Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Salvar Escolher Pasta
7 dicas para um melhor alinhamento entre negócios e TI
Home > Gestão

7 dicas para um melhor alinhamento entre negócios e TI

Em um mundo em rápida mudança, os líderes de TI e de negócios precisam trabalhar juntos para conduzir sua empresa na direção certa

John Edwards, da CIO

24/11/2021 às 15h00

Foto:

A sua empresa perdeu o alinhamento? Os sintomas reveladores incluem direcionamentos errados, controle deficiente e, talvez o pior de tudo, produtividade e resultados degradantes.

Quando as equipes de TI e de negócios não conseguem se alinhar, todas as partes podem esperar uma jornada acidentada. “A transformação digital está impulsionando uma mudança fundamental na forma como uma organização entrega valor a seus clientes”, disse Sameer Bhagwat, Vice-Presidente e Chefe do Centro de Excelência de Serviços Gerenciados de Aplicativos da empresa de consultoria de TI e negócios Capgemini Americas.

Bhagwat observa que, com todo o ecossistema de negócios agora interconectado, as empresas devem ser ágeis para atender às necessidades de negócios e requisitos de mercado em constante mudança. “Quando a TI e os negócios estão alinhados corretamente, os líderes podem atingir seus objetivos de forma mais eficaz”, afirma.

A sua empresa está indo na direção errada? Considere as sete dicas a seguir para alinhar melhor a TI e os negócios.

Conheça o seu negócio

O CIO não é mais apenas um tecnólogo. No ecossistema de hoje, o CIO também é um tomador de decisões de negócios, diz Michael Pusateri, CEO e fundador da Siepe, um provedor de serviços gerenciados de nuvem pública e data analytics.

Um CIO precisa entender todo o negócio, bem como quaisquer pontos problemáticos de tecnologia existentes ou potenciais. Ao se concentrar no desafio de negócios em questão, um CIO pode ajudar a administração a criar uma solução multidimensional para um problema, em vez de simplesmente fornecer conselhos a partir de uma perspectiva tecnológica.

“Isso permite que um CIO desenvolva ou escolha uma solução certa para o negócio, ao invés de apenas escolher a tecnologia mais recente que pode não atender às necessidades dos negócios em seu estágio atual”, diz Pusateri.

A comunicação fluida entre o CIO e o CEO garante maior transparência e uma previsão mais precisa de como a empresa irá progredir, observa Pusateri. Os CIOs também devem desempenhar um papel central nos comitês de planejamento estratégico, bem como durante o processo geral de planejamento corporativo.

“O CIO é então autorizado a apresentar as melhores soluções de tecnologia para executar a visão do CEO, em vez de ser puxado em várias direções por unidades de negócios individuais”, explica Pusateri.

Fortalecer as relações de gestão

Além de trabalhar ao lado do CEO, um CIO contemporâneo também precisa se alinhar aos líderes empresariais em vendas, marketing, finanças, recursos humanos e outras áreas importantes de gerenciamento. “A colaboração entre essas funções é crítica para estar pronto para a próxima onda de oportunidades”, diz Sheri Rhodes, CIO da Workday, uma fornecedora de serviços de software de gestão financeira, folha de pagamento e recursos humanos.

Rhodes observa que uma forte parceria CIO/CFO, por exemplo, pode estabelecer a base para um mecanismo de inovação de sucesso. “Nosso CFO, Robynne Sisco, e eu temos trabalhado mais próximos do que nunca para discutir a transformação digital e repensar o equilíbrio de nossas prioridades de negócios”, diz ela.

O alinhamento departamental deficiente e a tomada de decisões isoladas podem prejudicar a capacidade de uma organização de responder rapidamente às mudanças em seus ambientes internos ou externos, observa Rhodes. Essa falha pode, com o tempo, afetar adversamente iniciativas em áreas tão diversas quanto atualizações de rede, ferramentas de colaboração, compartilhamento de escritório, aplicativos em nuvem e infraestrutura, diz ela.

“Usamos a estrutura de Objetivos e Resultados-Chave (OKR) para ajudar a impulsionar a colaboração e o alinhamento, o que nos ajuda a nos tornarmos mais ágeis e alcançar os resultados desejados”, afirma Rhodes. “As empresas que estão unificadas e bem equipadas para reagir rapidamente às necessidades em constante mudança têm maior probabilidade de criar a estratégia digital mais bem-sucedida e duradoura”.

Forme equipes multifuncionais com foco nas principais áreas de negócios

Além de alcançar os colegas da empresa, Matt Mead, CTO da empresa de modernização de tecnologia SPR, sugere a promoção de um ambiente organizacional que incentive a formação de equipes interdepartamentais nas principais áreas de negócios, como desenvolvimento de produtos, marketing e vendas. Essas relações colaborativas ajudarão a transformar a TI de um centro de custos em um player estratégico de negócios, diz ele. “Tornar-se um parceiro estratégico (...) posicionará a TI como um departamento de maior valor, com mais confiança e respeito”.

Mead acrescenta que recrutar pessoal de TI para colaborar com outros especialistas corporativos abrirá a porta para novos conceitos e abordagens. Isso incentivará a equipe a pensar estrategicamente sobre as metas de produtos e serviços, bem como a desenvolver tecnologias inovadoras com objetivos de negócios definidos. Ao todo, pode levar a uma organização de TI mais alinhada, focada em alcançar os objetivos da empresa, em vez de apenas as metas de tecnologia.

Além disso, em um mundo onde os profissionais de TI estão em alta demanda e a retenção se tornou mais importante do que nunca, um departamento de TI que trabalha em estreita colaboração com os colegas de trabalho pode alcançar um grau mais alto de relevância e visibilidade. “Isso (...) pode criar um maior senso de propósito e importância que pode ajudar a reter os melhores talentos de TI”, diz Mead.

Aproveite a capacidade de observação de pilha completa

Um componente-chave no kit de ferramentas de qualquer organização de TI é a capacidade de observação de pilha completa. O monitoramento de toda a pilha de TI torna possível identificar discrepâncias potenciais antes que se tornem problemas graves. “[Ele] fornece a capacidade crucial de mostrar diretamente o impacto nos resultados de negócios”, diz Joe Byrne, Vice-Presidente de Estratégia de Tecnologia e CTO Executivo da AppDynamics da Cisco, um provedor de serviços de analytics de operações de TI e gerenciamento de desempenho de aplicativos.

Ao compreender como as mudanças na pilha de TI podem afetar a experiência do usuário final e o sucesso geral dos negócios, os CIOs podem ajudar a otimizar as funções de negócios, ajustando recursos e tempo para as áreas mais importantes, explica Byrne. “Isso pode equipar os CIOs com a experiência para influenciar a inovação e a transformação digital de maneiras que beneficiarão as equipes de negócios e de TI”.

Alinhe os KPIs de TI aos resultados da empresa

Alinhar os KPIs de TI com os resultados da empresa é uma maneira relativamente fácil de tornar as operações de TI mais relevantes para as contrapartes de negócios, afirma Bhagwat da Capgemini Americas. Com a chegada da transformação digital, a centralização no cliente tornou-se essencial para o sucesso comercial de longo prazo.

“Os avanços mais recentes em IA e automação, e como eles podem ajudar na resolução de problemas, é um exemplo de como a TI tem um impacto direto nos KPIs de negócios”, observa ele.

Além disso, novos KPIs diretamente relacionados à experiência do cliente podem precisar ser introduzidos pela equipe de TI para atender aos requisitos de negócios com foco na satisfação do cliente. “Todo o ecossistema de negócios está interconectado e as empresas precisam ser ágeis para atender às necessidades de negócios e requisitos de mercado em constante mudança”, diz Bhagwat. Além disso, o sentimento e a experiência do cliente estão se tornando cada vez mais importantes para manter uma vantagem competitiva. “Traduzir essa realidade de mercado em requisitos de TI exige um alinhamento estreito entre negócios e TI”.

Quando a TI e os negócios estão alinhados de maneira adequada, os líderes de negócios podem atingir seus objetivos de maneira mais eficaz, observa Bhagwat. Enquanto isso, uma vez que o alinhamento adequado esteja estabelecido, “é mais fácil para o CIO justificar seu orçamento e iniciativas específicas, pois são diretamente relevantes para as metas das partes interessadas de negócios”.

Promova uma abordagem DevOps

Embora a melhoria do alinhamento de negócios e TI tenha sido uma meta por décadas, os dois grupos permanecem em desacordo. A inspiração para alcançar melhores relações pode ser encontrada no exemplo dado pelo DevOps, uma combinação de filosofias culturais, práticas e ferramentas que visa alinhar o desenvolvimento e as operações de software, duas equipes historicamente desalinhadas, diz Dan Graves, CTO do provedor de plataforma DevOps Delphix. “Uma empresa deve fazer a escolha consciente de mudar e investir na transformação”.

Para que o alinhamento de negócios e TI ocorra com sucesso, ambos os lados devem estar dispostos a se unir para produzir melhores resultados para todas as partes interessadas, explica Graves. O modelo tradicional de reunir requisitos de negócios, construir algo por um ano e retornar com uma grande novidade agora não está conseguindo acompanhar o ritmo de um ambiente competitivo mais rápido e enxuto. “Somente por meio de um forte alinhamento os novos produtos e serviços podem gerar os melhores resultados de negócios”, diz ele.

Considere a composibilidade

Roman Stanek, CEO da GoodData, um provedor de software de big data analytics e inteligência de negócios, defende a composição como uma ferramenta útil de alinhamento de negócios/TI. A análise de dados combináveis destrói os silos de negócios que dificultam a colaboração com uma abordagem projetada para fornecer insights de negócios maiores e mais profundos. Este método também permite que os líderes de negócios que não são bem versados em SQL acessem e personalizem as percepções de dados com facilidade.

Uma interface de usuário no-code coloca o poder da analytics diretamente nas mãos dos usuários de negócios, promovendo um alinhamento mais estreito entre negócios e TI. “Nesse tipo de empresa combinável, as unidades de negócios funcionam lateralmente para atingir os objetivos de toda a organização com operações mais colaborativas e de fluxo livre”, diz Stanek. “Com análises combináveis, as empresas podem se tornar mais dinâmicas e ágeis, desenvolver novos aplicativos e se conectar a novos ecossistemas com mais rapidez e facilidade”.

Snippets HTML5 default Intervenções CW
Vai um cookie?

A CIO usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Fechar anúncio

15