Home > Gestão

Como conversar com seu CEO

Quais são os quatro passos para uma convivência harmoniosa e produtiva com o líder da corporação

Mark Goulston

12/01/2006 às 17h32

Foto:

Passo 1: Certifique-se de que suas expectativas quanto ao comportamento do seu CEO são realistas, não apenas razoáveis. Você pode, sensatamente, esperar que será tratado com respeito se o CEO (ou COO ou CFO) quer motivá-lo. Mas isso talvez não seja realista. Não espere que um CEO impaciente não aja com impaciência se ele está frustrado.
Passo 2: Exerça influência assim que o chefe lhe der uma atribuição. Faça com que ele seja explícito e detalhado e depois repita para ele o seguinte: “Quero ter certeza de que entendi exatamente o que você quer que eu faça, para que eu não o surpreenda mais tarde. Você quer que eu [declare especificamente o que lhe foi solicitado fazer] em [declare o prazo] para que você [declare a meta de curto prazo sobre a qual ele está trabalhando]. Agora diga novamente: você prevê que TI vai ajudá-lo ao proporcionar...” Então faça o CEO reafirmar o que ele acha que a tecnologia vai proporcionar.
Passo 3: Após concluir o Passo 2, diga: “O que mais devo saber para passar ao meu pessoal? Consigo extrair o melhor deles quando eles entendem por que estamos fazendo o que estamos fazendo”.
Quando der os três passos acima, realizará muitas coisas. Habilita-se a fazer uma troca ao invés de sentir-se frustrado porque falam com você com menosprezo e você não faz nada. Você abranda o CEO e conquista o respeito dele (e o seu), fazendo com que o trate melhor, conversando com você ao invés de ordenando. Você faz o chefe vê-lo como uma pessoa inteligente, capaz de pensar, ao invés de um indivíduo domesticado e treinado que só executa uma função. Por fim, e mais importante, poderá dar o passo abaixo.
Passo 4: Diga ao CEO: “Se e quando nos depararmos com obstáculos no caminho e depois de descobrirmos a melhor maneira de eliminá-los (você não quer preocupar o chefe dizendo que vai precisar dele para resolver algo na área de incompetência dele), o modo mais eficiente e rápido de informar você e obter os recursos adicionais de que precisamos é...” Aqui, você deve fazer uma pausa e deixar que ele complete a frase, à qual você depois vai recorrer se e quando se deparar com estes obstáculos.
Não faz sentido esperar um comportamento sensato de executivos impacientes, cuja abordagem típica é despejar sobre você expectativas irreais e depois brigar caso nada faz a não ser satisfazê-las. Ao invés de permitir que eles o atropelem com uma crítica violenta, envolva-os em uma discussão e, se possível, um diálogo. Para isso, faça com que eles sejam mais explícitos e específicos quanto ao que querem que você faça e depois repita para eles o que eles lhe disseram. Assim eles vão saber que você os ouviu e entendeu e que você não deve ser tratado como se fosse negligente.
Você está um pouco resistente no momento? É porque estou tentando tirá-lo de sua zona de conforto e competência, você que prefere evitar confrontação com o CEO (que é o que representam os quatro passos levemente velados acima). É análogo a você tentar tirá-los de sua zona de conforto e fazê-los pensar com maior profundidade (e realismo) em como aproveitá-lo. Só porque acha que não será capaz de fazer isso não quer dizer que não possa. Pode e deve, e talvez fique agradavelmente surpreso com a resposta do seu CEO.

* Mark Goulston, MD, especializado em resolver problemas de negócio aplicando inteligência emocional. É autor do livro recém-lançado Get Out of Your Own Way at Work and Help Others Do the Same (Putnam 2005).

Leia também: Como evitar confrontos

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail