Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Salvar Escolher Pasta
Gastos mundiais com TI devem sofrer queda de 7,3% em 2020, estima Gartner
Home > Notícias

Gastos mundiais com TI devem sofrer queda de 7,3% em 2020, estima Gartner

Todos os setores enfrentarão um declínio este ano; o segmento de dispositivos, no entanto, será o mais prejudicado

Da Redação

14/07/2020 às 8h30

Foto: Shutterstock

Embora se espere que o setor de TI tenha uma recuperação melhor que a economia global e testemunhe uma recuperação rápida, os gastos mundiais em TI devem totalizar US$ 3,5 trilhões em 2020, o que representa um declínio de 7,3% em relação a 2019. Todos os segmentos enfrentarão um declínio este ano, de acordo com a última previsão do Gartner.

"Ainda se espera que os gastos gerais com TI diminuam acentuadamente em 2020, mas se recuperem de maneira mais rápida e suave que a economia", disse John-David Lovelock, Vice-presidente de Pesquisa do Gartner. “Ainda assim, as empresas não podem retornar aos processos anteriores que agora estão desatualizados devido à interrupção do fluxo de receita principal durante a pandemia”, complementou.

O segmento mais atingido será o de dispositivos, pois a contenção de custos continuará reduzindo significativamente os gastos até 2020. Trabalhar em casa causou um aumento temporário na compra de dispositivos, à medida que as empresas implementavam planos de continuidade de negócios para a Covid- 19, no entanto, não se espera que os gastos com dispositivos retornem aos níveis de 2019 tão cedo. A consultoria prevê que os gastos com dispositivos caiam 16,1% em 2020.

O Gartner vê a resposta à pandemia em três fases e, quando as empresas entrarem na segunda fase - recuperação - elas terão um estoque de projetos de TI e menos dinheiro para usá-los. Como resultado, os CIOs gravitarão em gastos com produtos de assinatura e serviços em nuvem para reduzir os custos iniciais. A infraestrutura como serviço (IaaS) deve crescer para US$ 50,4 bilhões (13,4%), em 2020, e para US $ 64,3 bilhões (27,6%), em 2021.

CIO2503

E-book por:

“Dos cinemas aos bancos, a Covid-19 está forçando todas as organizações a serem criativas e se manterem à tona sem oferecer exclusivamente experiências físicas. Especificamente, os CIOs com menos dinheiro disponível devem planejar se tornar mais digitais do que o previsto originalmente no início de 2020”, disse Lovelock.

As exigências de colaboração no local de trabalho estimularão gastos sustentados do usuário final em conferências baseadas em nuvem, projetadas para 46,7% em 2020, de acordo com a última previsão.

“Com o alívio das restrições de bloqueio, muitas empresas voltarão em breve a um nível mais alto de segurança de receita, permitindo que algumas restrições de fluxo de caixa sejam flexíveis e os CIOs voltem a gastar novamente em TI”, disse Lovelock. "Essa pausa e reinicialização impulsionará o crescimento de 2020 para 2021. A recuperação ‘rápida’ dos gastos de TI de primeira linha oculta uma recuperação muito turbulenta em alguns países, indústrias e mercados”, analisou.

Vai um cookie?

A CIO usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Para mais detalhes veja nossa Política de Privacidade.

Este anúncio desaparecerá em:

Fechar anúncio

15