Home > Gestão

Seis características das áreas de TI eficientes

De acordo com pesquisa da Ovum, apenas 22% das empresas entrevistadas possuem essas caracterírsticas, enquanto 78% não podem ser consideradas eficientes

Keith Hanks*

14/05/2007 às 19h57

Foto:

Para serem considerados altamente eficientes, os departamentos de tecnologia precisam conseguir acomodar as mudanças nas solicitações das áreas de negócios, sem interromper as operações ou atrapalhar a produtividade dos usuários. Um estudo recente da Ovum apontou seis características de áreas de TI deste tipo.

1. Utilização de tecnologias de virtualização e consolidação com o objetivo de criar arquiteturas mais flexíveis e dinâmicas.
2. Investimento em aplicações baseadas em SOA para aumentar a flexibilidade dos processos de negócios.
3. Implementação de ITIL a maior parte das áreas, de acordo com as recomendações mais recentes de melhores práticas
4. Investimento em ferramentas para gestão de TI
5. Governança de TI, alinhamento aos negócios e monitoramento dos acordos de nível de serviço (SLAs)
6. Estar preparado para encarar novos desafios, como uso de redes sociais para melhorar a produtividade de TI ou estratégias de reciclagem

A pesquisa, realizada em março de 2007, entrevistou cerca de 300 companhias norte-americanas de grande e médio portes. De acordo com a autora do estudo, Mary Johnston Turner, afirma que menos de 22% dos entrevistados tinham as características acima. “Essas áreas de TI altamente eficientes passaram muito tempo dos últimos dois anos focadas na implementação de SOA, virtualização e ITIL”, afirma Turner.
E os demais 78% das empresas que não atenderam os critérios para serem consideradas altamente eficientes? Departamentos menos eficientes, Segundo Turner, são mais focados em questões tecnológicas pontuais que em serviços fim-a-fim e não possuem processos bem integrados.
O estudo destaca ainda que os CIOs devem começar a se preocupar em usar ferramentas de redes sociais. Dos que foram considerados altamente eficientes, 39% usam redes sociais. Entre os que não são eficientes, são apenas 6% que usam esse tipo de ferramenta. As diretrizes da versão 3 do ITIL pedem colaboração corporativa, desde o desenvolvimento até as operações. O uso de redes sociais (wikis internos, web conference e blogs) facilitará a comunicação entre as áreas, especialmente em empresas com diversas unidades físicas.

*da CIO americana

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail