Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Salvar Escolher Pasta
70% das instituições de saúde atendem por telemedicina
Home > Notícias

70% das instituições de saúde atendem por telemedicina

Estudo da Doctoralia e da TuoTempo mostra que mesmo após pandemia, dois em cada três clínicas e hospitais pretendem manter a modalidade

Redação

23/02/2021 às 8h02

Foto: Adobe Stock

Mais de 70% das instituições de saúde já disponibilizam atendimento por telemedicina, sendo que 24% já aderiram à modalidade plenamente e 48% tiveram adesão parcial dos profissionais. Além disso, grande parcela das clínicas e hospitais teve que mudar a rotina devido à pandemia, e 13,5% passou a atender apenas à distância.

É o que revela o Panorama das Clínicas e Hospitais 2021, estudo feito pela Doctoralia e pela TuoTempo. O estudo ouviu 340 profissionais de diversos centros médicos do país entre 15 de setembro e 9 de outubro de 2020. Buscou entender como a pandemia transformou a rotina das instituições e profissionais da saúde.

Leia mais: Telemedicina ajuda líderes a operacionalizar empatia durante a pandemia

Ao serem questionados se continuarão oferecendo ou passarão
a oferecer telemedicina caso a modalidade seja regularizada em definitivo no
Brasil após a pandemia, 65% dos entrevistados disseram que sim. Outros 24% disseram
que não sabem, enquanto os que negaram a continuidade são apenas 11%.

CIO2503

E-book por:

Mesmo que várias opções específicas para clínicas e
hospitais existam (e sejam usados por 45% dos entrevistados), mais da metade
das clínicas e hospitais (51%) opta por plataformas de vídeo gratuitas, como
Zoom, Skype, WhatsApp ou Google Meet para as consultas. Plataformas fornecidas
pelos planos de saúde só são usadas por 2%.

O grande problema desse cenário, segundo o estudo, é que essas
plataformas gratuitas de vídeo não são preparadas para lidar com os dados sigilosos
como os médicos. Com a LGPD em rigor, a credibilidade e a privacidade das
ferramentas devem ser levadas em conta.

Outra tecnologia comum é o agendamento de consultas online, oferecido
por 84% dos ouvidos. Confirmação de consultas também são comuns para 72% das clínicas
e hospitais, enquanto a aplicação de pesquisas de satisfação online acontece em
61%.

Apesar de os serviços de comunicação com o especialista
(43%), pagamento (37%) e prescrição eletrônica (32%) online serem
complementares à telemedicina, são menos prevalentes em centros médicos. A triagem
(19%) e o check-in (16%) são as opções menos ofertadas.

Agendas de papel

Além da telemedicina, a tecnologia está ajudando os
prestadores de serviços em saúde a digitalizarem serviços. Novos softwares e
tecnologias são vistos como tendências para boa parte dos ouvidos.

A maioria dos entrevistados (58%) utilizam sistemas pagos para
a gestão de consultas ou desenvolvidos internamente (12%). Outros 14% usam calendários
gratuitos e 16% ainda fazem o controle em agendas de papel.

O estudo completo pode ser baixado neste link.

Vai um cookie?

A CIO usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Fechar anúncio

15