Home > Carreira

O CIO de amanhã

Formação técnica ou em negócios? Pós-graduação, MBA, cursos especializantes? Formação funcional? Descubra qual é o mix ideal para o líder de TI dos próximos anos

14/07/2006 às 12h37

Foto:

O perfil do profissional de TI está no meio de uma profunda mudança. Enquanto há alguns anos ele era cobrado para saber tudo sobre as tecnologias disponíveis, hoje ele precisa entender, também, de finanças, estratégias de negócios e marketing. Se antes o estereótipo do líder de tecnologia era um cara meio fechado, sempre sozinho com suas máquinas naquela salinha no fundo da empresa, agora ele é uma das estrelas da companhia e tem de ser capaz de se comunicar com todas as áreas com a mesma desenvoltura – ou mais – com que lida com o computador.
No olho do furacão que está trazendo esse novo modelo para o departamento de TI, o CIO de hoje luta para se adaptar ao que o mercado está pedindo. Enquanto isso, profissionais de TI, estudantes e outros “aspirantes a CIO” sentem-se perdidos sobre como garantir que suas carreiras tomem o rumo almejado. Para tornar o caminho menos tortuoso, o consultor de carreira da FESA Global Recruiters, Mike Lawrence, dá algumas dicas. E resume: no futuro, profissionais de TI serão pessoas muito inteligentes, abertas a ouvir e a entender um quadro mais completo de necessidades, e capazes de traduzir tecnologia em valor para os negócios.

- Graduação
Uma boa faculdade para formação técnica é o primeiro passo para chegar à liderança da área de TI de uma grande empresa. Entretanto, é muito importante ampliar os horizontes ainda durante os estudos. Adquirir conhecimento em áreas mais voltadas ao planejamento, como a gestão de projetos, pode ser uma boa maneira de começar cedo a pensar mais longe do que apenas em aplicações.

- Pós-graduação
É essencial ter formação na área financeira – além de estar constantemente informado sobre o assunto. Segundo Lawrence, as pessoas que vão chegar ao nível de CIO precisam de capacidade para medir gastos, realizar planejamento e outras atividades financeiras que têm efeito nos negócios, e podem adquirir esse conhecimento por meio de uma pós.
Um MBA – apesar de já não ter o mesmo efeito no currículo como há alguns anos – também é indicado, mas deve focar mais em estratégias de negócios.

- Formação funcional
Não é preciso – e nem recomendável – aprender tudo na sala de aula. Para chegar à liderança do departamento de TI, é preciso hands on. Infelizmente, é difícil que os líderes das outras áreas enxerguem o pessoal de tecnologia como candidatos às vagas em negócios. Se não existe um mentor para indicar, não vão escolher a pessoa de TI. Mas é decisivo não ficar apenas com o chapéu só de TI.

- Comunicação
Outra característica apontada pelo consultor como extremamente importante é a habilidade de comunicação. Os CIOs, daqui a cinco ou dez anos, serão ainda mais importantes na tradução das necessidades das diferentes áreas de negócios. Para isso, é muito importante ser capaz de realizar essa comunicação bidirecional, fazer a tradução de valor entre os grupos.

- Pensamento estratégico
Hoje, os executivos de TI procuram principalmente jovens que sejam técnicos puros, com muita força no lado de execução. É preciso, entretanto, pensar em como formar os outros profissionais, os que terão pensamento estratégico. Esta característica não tem ligação com a inteligência do profissional, mas com a amplitude de sua formação. Pessoas dedicadas a pensar estrategicamente, a planejar, serão cada vez mais necessárias.

- Comportamento diplomático
Uma das características mais importantes será, cada vez mais, o comportamento diplomático. Entender as necessidades do negócio e saber como entregar soluções em TI para atendê-las; sempre respeitando as limitações da área de tecnologia.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail