Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Salvar Escolher Pasta
4 setores da economia brasileira mais beneficiados pelo 5G
Home > Notícias

4 setores da economia brasileira mais beneficiados pelo 5G

Indústria extrativa e manufatureira, agronegócio e o transporte de cargas estão entre áreas mais favorecidas com nova geração de redes móveis

Redação

20/04/2021 às 16h12

Foto: Adobe Stock

Se com o 4G as expectativas diziam respeito principalmente às mudanças na vida das pessoas comuns, com o 5G os olhares se dirigem para as empresas. As grandes velocidades e baixíssimas latências características das soluções móveis de próxima geração devem impulsionar aplicações de computação de borda (edge) e nuvem (cloud), internet das coisas (IoT), inteligência artificial (IA), entre outras.

São tecnologias capazes de transformar
drasticamente a produtividade da maior parte dos setores da economia. Se com o 4G
houve principalmente uma revolução dos aplicativos, com o 5G, além dos
serviços, setores industriais e agrícolas terão a eficiência incrementada de
forma exponencial.

O edital aprovado pela Agência
Nacional de Telecomunicações (Anatel), mas ainda em análise pelo Tribunal de
Contas da União (TCU), prevê redes 5G operacionais nas 26 capitais do Brasil e
no Distrito Federal em julho de 2022. Para todas as cidades do Brasil com mais
de 30 mil habitantes, o prazo é julho de 2029.

A expectativa do governo federal é
de que o leilão aconteça ainda no 1º semestre de 2021.

Segundo especialistas da Claranet
e da Huawei, as áreas que mais serão mais beneficiadas com a chegada da nova
geração da internet móvel ao Brasil são:

CIO2503

E-book por:

Indústria extrativista

Setores de óleo, gás e mineração,
que são intensivos em capital, e cujos produtos são commodities, eficiência e mitigação
de riscos ambientais são fatores críticos para o desenvolvimento e crescimento.
A aplicação do 5G na automação de máquinas e operações irá reduzir custos e
riscos aos trabalhadores.

Indústria manufatureira

É a que apresenta o mais alto
potencial de benefícios com as aplicações em 5G, dizem os especialistas. A
implementação no setor deve ser a mais rápida entre todos e irá permitir a
otimização de recursos a partir dos dados das plantas e algoritmos, que
constantemente configuram a produção para os melhores resultados de
produtividade e qualidade.

A melhoria em tempo real captura o
alto benefício das aplicações em 5G, com o tempo de implementação razoável e
ganhos estimados em mais de R$210 bilhões.

Agronegócio

O uso dessa tecnologia vai
permitir o avanço da agricultura indoor e de precisão, além do gerenciamento
baseado em dados, que vai integrar e possibilitar a telemetria e sensores, uso
de drones e análises mais precisas do clima. Medidas de correção e ajustes
serão mais precisas e facilitarão a tomada de decisão dos produtores, bem como
a identificação de problemas pontuais no campo e o aumento do monitoramento da
lavoura.

Logística e transporte de
cargas

Entre as aplicações em
desenvolvimento, temos os caminhões automatizados, equipados para a comunicação
veículo a veículo; pontos inteligentes que serão geridos a partir de unidades
centrais; guindastes inteligentes utilizados para descarregar grandes navios
cargueiros; trens sem a presença de condutores; robôs conectados irão planejar
e executar atividades como coleta e classificação de materiais, que juntas
apresentam um impacto estimado na economia do país, na casa dos R$ 11 bilhões.

Além dos quatro, outros segmentos
deverão ser otimizados. "A internet das coisas (IoT) passará a funcionar
de forma efetiva, já que o baixíssimo tempo de resposta nas conexões, irá
habilitar de vez a conectividade entre as máquinas”, diz Nicolas Driesen, solutions
representative da Huawei. “Indústrias intrinsecamente tecnológicas, como a do
entretenimento e os videogames, com especial destaque aos eSports, também serão
transformadas com o 5G."

Atenção à segurança

O avanço da conectividade também
traz riscos, como o aumento no número de ameaças. Para Diogo Barroso, CTO da
Claranet, é preciso que as empresas estejam atentas às vulnerabilidades da
infraestrutura de telecomunicações, além da segurança e privacidade do usuário.

"Ao mesmo tempo que a chegada
do 5G nos proporciona muitas vantagens, ela levanta novas preocupações
referentes à segurança, principalmente de endpoint. Mais dispositivos
conectados implicam em maior superfície de ataque para os
cibercriminosos", explica.

Isso porque o 5G possibilita mais conexões, mais
distantes e com maior largura de banda do que as gerações anteriores, além de
aumentar a superfície de ataque, faz com que a estruturas de Data Centers e
Backbones tenham que se adaptar à esta nova capacidade.

Vai um cookie?

A CIO usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Fechar anúncio

15