Home > Tendências

De saída da Microsoft, Bill Gates saúda ‘nova década digital’ e cita iPhone

Fundador da companhia anuncia nova fase digital graças à penetração da internet

Guilherme Felitti, do IDG Now!

08/01/2008 às 10h07

Foto:

O fundador e atual chief software architect da Microsoft, Bill Gates, usou seu discurso de abertura da Consumer Eletronics Show (CES), que acontece em Las Vegas a partir desta segunda-feira (07/01), para saúdar o que chamou de "segunda década digital".

Em um keynote de pouco mais de uma hora que inaugurou a quadragésima primeira edição do tradicional evento, Gates definiu  a "primeira década digital", período sem data definida de término pelo executivo, mas que atingiu seu fim com a maturidade de conexões oferecidas para os usuários.

Em sua décima primeira participação, o discurso foi o último de Gates na CES frente à Microsoft, já que o executivo se afastará em julho do expediente regular da companhia para gerenciar a Bill and Melissa Gates Foundation, focada em questões de saúde e educação em países subdesenvolvidos, como anunciado em 2006.

"Quero atentar que este é meu último keynote. Em julho, será a primeira vez desde os 17 anos que não terei meu expediente na Microsoft. Não sei como será este último dia”, afirmou, antes de mostrar um bem humorado vídeo em que recebe conselhos de personalidades como Bono, Al Gore, Jay-Z e Jon Stewart.

"Desde que comecei a falar sobre a década digital, em 2001, a velocidade com que a tecnologia se tornou central na maneira como trabalhamos, aprendemos e jogamos foi incrível", diz, sintetizando um período marcado pela popularização de acesso em banda larga e hardwares, como PCs e aparelhos móveis.

A entrada na próxima década digital se apóia na popularização do acesso à internet para se focar em softwares e serviços online que conectem o usuário, trazendo para a prática o conceito de computação onipresente.

O caminho à realização do conceito terá relação com três fundamentos principais discutidos por Gates - tecnologia de alta definição não apenas para TVs, aparelhos móveis conectados constantemente à internet e o poder da interface do usuário, algo considerado por ele "subestimado pelo mercado em geral".

No detalhamento sobre o terceiro conceito, Gates surpreendeu a platéia de milhares de presentes, entre membros da imprensa e do mercado de tecnologia, ao citar o iPhone, da rival Apple, junto ao Microsoft Surface como exemplo de poder de uma interface tátil de fácil uso pelo usuário.

A expansão tanto do mercado móvel como do uso de diferentes plataformas para entrega de conteúdo multimídia ganharam números revelados por Bill Gates que indicam que a plataforma Windows Mobile equipou 20 milhões de celulares vendidos durante 2007, com projeções de dobrar este número em 2008.

Já a plataforma SilverLight, desenvolvida como rival do Flash, da Macromedia, ganhará seu primeiro grande case a partir de agosto, quando a rede norte-americana NBC empregar a tecnologia para transmitir mais de 3 mil horas de vídeos das Olimpíadas de Pequim online.

Além de vídeos on demand e transmissões ao vivo, o acordo entre Microsoft e NBC permitirá conteúdo em alta definição e com funções que usuários podem definir durante partidas e competições.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail