Home > Tendências

Integração em busca de agilidade de operações

AES Sul integra ERP para atender demandas da Agência Nacional de Energia Elétrica e ganhar agilidade operacional

Camila Fusco

18/06/2007 às 12h19

Foto:

Responsável pela distribuição de energia elétrica em 118 municípios do Rio Grande do Sul, a AES Sul Distribuidora Gaúcha de Energia tinha até o primeiro semestre do ano passado o desafio de começar a preparar sua estrutura para atender ao segundo ciclo de Revisão Tarifária determinado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), a ser realizado em 2007.
Na agenda, tarefas como integração de plataformas e sistemas legados para obter agilidade nas atividades operacionais. Nessa definição incluem-se o SAP R/3, responsável por toda a gestão da companhia, e o sistema GIS (geographic information system) da fabricante ESRI, responsável por todo o referenciamento espacial dos ativos elétricos da distribuidora, como postes, transformadores, capacitores e cabos, entre outros equipamentos.
Identificadas as necessidades, a distribuidora iniciou seu projeto em maio do ano passado, com auxílio das empresas Softtek - parceira na implementação da plataforma SAP NetWeaver com princípios da arquitetura orientada a serviços (SOA) – e Imagem, que ficou encarregada da interface GIS.
O produto final foi um aplicativo que integrou e permitiu a padronização dos dois sistemas extremos, implantando em janeiro desse ano. “O aplicativo de mobilidade que implementamos resultou não só em mobilidade, mas endereçou também toda a parte de segurança de tráfego das informações entre backoffice e front office”, comenta Sandra Heck, gerente do projeto de tecnologia SAP na AES Sul.
Na prática, o modelo permite que os técnicos da distribuidora de energia façam o levantamento dos ativos elétricos em campo, em um território de 99,5 mil quilômetros quadrados. Por meio de computadores de mão, os profissionais deverão confrontar as informações de backoffice com a realidade do campo.
O principal benefício do novo modelo está na agilidade da atualização e manutenção do cadastro. O procedimento que antes demorava 45 minutos foi reduzido para cerca de 10 minutos. Após a atualização em campo, o processo de sincronismo realiza automaticamente o envio das informações diretamente aos sistemas integrados, eliminando o retrabalho da entrada destes dados em escritório e em diferentes sistemas.
Esta fase, porém, ainda está em período de testes. De acordo com a executiva, até o momento cerca de 10 funcionários estão fazendo esse trabalho, e a distribuidora está em processo de capacitação de outros técnicos. Até o ano que vem, a expectativa é que o sistema seja utilizado por um total de 80 a 100 técnicos.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail