Home > Carreira

Parte 2: Mulheres e TI, cada vez mais próximas

Rachel Rubin

26/08/2005 às 14h30

Foto:

Para Laís Passarelli, headhunter e diretora da Passarelli Consultores, a tendência é que, aos poucos, o universo feminino se torne mais presente na diretoria das corporações. “Há poucas mulheres em altos cargos em todas as áreas, não apenas em TI. Mas o mercado está descobrindo a extrema importância de contar com profissionais hábeis em estratégia e comunicação, uma das principais características da mulher”, observa a headhunter, cuja consultoria dedica uma área exclusiva para recrutamento de profissionais de TI.
Antes de ser chamada para a vaga de Caldas, Tânia já colocava à prova sua capacidade de liderança, inclusive para destacar a posição das mulheres na corporação. “Fui convidada a liderar a iniciativa de criar network de mulheres no Brasil, em uma ação mundial chamada AWN (Alcoa Women Network)”, revela. Além disso, foi Tânia quem liderou projetos Web na Alcoa desde 1998. No ano passado, em 2004, trabalhava na equipe global da empresa, tocando projetos de gestão do conhecimento. Foi gerente do portal global na matriz da companhia, em Pittsburgh (EUA), e chegou a implementá-lo a toda a Europa, gerenciando uma equipe de 15 técnicos (incluindo colaboradores offshore situados na Índia) para um universo de 8 mil usuários. Sua estadia definitiva nos Estados Unidos estava praticamente certa quando veio o convite para voltar ao Brasil e assumir a área de TI para a América Latina. “Foi uma fase ironicamente muito difícil para mim. Tive de decidir entre duas super propostas profissionais. Mas hoje sei que tomei a melhor decisão”, diz.

Continua  | 3 |
Volta       | 1 |

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail