Home > Carreira

Três formas de ser mais criativo

Pesquisas sobre o funcionamento do cérebro ensinam: relaxe, faça exercícios e durma mais

Diann Daniel

05/10/2007 às 13h39

brain3_int.jpg
Foto:

Se trabalhar até tarde deixa você sonolento e mal preparado para lidar com uma manhã turbulenta, aqui está o porquê: as melhores idéias são criadas em cérebros descansados e saudáveis.

A despeito da lenda de que maus hábitos andam de mãos dadas com a inspiração – pense em Ernest Hemingway, Vicent Van Gogh e outras lendas criativas –, pesquisas apontam na direção contrária, diz Daniel Amen, CEO da Amen Clinic, especialista em pesquisas sobre o cérebro. Amen acredita que esses artistas eram criativos apesar do estilo de vida adotado, não por causa dele.

Embora os cientistas estejam apenas começando a estudar a relação entre saúde e criatividade, pesquisas recentes (sem falar no senso comum) sugerem que, para a maioria de nós, estresse, sono e atividade física influenciam diretamente na capacidade criativa. Os líderes de TI que trabalham muitas horas (tais como 24% dos entrevistados na pesquisa da firma de recrutamento Harvey Nash em março, que admitiram trabalhar mais de 56 horas por semana) podem não estar no melhor e mais criativo momento justamente quando a importância da inovação cresce.

O estresse mata as células do cérebro
O estresse contínuo ou intenso pode danificar as células do cérebro, sua estrutura e suas funções e pode ainda causar efeitos colaterais como perda de memória ou depressão, de acordo com neurologistas.

Estudos com animais oferecem pistas de como o estresse afeta o cérebro. Em uma pesquisa publicada pela Sociedade de Neurociência, na qual os pesquisadores estressavam os ratos comprimindo-os, as células do hipocampo dos animais, uma área importante do cérebro para a memória, degeneraram-se. Outros estudos indicam que o estresse inibe a reprodução das células do hipocampo, uma das poucas áreas do cérebro capaz disso. Os dois fenômenos poderiam afetar a comunicação entre as células do cérebro e a memória.

O CIO da Sentara Health Care, Bert Reese, afirma que o estresse é uma “distração desnecessária” de seu trabalho. Ele o previne tomando medidas como exercícios freqüentes e mantendo a atenção exclusivamente na tarefa do momento. Para seguir criativo, ele se apóia na família e em seu tempo ocioso. “Para mim, é importante ter algum período de silêncio para simplesmente deixar as idéias fluírem”, diz ele.

++++

Exercícios dão vigor às novas idéias
O best-seller e maratonista Haruki Murakami acredita que a corrida o encha de criatividade. E se você já provou a sensação de invencibilidade depois de uma longa corrida ou competição de bicicleta, você sabe que se exercitar pode fazê-lo sentir-se impetuoso.

Resumidamente, isso acontece porque o exercício reduz o estresse, impulsiona o movimento sanguíneo para o cérebro e libera endorfina.  – neurotransmissores que inibem a dor e dão ao corpo a sensação de estar naturalmente sedado.

De que forma a atividade física afeta o cérebro e a criatividade no long prazo ainda não foi esclarecido. Mas estudos recentes mostram a ligação entre a prática de exercícios e o crescimento das células. Em um deles, publicado no International Journal of Neuropsychopharmacoly, as células do hipocampo dobraram em ratos adultos que se exercitaram.

Outro estudo publicado no Creativity Research Journal sugere que uma boa rotina de atividades físicas faz idéias criativas fluírem. Pesquisadores selecionaram ao acaso 60 estudantes do ensino médio, dividiram-os em três grupos e exercitaram apenas dois dos grupos. Todos receberam o Teste Torrance de Pensamento Criativo, um método muito usado para avaliar criatividade. Os dois grupos que realizaram atividades físicas realizaram testes imediatamente ou passadas duas horas das atividades. Ambos fizeram uma pontuação mais elevada do que o grupo que não realizou nenhum exercício.

Reese considera a atividade física crucial para sua criatividade, e se esforça para fazer estimulação-cerebral na academia, próxima a seu escritório.

Durma e obtenha respostas
Que poucas horas de sono atrapalham o desempenho e a tomada de decisão, não é novidade. Mas um estudo publicado em 2004, na Nature, diz que dormir é essencial para criatividade. Isso ajuda a explicar porque acordamos pela manhã com a resposta para um problema que nos atormentou na noite anterior.  

O estudo observou 106 pessoas que deveriam responder a uma série de problemas matemáticos com dicas para as soluções escondidas. Durante os testes, algumas pessoas ficaram acordadas enquanto outras puderam descansar. Depois de oito horas, eles foram testados novamente.

Os que dormiram oito horas saíram-se três vezes melhor. Pesquisadores acreditam que esses participantes podem ter refletido sobre os problemas matemáticos durante o sono.  “Dormir poucas horas reduz a função cerebral, afeta o humor, a memória e a habilidade de manter a atenção”, diz Amen. Ele recomenda pelo menos sete horas de sono por noite. “Seu cérebro está envolvido em tudo o que fazemos”, afirma ele. “Se ele não funcionar direito, você não trabalha direito.”

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail