Home > Notícias

Home office em quarentena faz colaboradores trabalharem em média duas horas a mais por dia

Conforme cresce o número de trabalhadores remotos com a crise do COVID-19, aumenta o uso de VPNs, porém infraestrutura remota ainda é um desafio

carla

26/03/2020 às 10h00

Foto:

O trabalho remoto tem obrigado pessoas em todo o mundo a se adaptarem ao novo formato de trabalho após o surto da COVID-19, doença causada pelo novo coronavírus. A mudança tem feito com que aumente o uso de VPN corporativo e, até mesmo, a carga horária de trabalho do colaborador atuante em casa.

Segundo as equipes da NordVPN, as pessoas estão trabalhando pelos menos duas horas a mais por dia. Os americanos ultrapassam essa média e chegam a trabalhar três horas a mais. Enquanto isso, o uso de desktop subiu 91% na última semana. O uso de VPNs empresariais cresceu mais de 200% no Canadá, Áustria e Holanda, crescendo mais de 200%, afirmou a NordVPN.

"Curiosamente, os italianos apresentaram um crescimento modesto de 10%, que coincidiu com um aumento amplamente divulgado no uso de redes domésticas, muitas das quais podem não ter a proteção necessária para o trabalho remoto", disse a empresa. Contrastando com a Itália, a NordVPN Teams destaca um aumento de vendas de 400% no Reino Unido. A Áustria teve o maior crescimento do uso de VPN - 161%.

Jornada de trabalho e estrutura home office

Os americanos tiveram o maior salto do mundo em relação às horas de trabalho a partir da quarentena, de acordo NordVPN. Eles aumentaram, em média, quase 40% da sua jornada de diária. O relatório revelou que os funcionários estão começando a trabalhar mais cedo, possivelmente pelo tempo que ganham sem a necessidade de deslocamento para o escritório. O Reino Unido, França, Canadá e Espanha apresentam, em média, um acréscimo de duas horas na jornada diária, informou a empresa.

CIO2503

E-book por:

Paralelamente, o Gartner identificou que 91% dos líderes de RH na Ásia/Pacífico se ajustaram ao trabalho remoto depois do surto. Segundo Saikat Chatterjee, Diretor Sênior de Consultoria do Gartner, o maior desafio no momento é a falta de infraestrutura de tecnologia e a adaptação às novas formas de trabalhar. Cinquenta e quatro por cento dos líderes de RH indicaram que o maior desafio para um trabalho remoto eficaz é a baixa tecnologia e/ou infraestrutura para o trabalho.

A empresa de consultoria sugere que funcionários sejam orientados a como aproveitar mais efetivamente as plataformas de e-mail, mensagens instantâneas e mídias sociais internas. Para Aaron McEwan, Vice-Presidente do Gartner, o coronavírus trará uma lição importante para o desenvolvimento de infraestrutura de tecnologia que suporte formas alternativas de trabalho.

Para a empresa, este é o momento para aprimorar o trabalho remoto, já que a demanda para este tipo de trabalho deve aumentar em 30% até 2030.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail