Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Salvar Escolher Pasta
SAP reforça estratégia para formar cidadãos desenvolvedores
Home > Gestão

SAP reforça estratégia para formar cidadãos desenvolvedores

A escassez de desenvolvedores está tornando o suporte para personalização no-code e low-code essencial para fornecedores de software corporativo

Peter Sayer, da CIO

18/11/2021 às 11h01

Foto:

Pelo segundo ano consecutivo, a SAP está usando sua conferência global de desenvolvedores TechEd para mostrar seu apoio aos desenvolvedores na empresa.

A SAP está promovendo sua abordagem de low-code/no-code como uma forma de ajudar os CIOs a lidar com a contínua escassez de habilidades, removendo um gargalo no processo de desenvolvimento: a falta de desenvolvedores.

O problema para muitas empresas, diz Juergen Mueller, CTO da SAP, “é apenas a massa de requisitos que chega aos departamentos de TI”. Quando se trata de atualizar o código ou modificar relatórios de ferramentas analíticas, “pequenos ajustes não seriam difíceis de fazer, mas como os departamentos de TI estão tão ocupados, muitas vezes por vários anos, as coisas não são feitas, e então [o departamento de] negócios fica frustrado", diz ele.

Ao permitir que funcionários de outros departamentos desenvolvam seus próprios projetos, a SAP deseja liberar os desenvolvedores do departamento de TI para se concentrarem nas coisas mais difíceis.

Compromisso da SAP com low-code

Para esse fim, na TechEd deste ano, a SAP anunciou uma "experiência de desenvolvimento unificado de low-code/no-code" na Business Technology Platform, termo abrangente para sua coleção de analytics, gerenciamento de dados, IA e ferramentas de integração construídas com interfaces harmonizadas e uma base de dados comum.

A parte no-code dessa experiência unificada é o AppGyver Composer, desenvolvido por uma pequena empresa finlandesa que a SAP adquiriu em fevereiro de 2021. Antes da aquisição, o AppGyver já havia chamado a atenção da DHL e da Fingrid, a operadora de rede elétrica finlandesa, que o usa para automatizar e agilizar os processos de negócios.

A SAP agora integrou o AppGyver com alguns de seus aplicativos, embora, diz Mueller, "em princípio, você pode conectá-lo a qualquer sistema", seja por meio das interfaces REST APIs e Odata (Open Data Protocol) na SAP Business Technology Platform, ou através de conectores específicos.

A empresa já oferece alguns desses conectores, mas os departamentos de TI também podem criar os seus próprios. Mesmo a criação de conectores poderia eventualmente ser democratizada, diz Mueller: “Estamos explorando como podemos realmente desenvolver AppGyver com AppGyver”.

Para Craig Le Clair, Vice-Presidente e Analista Principal da Forrester, “AppGyver pode ser 'no-code', mas os parâmetros de configuração exigem o aprendizado de novos termos e rótulos, e a lógica de desenvolvimento, e apenas um pequeno conjunto de desenvolvedores de negócios resolverá isso”.

O AppGyver vai tirar um pouco da pressão de TI abrindo o desenvolvimento para outra equipe, diz ele. Porém, ele avisa que isso pode vir ao custo de "pressão adicional de governança no movimento do desenvolvedor de negócios para criar aquele 'teto de vidro de complexidade e risco' em que os desenvolvedores profissionais precisam assumir".

O elemento de low-code da plataforma é fornecido por um produto existente, SAP Business Application Studio, que foi reformulado para torná-lo mais simples de usar. “Nós o evoluímos para um conjunto de ferramentas low-code para facilitar o acesso e eliminar alguns dos obstáculos, para ter uma introdução mais fácil a esse mundo”, diz Mueller.

Há também uma nova ferramenta "pró-código" para ajudar os desenvolvedores com experiência na linguagem de programação legada da SAP, ABAP, a escrever extensões para seu sistema ERP moderno baseado em nuvem, S/4HANA, enquanto mantém o núcleo do aplicativo limpo para simplificar as atualizações de software. O ambiente SAP S/4HANA Cloud ABAP é baseado em uma ferramenta de desenvolvimento ABAP existente para a plataforma de tecnologia de negócios apelidada de Steampunk. “Isso fecha a última lacuna de extensão na nuvem S/4HANA para facilitar a transição do local para a nuvem”, diz Mueller.

Daniel Newman, Analista Principal da Futurum Research, diz que a mudança para o no-code e o compromisso com o desenvolvimento na plataforma de tecnologia de negócios são sinais de que a SAP entende que precisa se tornar mais fácil para se fazer negócios.

“A SAP reconhece a necessidade de desempenhar um papel mais central no crescimento do desenvolvedor cidadão e fornecer um conjunto mais robusto de ferramentas para que os clientes desenvolvam aplicativos que podem se beneficiar dos dados que residem no SAP e além”, diz Newman.

IA: Confie, mas verifique

A SAP também tem como objetivo simplificar outra tarefa de programação: a criação de bots de IA de conversação. Entre as próximas melhorias apresentadas no TechEd 2021 estão a capacidade de mover bots entre locatários - por exemplo, da comunidade para a produção quando estiver pronto para entrar em operação - e inicializar bots com memória e em um idioma específico.

A inteligência artificial está desempenhando um papel cada vez maior em muitos aplicativos corporativos, não apenas em bots.

A abordagem da SAP na gestão do fluxo de trabalho é colocar a IA em uma função consultiva, apoiando a equipe em vez de substituí-la. Ele está apresentando um novo serviço de recomendação que aprende com dados históricos ou fluxos de trabalho concluídos. A configuração e o treinamento não requerem codificação e podem ser aplicados a muitos processos diferentes.

Por exemplo, diz Mueller, a IA pode ser usada para ajudar em um processo de aprovação de férias para descobrir se várias ausências simultâneas em um departamento financeiro resultarão na delegação de uma pessoa para fazer, aprovar e pagar um pedido de compra e recomendar se um pedido de férias pode ser aprovado com segurança.

“Damos ideias ao tomador de decisões e uma recomendação se isso deve acontecer ou não. Não é uma recomendação de fazer ou não fazer. É como uma porcentagem, o quão confiante o sistema está de que o aprovador deve aprovar ou negar, e ela também dá alguns motivos”, diz ele.

A implementação da IA em toda a empresa ainda está em seus estágios iniciais, diz Newman, da Futurum. “As empresas estão navegando na utilização da automação e aumento para melhorar a tomada de decisões e agilizar os processos de negócios. A SAP mostrou uma forte abordagem empática, que acredito que será altamente adotada à medida que buscamos maximizar o desempenho dos negócios por meio de parcerias entre humanos e máquinas para alcançar os melhores resultados possíveis”.

Tags
Snippets HTML5 default Intervenções CW
Vai um cookie?

A CIO usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Fechar anúncio

15