O estudo realizado pela Grant
Thornton em dezembro de 2020 ouviu cerca de 5 mil empresários de 29 países. O
objetivo foi analisar o otimismo em relação à economia nos próximos 12 meses.

“Impulsionadas pela pandemia, muitas organizações tiveram de buscar na tecnologia maneiras para transformar seu modelo negócio e conseguir sobreviver economicamente”, diz em comunicado Marcos Tondin, sócio da área de tecnologia e soluções da Grant Thornton Brasil.

Nem tudo são flores

Empresários apontaram também entraves
que dificultam a expansão dos negócios. Incertezas econômicas, burocracia e
excesso de regulamentação são os maiores para 58% dos entrevistados brasileiros,
a disponibilidade de mão de obra qualificada é empecilho para 53%, seguida de
escassez de pedidos / demanda reduzida (52%). O custo de energia (48%) e a
escassez de financiamento (47%) também estão entre os principais entraves, com
índices muito próximos aos da média global.

Com relação ao salário de
funcionários, somente 15% acredita que haverá aumento real nos próximos 12
meses, índice abaixo da média global, que ficou em 21%.

Para Daniel Maranhão, CEO da Grant
Thornton Brasil, apesar do otimismo com relação à recuperação da economia nos
próximos 12 meses em diversos países, principalmente no Brasil, o cenário não é
dos mais favoráveis.

“É importante lembrar que ainda
estamos num cenário nebuloso. Não sabemos ao certo qual a velocidade da
vacinação no Brasil e, principalmente, se o atual ambiente político brasileiro
permitirá a aprovação das importantes reformas”, diz. “De qualquer forma, é
fundamental para o país que as empresas mantenham seus investimentos no curto
prazo, mas sempre com o pé no chão, pois o cenário ainda requer prudência.”

Snippets HTML5 default Intervenções CW
Vai um cookie?

A CIO usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Fechar anúncio

15