Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Salvar Escolher Pasta
6 questões para auxiliar líderes nas iniciativas de custos durante a pandemia
Home > Notícias

6 questões para auxiliar líderes nas iniciativas de custos durante a pandemia

O Gartner sugere estrutura de decisão para líderes avaliarem e equilibrarem riscos e benefícios para maximizar os resultados dos negócios

Da Redação

24/04/2020 às 16h00

Foto: Shutterstock

Para equilibrar o orçamento durante a crise gerada pela pandemia do novo coronavírus, executivos têm tomado medidas emergenciais de corte de orçamento e bloqueio de negócios e investimentos.

Entretanto, ainda que sob forte pressão, líderes precisam avaliar estrategicamente as iniciativas de custo - para garantir que as decisões de curto prazo não comprometam a capacidade da sua organização de sustentar a crise e impulsionar a recuperação mais tarde. 

Segundo o Gartner, as organizações geralmente avaliam propostas de custo quase exclusivamente com base em seu potencial de economizar dinheiro, sem considerar os efeitos que essas reduções de custo propostas podem ter sobre os negócios.  

Mas a otimização de custos deve ser sustentada - e sustentável - para manter as operações em andamento e, ao mesmo tempo, encontrar oportunidades de gastar menos ou ser mais eficiente, diz a consultoria. 

CIO2503

E-book por:

"Na realidade, nem todas as iniciativas de custo valem o tempo, esforço ou investimento necessário, e muitas têm riscos que não são contabilizados. O que pode parecer um corte relativamente simples - como adiar um projeto planejado - tem consequências e riscos nos negócios que devem ser levados em consideração e socializados. Os líderes executivos devem trabalhar em conjunto com seus pares para avaliar esses riscos e efeitos”, alerta Sanil Solanki, Vice-Presidente Gerente do Gartner. 

Estrutura de decisão 

A
consultoria sugere que os líderes sigam uma estrutura de tomada de
decisão para priorizar as iniciativas de otimização de custos, que
considera não apenas os benefícios em potencial (em termos de economia
de caixa), mas o impacto nos negócios, requisitos de tempo, grau de
risco organizacional e técnico e investimento necessário. 

 “À medida que as organizações avançam e ultrapassam os corte de custos mais fáceis em uma crise, elas precisam de uma abordagem programática e estruturada para a otimização de custos”, diz Cesar Lozada, Analista Principal Sênior do Gartner. "Eles também precisam de uma estrutura compartilhada para avaliar as propostas de custo em uma variedade de fatores-chave, como o impacto nos negócios, o risco e o nível de investimento necessário", complementa.

A estrutura descreve seis áreas a serem consideradas pelos líderes ao avaliar a eficácia sustentada das propostas de custo. 

1) Potencial benefício financeiro 

Estabeleça
em que grau as iniciativas de custo afetarão os resultados. Pergunte:
Quanto minha empresa economizará se a ação for implementada? Como a ação
afeta o fluxo de caixa da empresa? 

2) Impacto nos negócios 

Determine o impacto que uma iniciativa terá em seus funcionários e nas operações de uma unidade ou função de negócios específica.  

Pergunte-se:
Qual será o impacto adverso nas atividades e operações diárias, como
diminuição da produtividade ou tempo de colocação no mercado? Se colegas
multifuncionais e relatórios diretos falharem em compreender esses
efeitos, as iniciativas poderão falhar. 

3) Exigência de tempo 

Independentemente
de você abordar as iniciativas de otimização de custos por meio de uma
cascata ou de uma abordagem ágil, a empresa levará tempo para realizar a
economia de custos e o valor comercial aprimorado. 

 A
questão é qual deve ser esse prazo. Pergunte: Podemos capturar e obter
economia de custos dentro do prazo desejado (semanas/meses/ano fiscal)?
Como medimos economias leves com esta iniciativa? 

4) Grau de risco organizacional 

A
eficácia da iniciativa de otimização de custos pode depender de você e
seus subordinados diretos serem capazes de mudar e se adaptar aos novos
processos organizacionais. Pergunte: Nossos relatórios diretos
garantirão que as alterações sejam feitas? Nossa empresa é capaz de se
adaptar às mudanças? 

5) Grau de risco técnico.  

Esse
risco está diretamente no domínio dos líderes de TI, mas a TI e outros
líderes executivos e funcionais devem trabalhar juntos para avaliar como
a iniciativa de otimização de custos será integrada às operações
atuais, arquitetura corporativa, etc.  

Atrasos causados ou atribuídos à iniciativa podem
resultar em perda da prestação de serviços ou produtividade. Pergunte: A
mudança prejudicará a capacidade de nossos sistemas de fornecer
serviços? Essa mudança causará atrasos nas operações da empresa que
afetam alguns ou muitos componentes da arquitetura? 

6) Exigência de investimento

A
otimização de custos não se refere à redução de custos; trata-se de
melhorias sustentadas nos processos de negócios, produtividade, tempo de
colocação no mercado etc., portanto, algumas iniciativas exigirão um
investimento inicial - que o conselho executivo deve concordar em
financiar. 

Apresente
um caso de negócios mostrando os benefícios potenciais do negócio
versus o status quo e o nível de investimento necessário. Pergunte: A
iniciativa requer um grande investimento inicial para que as economias
possam ser realizadas? Nossa empresa está disposta a fazer um
investimento? 

Vai um cookie?

A CIO usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Fechar anúncio

15