Home > Tendências

IBM lança novo modelo de mainframe

System z10 chega ao mercado com foco na renovação dos parques de servidores de data centers

Fábio Barros

26/02/2008 às 11h04

Foto:

A IBM anuncia hoje (26/02) o lançamento de um novo modelo de mainframe: o System z10. De acordo com Fábio Pessoa, diretor de hardware da IBM Brasil, o novo mainframe deve atrair clientes preocupados com a consolidação de servidores e redução de custos, além de atender ao conceito de TI Verde.

“Estamos em um momento em que as empresas começam a renovar seus data centers e, com a quantidade de máquinas existentes hoje, o custo de gerenciamento é maior que o de aquisição e os gastos com energia – tanto do equipamento quanto de resfriamento do ambiente – também estão crescendo”, diz, lembrando que em cinco anos os gastos com energia também serão maiores que os de aquisição de hardware.

Outro número levado em conta pela IBM, do Gartner, diz que também em cinco anos 70% das mil maiores empresas do mundo terão que renovar seus data centers. Para Pessoa, este processo será baseado em três fatores: consolidação de servidores, compartilhamento de serviços e locação dinâmica de recursos.

De olho nesta oportunidade, o System z10 traz uma série de alterações em relação ao z9 (lançado em 2005) que, segundo os executivos da IBM, devem quebrar alguns preconceitos existentes em relação aos mainframes. “O z10 trabalha com arquitetura SOA, tem processadores especializados em Linux, DB2 e Java e tem memória de 1,5 TB e um chip de 4,4 GHz, o que lhe dá 50% mais capacidade de processamento que o z9”, ressalta Artur Machado, executivo de servidores empresariais da IBM Brasil.

Com estas características, Machado acredita que o z10 chega ao mercado com status de servidor de aplicações e possibilidade de ameaçar parques de servidores baseados em plataforma Intel. “Um z10 com 64 processadores tem a mesma capacidade de processamento de 1,5 mil servidores Intel x86, só que com 85% de redução nos custos de energia e gerenciamento”, provoca, lembrando que hoje existem mais de quatro mil aplicativos disponíveis para mainframe, sendo 1,2 mil deles em Linux.

Os executivos não comentaram o valor do novo mainframe, mas deixaram claro que a decisão de compra por parte do cliente não deve passar apenas pelo valor da aquisição, mas pelo custo de itens como gerenciamento, manutenção e energia.

Juntamente com o novo mainframe, a IBM anunciou que vai investir 300 milhões de dólares em arquitetura, funcionalidades técnicas e centros de desenvolvimento e benchmark, tudo com o objetivo de ajudar seus clientes a mudar seus data centers. Dentro do programa, clientes pré-qualificados receberão assessoria gratuita para priorizar e implementar estruturas de TI mais eficientes, compartilhadas e dinâmicas.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail