Home > Gestão

Certificação digital

Entenda como a certificação digital pode ajudá-lo a reponder a necessidade de segurança e agilidade dos negócio com os casos das gigantes Sabesp e Usiminas

Marina Pita

11/12/2007 às 18h54

certific_digital__int.jpg
Foto:

A partir de janeiro, as empresas precisarão de certificados digitais para transacionem dentro do Sistema Integrado de Comércio Exterior (Siscomex). Elas devem migrar do atual sistema de acesso, senha radar, para o certificado digital, e-CPF. Mas esse é apenas mais um forte motivo para os CIOs ficarem atentos para a necessidade - e para os benefícios - dessa tecnologia. A Sabesp adotou a solução para melhorar a segurança de seu Sistema de Gerenciamento de Licitações; a Usiminas, para reduzir o tempo para a assinatura de contratos.

A Sabesp tinha uma questão urgente: estar em conformidade com a legislação norte-americana que exige tais mecanismos de controle, já que as ações da empresa, de capital misto, são negociadas na Bolsa de Nova York. Além disso, “os valores transacionados são muito elevados. Precisávamos trazer para esse ambiente ferramentas que pudessem garantir uma autenticação forte dos participantes, para que as transações não pudessem ser alteradas ou negadas por seus autores”, explica Álvaro Mendes, Superintendente de Suprimentos e Contratações Estratégicas da Sabesp.

No caso do Sistema Usiminas, maior complexo siderúrgico de aços planos da América Latina e um dos 20 maiores do mundo, a necessidade de muitas assinaturas em alguns contratos - dependendo de seu valor e importância - de diretores espalhados por diferentes partes do país tornava o processo lento. “Em alguns casos, observamos absurdos de levar até um mês para que um contrato fosse assinado internamente e mais dez dias para que fosse assinado pelo fornecedor”, explica Acrísio Tavares, CIO do Sistema Usiminas.

Obstáculos do percurso

O projeto da Sabesp levou 12 meses para entrar em funcionamento e envolveu uma equipe de 16 pessoas. Os desenvolvedores trabalharam com uma arquitetura mista, compatibilizando a aplicação de certificação digital em Java com o ambiente Lotus Notes no qual roda o sistema de licitações da companhia de saneamento básico, a maior dificuldade de ordem técnica do projeto.

“Precisávamos de uma solução que não excluísse nenhum potencial fornecedor. A certificação deveria funcionar na plataforma que o usuário do sistema utilizasse, por isso escolhemos o caminho mais complexo”, afirma Mendes. A Sabesp selecionou, dentre seu corpo de funcionários, aqueles especializados em Java e em Lotus para ajudar no desenvolvimento do projeto.

No caso da Usiminas, o CIO não encontrou dificuldades técnicas. No entanto, não havia previsto que os diretores que assinam o projeto precisariam também de um resumo de seu conteúdo também digitalizado somado ao documento original. “Tivemos de desenvolver essa espécie de informativo de conteúdo, já que o diretor não precisa conhecer todos os detalhes do contrato, mas sim o que ele significa”, explica Tavares.

++++

Envolva o jurídico e os usuários
Um dos fatores para o sucesso da solução de certificação digital do Sistema Usiminas, que entra em funcionamento na próxima semana, foi o envolvimento da área jurídica da companhia. “O departamento jurídico esteve junto no processo para afiançar toda a solução”, diz Tavares. 
Um detalhe que pode parecer óbvio, mas pode determinar o sucesso do projeto, é a necessidade de avisar os demais envolvidos nesse processo o quanto antes. “Tivemos de explicar o processo, e convencê-los de que a solução tornaria tudo muito mais seguro, beneficiaria  a todos”, diz Mendes.  “Estamos interagindo com as áreas de compras, junto com os fornecedores e com os stakeholders”, complementa Tavares.

Resultado
O tempo para recolher todas as assinaturas necessárias nos contratos da Usiminas deve passar da média de uma semana para apenas dois dias com a nova solução, conforme avalia seu CIO.

Na Sabesp, por sua vez, os mecanismos de certificação digital atuam em quatro aspectos essenciais para a transparência e a confiabilidade do sistema de licitações: irretratabilidade, integridade, confidencialidade e autenticidade. “Depois de efetivada no sistema, uma transação não pode ser negada ou alterada. Há total fidelidade ao documento original, com garantia da autoria, origem e destino, e as informações estão protegidas da ação de terceiros, reduzindo ao máximo a possibilidade de fraudes”, explica Mendes.

Além disso, Mendes afirma que a área de Suprimentos e Contratações Estratégicas da Sabesp inverteu o ônus da prova. “Temos total tranqüilidade de que nosso sistema funciona, se um dia precisarmos responder a algum licitante”.

Comece pequeno, mas pense grande
“Estamos em um processo paulatino. Primeiro envolvemos os fornecedores que trabalham dentro do próprio Sistema Usiminas, diretamente conosco. Agora vamos partir para os fornecedores externos. Vamos convocá-los pela segunda vez. A primeira foi para comunicar o começo do projeto”, detalha Tavares.

Apesar de a solução ter sido criada para um problema específico, a Usiminas pretende aproveitar a solução nas demais áreas. “Criamos uma plataforma para utilizar o certificado digital em qualquer documento. Vamos começar a emitir certificados digitais nos relatórios de inspeção dos materiais (em que constam as características mecânicas e químicas dos nossos produtos) algo muito útil para o cliente. Mas não para aí, vamos avaliar o fluxo de documentos, analisar processo a processo e avaliar o próximo passo”, complementa o CIO.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail