Home > Carreira

Líder ou gestor? Você sabe a diferença?

Ambas são críticas para o sucesso, e devem ser valorizadas

Larry Bonfante *

31/01/2019 às 20h04

Foto: Shutterstock

Há provavelmente tantas definições de liderança quanto pessoas interessadas no assunto. Muitos de nós formamos nossos pensamentos e definições baseados no que nos dizem as pessoas à nossa volta. Para muitas delas, a imagem de liderança vem carregada de poder formal e autoridade. Para outras, remete à visão de oradores eloquentes que inspiram com palavras e pensamentos. Cada indivíduo traz sua personalidade única e talentos para sua posição de liderança. Mas, um bom ponto de partida para definir liderança é separá-la de gestão.

O líder foca em ajudar as pessoas a entender para onde o time está indo e por que tal destino foi escolhido. O gestor ajuda as pessoas a entender como ajustar o curso para chegar até o destino definido.

Muitas pessoas vão dizer que uma boa liderança vale mais para o sucesso de uma empresa do que uma excelente gestão. É o mesmo que dizer que velocidade é mais importante para um atleta do que a força. A verdade é que ambos são críticos para o sucesso. Bons gestores podem ser ainda melhores se forem bons líderes. Assim como bons líderes, se também forem bons gestores.

Um gestor excelente é difícil de encontrar. Em muitas organizações, quando um indivíduo contribui com excelência é logo promovidos para uma posição de gestão. A conclusão é a de que se alguém é excelente numa área operacional está naturalmente capacitado a gerir outros indivíduos da mesma área. Nada poderia ser menos verdadeiro.

Embora existam algumas pessoas que podem facilmente dar esse salto, excelência em uma área e habilidade para gerenciar pessoas da mesma área são dois conjuntos bem diferentes de qualificação.

Portanto, minha experiência diz que há escassez de gestores de qualidade. Pessoas que possam ajudar times a executar e a entregar resultados são um bem precioso. Muitas organizações não valorizam ou recompensam gestores. No entanto, sem eles, jamais poderão alcançar o sucesso.

Portanto, nessa nossa discussão sobre liderança e gestão, pretendo ser bem claro: valorizo ambas, sem esquecer que são bem diferentes.

Três perguntas
Acredito que o jeito mais simples de diferenciar liderança e gestão é reponder a três perguntas: as duas primeiras ligadas à liderança, e a terceira, à gestão.

Pergunta 1: Para onde estamos indo?
A primeira questão a ser respondida por um líder é “para onde estamos indo”

A essência da liderança é definir a direção da organização. Um líder deve trabalhar com seu time para explicar a eles o seu destino.

Há um ditado antigo que diz que se você não sabe para onde está indo, pode não gostar de onde vai chegar! Saber onde está indo e comunicar essa direção para seu time é a primeira responsabilidade de um líder.

Muitos livros que li abordam esse tópico quando falam de liderança. Eles acreditam que a responsabilidade primária de um líder é determinar e comunicar ao time qual é o destino.

Rodrigo Rodrigues

Pessoalmente, acredito que existe uma segunda pergunta que precisa ser respondida pelos líderes.

Pergunta 2: Por que nós estamos indo nessa direção?
Para conseguir o apoio de uma pessoa para uma visão compartilhada é necessário que ela “compre” a ideia do que você está tentando fazer. Uma boa forma de conseguir que isso aconteça é responder por que planeja ir naquela direção. Quando estava subindo na carreira de gestão, o trabalho era muito claro. Como membro do time, era cobrado a fazer aquilo que o chefe pedia, simplesmente. Sem questionamentos!

Mas as coisas mudaram. Muitos de nós lideramos exércitos “voluntários”! As pessoas podem procurar e escolher dentre muitas oportunidades e empregadores.

Se você realmente espera conseguir envolver as pessoas ao seu redor e conseguir grandes realizações, precisa ajudá-las a enxergar os motivos que o levaram a planejar a rota e e qual o destino esperado se ela for seguida conforme o planejado.

Ao definir o curso e explicar porque você está voltando-se para a direção escolhida, todo líder deve se preparar para responder duas partes da pergunta: por que você, como líder, planeja ir para esse destino e por que todos devem acompanhá-lo.

A segunda parte da questão pode ser ainda mais importante para as pessoas que lidera. A conclusão é que muitos querem que você explique “o que há lá para elas.” Por que, dentre todos os lugares possíveis, esse, particularmente, foi o escolhido. O que, desse destino, o tornou especial, diferente, importante? O que, sobre esse destino, o inspirou e deu energias para colocar os esforços necessários para chegar lá? Por que elas deveriam querer ir para lá com você? O que, nessa jornada, atende às suas necessidades, esperanças, sonhos e desejos?

Supondo que caso você consiga criar o mesmo nível de motivação e excitação neles que existe em você, obterá em troca muito mais energia com menos esforço.

Grandes objetivos requerem grande esforço e grande paixão. Conseguir pessoas envolvidas nas possibilidades, é crítico para a criação desse tipo de envolvimento.

Pergunta 3: Como chegaremos lá?
Uma vez que o líder tenha articulado a visão de onde o time está indo e porque as pessoas deveriam estar animadas em irem para lá, a gestão precisa assegurar que o time execute a estratégia. É trabalho dos gestores ajudar a desenhar o plano de como sair de um ponto para chegar a outro. Essa conquista depende, em parte, da definição do trajeto a ser feito para o destino escolhido.

Já a gestão é responsável por trabalhar com o time para identificar e planejar os passos necessários para ir de um lugar ao outro. Os gerentes precisam trabalhar com seus times para guiar, suportar e prover as ferramentas, orientação, motivação e reconhecimento que construirão a ponte entre o agora e o  futuro.

Gestores inesquecíveis são como grandes mestres de xadrez. Eles reconhecem o que é único sobre cada membro de sua equipe. Eles conhecem suas forças, fraquezas, gostos e desgostos, e usam esses insights para extrair o melhor de cada indivíduo.

As pessoas são diferentes, pensam de formas distintas, tem preferências e gostos variados, então por que deveríamos tratá-las de formas iguais?

O jeito que uma pessoa prefere ser comunicada, elogiada e criticada com certeza é diferente de outra da mesma equipe, portanto, você líder, deve saber "mapear" os estilos de cada pessoa da sua equipe para ser cada vez mais assertivo em suas comunicações e interações. Com certeza isso trará resultados muito positivos na produtividade da equipe.

 

(*) Larry Bonfante é CIO da Bench Coach

 

Tags
Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail