Home > Gestão

Inovar: a força de uma organização

É preciso criar formas de fazer com que TI seja assimilada aos valores culturais da empresa e de seus funcionários. Inovação tecnológica é, antes de tudo, parte dos valores com a qual uma empresa se identifica

Laércio Cezar*

21/09/2006 às 14h33

Foto:

(este artigo é parte da reportagem Inovar é preciso)

A Tecnologia da Informação galgou postos rapidamente na estrutura corporativa das organizações empresariais. É hoje, reconhecidamente, o elo que pode definir se algum produto ou serviço é viável e se ele terá condições de chegar ao público consumidor com a qualidade exigida. O caminho contrário também é verdadeiro. Espera-se da tecnologia que ela tenha soluções para garantir com que um produto ou serviço se torne sucesso de mercado.
A aplicação tecnológica dentro das organizações empresariais ganhou características próprias e tornou-se um elemento orgânico, com tarefas básicas.  Mas seu conceito fundamental continua e sempre continuará sendo a infindável capacidade de oferecer inovações e criações para a empresa poder gerar maior valor ao seu negócio, beneficiando acionistas, clientes e a sociedade.
Esse é o aspecto a destacar. A tecnologia corporativa é hoje composta por duas faces bem definidas, de um lado executa funções estratégicas decisivas para garantir com que o negócio se viabilize no dia-a-dia, mas, de outro, tem o desafio de buscar o novo para dar sustentabilidade ao futuro da marca e da empresa.
Esse modelo, apesar de parecer simples, tem funcionamento complexo e depende de vários fatores para ser bem sucedido. Em primeiro lugar, a área de TI deve ocupar um papel bem definido dentro da estrutura da empresa. Mais ainda, é preciso criar formas de fazer com que ela seja assimilada aos valores culturais da empresa e de seu quadro de funcionários. Inovação tecnológica é, antes de tudo, parte dos valores com a qual uma empresa se identifica.
Temos exemplos corporativos no mercado que seguem esse padrão e o Bradesco se coloca como um deles. “Pioneirismo em tecnologia e em soluções para os clientes” é uma das premissas estabelecidas na nossa missão corporativa. É uma demonstração empírica da relevância exercida pela tecnologia na organização. O mais importante é que esta relevância ocupa um lugar histórico, pois sempre foi assim.  Ao longo de seus 63 anos de vida, diversas iniciativas tornaram o Bradesco referência mundial em tecnologia da informação. O pioneirismo em conceber soluções de ponta permanece como uma de nossas marcas.
O Bradesco contabiliza centenas de inovações. Algumas se destacam. Em 1962, compramos o primeiro computador do Brasil, um IBM 1401 com 4K. Nos anos 80, o Bradesco foi o responsável pelo lançamento do primeiro sistema de home banking do Brasil, por meio de um sistema de videotexto. Fomos, em 1996, o primeiro Banco na América Latina e o quinto no mundo a oferecer operações bancárias pela internet. Em 1998, lançamos o Internet Banking para Deficientes Visuais. Com ele, fomos reconhecidos no prestigiado “Smithsonian Awards”, a mais importante premiação mundial para soluções tecnológicas aplicadas para o bem da humanidade, dentre tantas outras.
O processo de construção da cultura de inovação e pioneirismo do Bradesco trouxe vários aprendizados. Um dos principais é o de que a tecnologia não é um ente solitário e não pode ser entendido apenas em seu aspecto de descoberta científica. A tecnologia deve ter aplicação prática, ter efetiva necessidade social e capacidade de chegar com qualidade funcional ao consumidor. O ciclo da inovação tecnológica se forma pela busca, a descoberta, a fase de experimentação, o posterior desenvolvimento do produto, a estruturação do processo e a nova técnica. Nesse sentido, nos últimos cinco anos, nosso grande desafio vem sendo o de estruturar e alinhar a TI do banco para ser um eficiente instrumento prestador de serviços à disposição de todas as áreas de negócios da organização.

++++

A partir disso, o banco decidiu pela implementação do “TI Melhorias”, projeto audacioso que prevê a revitalização de todos os segmentos sistêmicos, passando por processos, aplicações, sistemas operacionais, tecnologias e infra-estrutura. O objetivo é elevar a tecnologia do Bradesco – já carregando o peso da tradição de ser considerada como de alta qualidade, eficiente e moderna – , a uma posição de “estado da arte”.
Era o momento certo de ousar. A economia brasileira estava iniciando um período de grandes mudanças, o que exigiu das empresas a busca por mais escala e eficiência. Com a aplicação desse projeto, podemos dizer que a organização Bradesco está e estará preparada para enfrentar os desafios de várias décadas à frente.
Também na Europa e na Ásia, as principais instituições do mercado definiram a mesma tendência. Iniciaram programas de reformas em seus sistemas e desenvolvimento de novas arquiteturas, a exemplo do “TI Melhorias”. Nos propusemos a um salto de qualidade vigoroso, cujo conceito é fazer a área de TI trabalhar em função do nosso negócio. 
Há atualmente cerca de 30 grandes projetos em andamento. O principal, considerado a alma de todos eles, trata da construção de uma nova arquitetura de sistemas. Isso significa reescrever todos os sistemas legados no conceito de uma arquitetura orientada a serviços (SOA), resultado de amplo debate com todos os segmentos de negócios da organização. A mudança representa um modelo ágil e flexível, que nos permite acompanhar a dinâmica dos negócios no regime “time to market”. 
O TI Melhorias é um projeto de grande envergadura e de longa duração. Ele diagnostica, recomenda e assegura a implementação de mudanças estruturais onde for necessário. Requer apoio e envolvimento de todos os segmentos e da Alta Administração do Banco. Aqui, as pessoas, aliás, são um dos fatores essenciais para que a inovação tecnológica seja de fato um diferencial. É preciso valorizar a criatividade e a capacitação profissional de nossos colaboradores. É preciso apoiar profissionais criativos e proporcionar um ambiente saudável com estímulos à liberdade e o conhecimento. 
São esses os alicerces que norteiam a cultura de nosso quadro de 77.840 funcionários e os profissionais de TI se inserem nesse contexto. Nosso capital intelectual é tão importante e estratégico como nossa missão de pioneirismo. Esses ingredientes nos possibilitam, nos dão vantagens competitivas, que se traduzem ano após ano, em novas soluções, produtos e serviços. 
Recentemente, por exemplo, inovamos com uma das mais modernas tecnologias de mercado. Implantamos a primeira agência bancária que funciona totalmente sem fio. É a Agência Bradesco wireless Cidade de Deus. Também lançamos o Token via celular para autenticação de senhas instantâneas para transações na Internet. Neste ano, iniciamos a instalação de equipamentos de auto-atendimento que utilizam a mais recente novidade em biometria que permite o reconhecimento do sistema vascular da palma da mão (palmsecure) como forma de acesso. São exemplos de ineditismo.

* Laércio Cezar é vice-presidente executivo do Bradesco

Além da tecnologia, por Ítalo Flammia
No papel de educadores, por Mauro Negrete
Valorize a tecnologia. Pense menos nela, por Roberto Agune
CIO, o agente da inovação, por Edson Fregni
A palavra de ordem é integração, por Letícia Costa
Informaticidade se escreve com "i", de inovação, por Sílvio Meira
O lego da infra-estrutura de TI, por Sílvio Genesini

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail