Home > Gestão

Nem todos odeiam o Vista

Empresa norte-americana que migrou para o novo sistema explica os segredos da satisfação dos usuários apesar da mudança

CIO (EUA)

28/04/2008 às 19h35

Windows_int.jpg
Foto:

Nem todos odeiam o Vista. Na verdade, para pelo menos um early adopter – o CIO da companhia norte-americana Norman’s Nursery – a mudança para o Vista se pagou, com menos chamadas de help desk e maior facilidade de administração. Apesar da realidade dessa empresa ser muito distinta da maioria das grandes companhias, pode ensinar lições para outros líderes de TI que estão pensando na migração para o Vista.

A mudança para o Vista
Em dezembro de 2006, a Norman’s Nursery deveria, ainda, migrar para o XP. O acordo de suporte da companhia para o Windows 2000 - utilizado na época - havia terminado e, como todos os sistemas operacionais teriam de ser substituídos, iniciou-se a discussão do XP versus Vista, diz Martin Resnick, diretor de operações de tecnologia. Ao mesmo tempo, a companhia queria padronizar seus servidores em Windows 2003, partindo de um mix de Windows 2003 e 2000. A padronização tinha por objetivo tornar mais fácil a administração e não queriam passar por outro upgrade tão cedo.

O Vista acabou vencendo. “A idéia de que qualquer usuário pode ir para qualquer desktop em qualquer localização e ver as impressões, arquivos e pastas da mesma form nos convenceu”, afirma Resnick. Apesar da maioria das pessoas da empresa terem estações de trabalho dedicadas, a padronização do ambiente torna as negociações de contrato e viagens de funcionários bem mais fáceis e simplifica o trabalho da TI com problemas de computadores, diz Resnick.

Como aplicações, Resnick escolheu o Office 2007 e o SharePoint. Ele também adquiriu novos desktops (65) e laptops (18) para praticamente todos os funcionários. Os desktops são Intel DualCore, rodando pelo menos 2,4GHz. Eles também têm 2GB de RAM em cada caixa. Os laptops são AMD 1.6 GHz (DualCore mode) e 2GB RAM. “No passado, construímos nossas próprias máquinas, mas desde que nossa meta é padronização, seria menos custoso comprar pronto,” diz ele.

Surpresas no caminho
Em janeiro de 2007, o time de Resnick começou o trabalho para a migração para o Vista. Toda a implementação foi concluída em outubro, mas não sem seus probleminhas. Justamente quando achavam que estava tudo pronto para concluir o rollout, Resnick e seu time encontraram um problema relacionado com um kit de instalação automático que instala o Vista e o Office 2007 de uma só vez.

“A instalação ocorria bem, mas havia um problema com o grupo de política, onde estavam ocorrendo erros estranhos,” diz Resnick. Uma vez o problema resolvido, cada máquina foi testada separadamente. “Olhar todas as máquinas é um luxo que a maioria das organizações não pode se dar,” diz Michael Silver, analista do Gartner. “A dificuldade de testes é uma das razões para as organizações só migrarem para o Vista quando substituírem máquinas”, diz ele.

Ganhando os usuários
Quatro semanas depois que o problema ocorreu, Resnick estava pronto para o roll out com novas operações e aplicações para os usuários, uma ação que ele realizou em parceria com a área de marketing e treinamento.

“Descobrimos que a parte mais difícil da implementação seriam os usuários e tentamos criar um ambiente divertido ao redor do Vista – acompanhado do Sharepoint e do Office 2007 – e tudo o que tinham a oferecer”, diz Resnick. “Os usuários odeiam mudanças e o Vista tinha tanta propaganda negativa na imprensa que a área de marketing apontou preocupações em relação a isso”, diz ele. Para combater a resistência, o caminho foi realizar várias promoções para preparar os usuários.

A campanha promocional foi decisiva. Para divulgar o upgrade e os treinamentos, Resnick e seu time contrataram um artista gráfico para criar jogos tais como busca de palavras e cruzadinhas. O artista também criou um “pôster de filme” com funcionários satisfeitos, assim como a companhia realizou concursos relacionados os upograde. “Nos tornamos um departamento de marketing por um tempo,” diz Renick.

Treinamento
O espírito de diversão se estendeu ao treinamento para o Vista. Resnick deu treinamento para 90 pessoas no Aquário Pacific em Long Beach. O treinamento discutiu as novas características e mostrou aos usuários como trabalhar com o novo sistema. O time de TI ainda criou um manual e um curso online do Sharepoin. “Assim, as pessoas poderiam ver como as coisas funcionam na própria máquina, revisar o treinamento”, diz ele.

O marketing e o treinamento valeram à pena. “Haviam certas expectativas, mas em geral os usuários foram muito receptivos ao novo sistema”, diz ele. A comunicação sobre o Vista é muito importante, ainda mais se sua organização está decidida a aderir 100% ao Vista, diz Silver, do Gartner.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail