Home > Gestão

Sem amarras – parte 5

Uma estratégia de loose coupling eficaz exige dos participantes do negócio o estabelecimento de relações de longo prazo muito mais ricas do que as relações baseadas em transação convencionais

John Hagel e John Seely Brown

15/12/2005 às 20h57

Foto:

Loose coupling não funciona sem um investimento expressivo na criação de relações baseada em confiança entre os participantes. Estes elementos de negócio têm que ser entrelaçados com elementos de tecnologia, formando a base para que sentido, confiança e orquestração compartilhados se desenvolvam e evoluam.
Até agora, a abordagem loosely coupled para gerenciamento de processos de negócio tem sido implementada além dos limites da corporação para coordenar processos de negócio que abrangem múltiplas empresas.
Esperamos que, com o passar do tempo, esta abordagem também seja aplicada a gerenciamento de processo de negócio dentro da corporação. À medida que as empresas perceberem os benefícios de loose coupling para o desempenho, também vão querer adotar esta abordagem dentro da corporação para aumentar a flexibilidade.
Os CIOs estão naturalmente posicionados para desempenhar um papel de liderança em ajudar as empresas a adotar e implementar estas plataformas de tecnologia loosely coupled. Eles deveriam começar com funções de negócio que têm a interação maior com terceiros (por exemplo, vendas e marketing, suporte ao cliente, procurement e gerenciamento de supply chain).
Ao vincular a evolução da arquitetura de TI às necessidades de negócio atuais mais prementes, os CIOs podem mobilizar o apoio de seus colegas de negócio para estratégias de migração de arquitetura mais ambiciosas.
Em um escopo mais amplo, os CIOs podem ajudar executivos fora da área de tecnologia a entender os benefícios atrativos de uma abordagem de design loosely coupled. Ao enfocar as aplicações de loose coupling para o negócio, os CIOs têm o potencial de se tornar grandes players na próxima onda de inovação.

* John Hagel e John Seely Brown são co-autores de um novo livro chamado "The Only Sustainable Edge: Why Business Strategy Depends on Productive Friction and Dynamic Specialization". Hagel é um consultor em gerenciamento que trabalhou 16 anos na McKinsey & Co. Brown, ex-cientista-chefe da Xerox, atualmente é visiting scholar da University of Southern California.

Páginas anteriores ( 1 ) ( 2 ) ( 3 ) ( 4 )

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail