Home > Carreira

Em busca de inspiração

Liderar a inovação demanda criatividade. Isto significa que você tem de pensar como um artista

Mike Hugos

10/11/2006 às 17h55

Foto:

Como líderes, devemos distribuir a energia da inovação em nossas organizações. E trabalhamos duro para isto. O problema é que a inovação não acontece com trabalho duro solitário; se acontecesse, teríamos tudo que precisamos.
Mas a inovação pede mais do que persistência. No centro de toda inovação existe um momento de inspiração quando você vê algo sobre um problema em particular que ainda não tinha percebido. Eu aprendi sobre esse momento de inspiração assistindo a minha esposa, que é dançarina e coreógrafa, passar pelo processo de busca da inspiração. Às vezes, parece que ela vem do nada; às vezes de um pedaço de música; e às vezes, para minha surpresa, de algo que eu digo ou faço.
Ter inspiração e então transforma-la em uma produção é o que um artista performático faz. Ter inspiração e transforma-la em um sistema de tecnologia é o que um CIO faz. Talvez ninguém nos chame de artistas, mas para fomentar a inovação, nós, CIOs, precisamos aprender com eles.

Como so artistas trabalham
Quando estamos em busca de inovação, normalmente perguntamos: “como temos idéias?” mas esta é a pergunta errada. Eu não acho que nós temos idéias, são as idéias que nos pegam. Os artistas costumam dizer que as suas melhores idéias vêm de fora; e que o que eles fazem é dar forma às mesmas por meio do seu trabalho, seja pintura, escultura, dança, música, cinema ou literatura.
A melhor pergunta a fazer é “Como nos colocamos em condições mentais de agarrar a inspiração quando ela chega?” Artistas vêm trabalhando para isto há milênios. Aqui estão algumas coisas que vejo eles fazerem – e que dão certo:
Eles fazem imersão no assunto. Atores fazem imersão na personalidade e na história de seus personagens; pintores fazem rascunhos e mais rascunhos de suas telas, e músicos experimentam diversas seqüências de notas e tempos.
Eles colaboram. Muitas formas de arte demandam colaboração efetiva entre grupos de pessoas com habilidades complementares. Minha esposa trabalha junto com dançarinos de sua companhia, iluminadores, figurinistas e músicos. Ela combina as diferentes idéias para dar forma à sua dança.
Eles brincam com idéias diferentes. Eles não desprezam uma idéia apenas porque ela parece estranha no início. Minha esposa e seus colaboradores tentam diferentes combinações de movimentos, iluminação, roupas e música para ver o que acontece.
A inspiração ocorre quando uma certa combinação de idéias de repente revela um padrão simples que une todo o trabalho. Os artistas dizem que eles sabem quando a inspiração é autêntica se eles têm responsabilidade intelectual, emocional e física sobre ela. Uma vê que ela acontece, existem várias atividades para lhe dar forma. Durante esse período, os artistas trabalham longas horas; ficam fixados em trazer as idéias para o mundo real e apresentá-las ao mundo.
E uma vez que um grande projeto é finalizado ou que um grande espetáculo é realizado, os artistas deixam a cidade. Ser criativo é custoso emocionalmente e fisicamente. Por isso eles tiram um tempo para recarregar.

Encontre a sua musa
Extrapolando a minha experiencia com artistas, eu vejo quarto habilidades básicas que os CIOs inovadores precisam ter:
Faça uma imersão nos negócios. Não é preciso nem dizer que os CIOs devem ter uma boa noção dos conceitos e regras que guiam as operações de sua companhia. Isto significa um bom entendimento de como cada atividade de negócios é realizada, e quais são os fatores de custos e lucro.
Colabore sempre. Os CIOs precisam inovar frente aos altos níveis de complexidade tanto nos processos de negócio quanto de tecnologia. Lidar com a complexidade fica mais fácil se o pessoal de TI e de negócios trabalharem juntas, trazendo suas habilidades complementares para enfrentar o problema. O CIO inovador orquestra esse processo.
Tolere a incerteza. É um ato de disciplina e, às vezes, de coragem entrar de cabeça nos detalhes de um problema e resistir à tentação de julgar o que deve ser feito. Como a complexidade é inerente à maioria dos problemas, é muito improvável que as primeiras poucas idéias sejam realmente inovadoras. Não jogue idéias for a só porque elas vão contra noções pré-concebidas e não ceda às pressões para fazer algo antes de ter a inspiração que você precisa.
Procure padrões simples. Conforme você tem idéias e as combina de maneiras diferentes para criar o desenho de um sistema, procure por desenhos nos quais todos os elementos se unam de uma forma simples, lógica e complementar. Lembre-se que sistemas com desenhos complexos usualmente significam que as soluções não foram completamente exploradas. Quando você encontra uma combinação simples de processos e tecnologia que possa satisfazer uma grande variedade de necessidades de negócios, então você encontrou um desenho inovador.

Simplicidade é importante para os artistas porque o público entende mais facilmente, o que faz de modelos simples formas mais eficientes de expressar idéias. Simplicidade no desenho de sistemas funcionam bem para um CIO porque têm mais chances de sucesso.
A medida que você e seu time desenvolvem essas habilidades, você verá um importante aumento na inovação em sua organização.  Nós, CIOs, já estamos trabalhando muito e duro para fazer as coisas. Quando nós combinamos essas habilidades à de descobrir idéias inovadoras, então temos uma arma ponderosa para dar à empresa as ferramentas que ela precisa para competir e ter sucesso.
Finalmente, lembre-se que inovação é uma arte mais do que uma ciência. Conforme você torna-se inovador, também torna-se um artista. Então, faça como os artistas quando finalizar um grande projeto – saia da cidade. Não leve seu Blackberry. Divirta-se. Muito trabalho sem diversão cria um CIO burro. E um CIO burro não tem a menor chance de inovar.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail