Home > Carreira

Preparar sucessor deve ser obrigação diária

Danielle Sarraf, diretora executiva da Cambridge Leadership Associates (CLA), explica que a preocupação deve estar imersa na atividade diária do profissional

Luiza Dalmazo, do ComputerWorld

27/09/2007 às 15h49

Foto:

Uma das principais lições que os executivos de TI precisam ter para serem eficientes durante os processos de preparação de sucessores é a de que a tarefa deve ser feita durante a rotina – e não diante de uma situação iminente de saída.

De acordo com a diretora executiva da Cambridg Leadership Associates Danielle Sarraf, a melhor forma de executar isso é a observação diária, principalmente durante as ausências temporárias. “Quando estiver em um curso, conferência ou viagem é fundamental acompanhar o comportamento da equipe”, alerta a especialista.

Isso porque, segundo ela, ao contrário de critérios cômodos normalmente usados (o mais comum é a indicação do profissional que está há mais tempo no cargo ou o que tem mais conhecimento técnico), a capacidade de liderança é vital.

“É importante ter sensibilidade para saber como o resto da equipe vê essa pessoa escolhida, até porque estamos falando de cargos de CIO ou gestores de projetos, o que envolve necessariamente a gestão de pessoas”, justifica.

Além disso, outro passo para ser mais efetivo na preparação de sucessores é eliminar a percepção de que se é insubstituível, o que ainda é forte no Brasil. “Primeiro porque todo o mundo pode ser substituído. E segundo porque esse pensamento faz com que você guarde conhecimento para si, o que é algo negativo”, argumenta Danielle.

A diretora executiva da CLA comenta ainda que é fundamental desenvolver a todos os integrantes da equipe igualmente, porque os riscos aumentam caso se escolha apenas um. “Esse profissional pode não querer assumir o posto ou pode também sair da empresa”, lembra. E, se várias pessoas estiverem preparados, a surpresa pode ser uma dúvida positiva.

Mas até que se alcance esse cenário, há um longo caminho pela frente. Danielle diz que apesar dos programas de recursos humanos serem bastante sofisticados, muitas vezes eles são pouco envolventes e os executivos só pensam na questão da sucessão quando cobrados pela diretoria.

Prepare seu sucessor
1
. Esqueça a lenda de que preparar a equipe prejudica sua atuação. Em alguns casos, ao contrário disso, a falta de um sucessor impede que você cresça.

2. Identifique prioridades e objetivos das pessoas que ali atuam. Isso facilita o desenho do perfil do líder que a empresa precisa.

3. Coloque a preocupação com sucessão na pauta do dia-a-dia para deixar de pensar nisso apenas em caso de aposentadoria.

4. Crie mapas com o retrato do nível de preparação das pessoas da equipe – assim você sabe com quem pode contar em curto, médio e longo prazos.

5. Converse com seus pares, superiores e com a área de RH sobre as pessoas que você considera possíveis sucessores – isso diminui a escolha por afinidade.

6. Uma vez por ano discuta com os envolvidos suas impressões sobre quem avalia como possível sucessor e dê visibilidade a esse profissional.

7. Equilibre o desenvolvimento dos profissionais de TI entre habilidades técnicas (sobre negócios e a empresa) e aptidões estratégicas e de liderança.

8. Exponha pessoas com potencial a diferentes experiências para diminuir as chances de erro e prepará-las ainda mais.

9. Recomende à equipe a escolha de um mentor interno e um externo para conversas e avaliações periódicas.

10. Faça avaliações formais de três em três meses com cada integrante da equipe.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail