Home > Carreira

Ex-CIO da Microsoft já tem novo emprego

Recolocação extremamente ágil surpreende mercado e consultores

Meridith Levinson, CIO

30/11/2007 às 12h19

Foto:

Apenas três semanas após a Microsoft anunciar a demissão do CIO Stuart Scott por "violar as politicas da empresa", Scott parece ter resurgido das cinzas como a fênix. Esta semana ele começou no novo emprego: nada menos do que o COO da Taylor, Bean e Whitaker, empresa norte-americana do setor financeiro.

Scott se recuperou rapidamente de sua expulsão pública da Microsoft. Três headhunters ouvidos por CIO sobre a recuperação de executivos após demissões controversas (e públicas) disseram que acreditavam na recuperação de Scott. Só não imaginavam que seria tão rápido. "Isso deveria já deveria estar acontecendo antes de [Scott deixar a Microsoft]," disse Reynold Lewke, um recrutador da Egon Zehnder International. "A busca por executivos deste nível leva, no mínimo, de seis a nove semanas."

Apesar de Lewke não conhecer os detalhes do processo de contratação de Scott pela Taylor, Bean & Whitaker, sua experiência com recrutamento executivo faz com que ele conheça a duração desses procedimentos.  he is familiar with such processes and their duration.
 
Executivos da Taylor, Bean & Whitaker não foram encontrados para comentar o assunto. 
 
Mudar de área é possível
A mudança de área de atuação de Scott - tanto em relação à indústria na qual a companhia está inserida quanto no que se refere à posição de Scott na empresa - pode parecer pouco usual, principalmente porque ele não tem qualquer experiência no mercado financeiro e nunca havia sido COO. No entanto, os headhunters não vêem a situação como uma exceção.

Lewke lembra, por exemplo, o caso de Greg Carmichael que, em 2004, passou por movimento semelhante ao tornar-se VP de TI e operações da Fifth Third Bancorp depois de atuar como CIO da Emerson Eletric e como executivo de negócios na área de sistemas elétricos e motores da GE. Apesar de não ter nenhuma experiência anterior no segmento de finanças, em 2006 ele foi promovido a COO da Fifth Third.

Os consultores destacam ainda que o alto grau de importância dos recursos de tecnologia para as empresas do setor financeiro torna o passado de Scott no segmento de TI algo bastante valioso. "A eficiência e a competitividade das companhias do setor financeiro são impulsionados por seu parte tecnológico", avalia Sam Gordon, diretor da Harvey Nash Executive Search. "Em uma financeira, especialmente uma que está tentando melhorar sua infra-estrutura de TI, conhecer o negócio deixa de ser tão importante."

A "raça" de Scott e seu passado ajudaram em sua recuperação rápida, mas nem todos têm a mesma sorte. "Para cada Stuart Scott, haverá sempre um outro executivo demitido publicamente que não se recupera com tanta facilidade", prevê Gordon.
 
Um bom sinal para Scott e outros CIOs
Lewke diz que a trajetória de Scott lhe dará a experiência e a flexibilidade para continuar na linha de negócios e operações, podendo inclusive chegar ao posto de CEO - assim como voltar ao cargo de CIO, de uma companhia maior. Se resolver voltar a ser CIO, Scott deverá ter, na opinião de Lewke, maior credibilidade por já ter estado "do outro lado".

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail