Home > Carreira

Cinco dicas para as merecidas férias

Os departamentos de TI devem estar sempre 'on', mas os líderes de TI precisam de um tempo 'off'

C. G. Lynch

26/07/2007 às 12h38

ferias_int.jpg
Foto:

A área TI, departamento que funciona no esquema 24x7, não pára nunca porque não pára nunca. Certo? Se esta é a maneira como você pensa, é tempo de tirar umas férias. Sua saúde mental e física – e a do resto do departamento – depende do merecido descanso. Abaixo, cinco dicas para estar sempre "on", com tempo para se desligar.

1 – Planeje sua partida
Pode parecer óbvio, mas você se sentirá muito mais tranqüilo se tiver um bom plano para o departamento sobreviver sem a sua presença, recomenda a coach Deborah Brown-Volkman, presidente do Surpass Your Dreams. Ela diz que o plano precisa ir além de, simplesmente, comunicar os dias em que ficará fora. "Dê uma olhada em seus projetos e deixe a equipe informada sobre o que precisa ser feito". E completa: "É muito importante ser o mais específico possível". Além disso, líderes de TI de sucesso garantem que, apesar da natureza 24x7 da área, é preciso se dar o direito de tirar alguns dias por ano para sair do ciclo desgastante dos negócios. Para Bob Weir, vice-presidente de infra-estrutura da Universidade Northeastern, em Boston (EUA), o calendário acadêmico não é um problema. A Northeastern é uma instituição que se orgulha de seu programa flexível que se adapta aos horários dos alunos e, por isso, nunca fecha. Além dos dois semestres de aula, os alunos têm a opção de freqüentar cursos de verão. Mas, como são poucos os que participam, é neste período que a equipe da universidade aproveita para fazer os reparos necessários no campus. Quando isto acontece, Weir encontra o momento ideal para deixar seu posto e seguir para alguns dias em sua casa de veraneio. "Para deixar a infra-estrutura funcionando, eles não precisam de mim. Se, durante o ano acadêmico, eu organizar e providenciar tudo o que é preciso, eu tiro proveito deste ciclo de trabalho", diz.

2 – Escolha: ficar conectado ou não?
De acordo com a coach Brown-Volkman, uma vez que você se afastou do trabalho, a decisão de estar conectado ou desconetado depende de duas coisas: aonde você vai e o tipo de pessoa que você é. "Se você é do tipo obsessivo, deve ir para uma ilha deserta, que é a única maneira de ser obrigado a se desligar do trabalho. Agora, se consegue manter o controle, até pode checar os e-mails uma vez ao dia, pela manhã ou à noite". 
Dale Mills, VP do Retirement Residences Real Estate Investmente Trust em Cambridge, Ontário, diz que, hoje, consegue se desligar do trabalho dependendo de onde for. "Algumas das minhas férias são em locais realmente exóticos", diz. "Geralmente, vou para onde não há pessoas nem celulares". Mills, que já viajou para o Pólo Norte, está atualmente planejando uma viagem para Devon Island, uma ilha ao norte do Círculo Ártico. Ao comunicar os funcionários de suas férias, ele já deixa claro que "desta vez, não estará acessível em hipótese alguma".  "Eu me desligo completamente", afirma. Por outro lado, se fica hospedado em resorts onde há comunicação, troca a ordem: só deve ser chamado em casos realmente urgentes. Weir, da Northeastern, admite que, se passa as férias em casa, checa seu BlackBerry, no mínimo, duas vezes ao dia. Mas, quando viaja a algum lugar novo ou único, desliga o aparelho. "Se vou com minha esposa para a Europa e fico conectado à universidade, ela reclama, com toda razão", diz. Uma coisa é certa: se estiver em dúvida, desconecte-se. Se algo realmente ruim acontecer enquanto você estiver longe, um e-mail seu não vai resolver muita coisa. Ao permitir que a ansiedade atrapalhe as férias, você não estará com a mente pronta a resolver problemas na volta. "Você pode resolver alguma coisa pelo BlackBerry?", pergunta Brown-Volkman. "Provavelmente não. Uma vez que você fizer isto, acabará com as férias. Então, é melhor nem checar nada", aconselha.

3 – Confie nos subordinados
Um dos benefícios de tirar férias é que isto ajuda a fortalecer as relações de confiança entre você e seus subordinados. Eles passarão a tomar decisões que não tomariam na sua presença. Uma vez que isto é feito com sucesso, também o ajuda a traçar um plano de continuidade, de sucessão. "Eu gosto de dar poderes à minha equipe para ajudá-la a se preparar para a tomada de decisões", diz Mills. "Meu objetivo é fazer que a minha palavra se torne redundante", completa. Weir concorda, lembrando que saber que sua equipe dá conta do recado é sinal de que você é um bom líder. "Todo CIO deve ter uma estrutura que funcione sem sua presença". Brown-Volkman concorda, acrescentando que ter pessoas qualificadas ao redor não minimiza o valor do líder de TI. Pelo contrário, ressalta sua competência como bom gerente. "Quando você é um executivo sênior, você é julgado pela sua capacidade de gerenciar pessoas", esclarece. 

4 – O retorno
Dependendo de quanto tempo você passou longe do trabalho, você terá uma porção de coisas a fazer na volta. Além de colocar em dia os milhares de e-mails pendentes, vale a pena sentar com o subordinado direto para se informar sobre tudo o que aconteceu na sua ausência. Quando Weir, da Northeastern, passa as férias em casa, fica online graças ao BlackBerry, mas, quando faz viagens especiais com sua esposa, ele realmente fica inacessível. "Eu tenho um mentor que sempre tira três semanas ou mais de férias. Sua teoria é que qualquer coisa pode ser resolvida pela equipe em uma semana; coisas realmente graves, em duas semanas; e nada pode durar mais do que três semanas". Antes de encarar os muitos e-mails do período em que esteve longe, ele faz uma reunião com o CTO para saber os principais assuntos e pendências durante sua ausência. Assim, pode se concentrar nas mensagens realmente importantes.

5 – Force-se a dar um tempo (e entenda que o barco prossegue sem você)
Brown-Volkman diz que se você é do tipo que arranja mais desculpas para não tirar férias do que para tirá-las, rapidamente entenderá a importância do descanso. "Dizer que você precisa de férias é o mesmo que dizer que precisa comer bem ou fazer exercícios. Você sempre encontra um motivo para não fazer. Mas, mais cedo ou mais tarde, você estará cansado, estressado e nada produtivo", diz. Além disso, Mills ressalta que se você faz bem o seu trabalho, a organização tem que estar pronta a seguir sem sua presença. "Todo mundo se sente indispensável, mas a realidade é que você tem um monte de pessoas capazes ao redor. Você precisa trabalhar com sua equipe de forma que as férias possam acontecer".

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail