Home > Carreira

Conselhos que fizeram CIOs

O que CIOs de empresas como FedEx, Cisco Systems e Citizen Group ouviram no início da carreira

CIO, EUA

08/02/2008 às 12h10

advice_int.jpg
Foto:

Como CIO, você compartilhou conselhos com as pessoas que mentora. Mas nesse estagio de sua carreira, você provavelmente se sente suficientemente confiante como conselheiro que você raramente procura aconselhamento de outros. Mas a despeito do título que carregamos, estamos todos em um patamar da carreira e podemos nos beneficiar da perspectiva daqueles que passaram por trajetos semelhantes.

Para acabar com isso, questionei diversos CIOs de sucesso por um conselho de careira que receberam e que os serviu. Essas experiências podem ajudá-lo a reconsiderar seu papel – ou fornecer novo material para quando você estiver coachig os outros.

Esteja desonfortável. Eu era um jovem gerente de TI e tinha um emprego que amava. Todos eram meus amigos e o trabalho realmente me agradava. Estava em um plano de desenvolvimento de gerencia e fui convidado para fazer uma entrevista de emprego para um emprego em desenvolvimento em larga escala em uma divisão diferente da holding. Esse seria um movimento lateral para mim, mas fazendo um trabalho completamente diferente em um projeto grande que estava com problemas. Quando me fizeram a oferta, eu recusei. Bem, meu VP me chamou no 37° andar e me disse o quanto estava desapontado. Ele me disse que havia trabalhado duro para alavancar minha carreira, que havia sido um medroso por me manter na zona de conforto e não expandir minhas habilidades. Ele colocou o pé no meio das minhas costas e me chutou para fora da sala. Acontece que, ele havia interceptado minha rejeição, então tive a chance de reverter minha decisão e aceitar a vaga. Aprendi habilidades completamente diferentes e fui promovido em menos de 18 meses. Aquele emprego realmente alavancou minha carreira, e as oportunidades que abriu são o motivo pelo qual estou sentado aqui hoje.
Robert Carter, CIO, FedEx

Carpe Diem. Um colega me disse uma vez que a chave para o sucesso é não se preocupar muito com planos de carreira de longo prazo e simplesmente reconhecer e aproveitar boas oportunidades. Não é sobre escolher um caminho. É sobre ser corajoso o suficiente para correr atrás de oportunidades que não necessariamente se encaixam no plano de carreira que você estabeleceu para si. Com trinta anos, eu era diretor da gerência de operações de risco na Bankers Trust. A organização de TI estava implementando um sistema de US$ 50 milhões de contabilidade, O líder do projeto adoeceu e teve que sair. Então, depois de uma imensa batalha para obter fundos para o projeto, não havíamos ninguém para liderá-lo. Sem experiência real em tecnologia, fui até o vice-presidente do banco e disse, “Eu posso fazer isso.” Ele foi cético, mas eu disse a ele que poderia descobrir como e ele me deu o projeto. Acabei deixando minha carreira na gerência para exercer o papel de líder de TI em confiança bancária, seguros e então para meu primeiro cargo de CIO na Nabisco.
Doreen Wright, CIO, Campbell’s Soup

Admita erros. No começo de minha carreira, um mentor me disse que é muito melhor para a carreira no longo-prazo admitir a responsabilidade de insucesso que minimizá-lo ou adiar a contabilidade. No final dos anos 1980, eu estava disputando um projeto enorme na companhia e determinei em um estágio muito avançado que ele não daria certo. Ao invés de tentar salvá-lo, tomei minha decisão de jogar a toalha e dizer ao meu chefe, o CIO, que o projeto era um fracasso. Quando meu chefe decidiu me promover mais tarde, a integridade que havia demonstrado naquele projeto pesou muito em sua decisão.
Peter Solvik, ex-CIO da Cisco Systems e atual diretor da Sigma Partners

Esteja inseguro. Durante os anos 1990, um colega me seu uma ótima dica: Vá atrás dos projetos que todos os outros temem. Agora, isso pode ser suicídio se entender errado, mas é uma boa forma de ser notado. Isso influenciou minha decisão de liderar o Y2K da minha companhia e foi como eu passei da área de negócio para a de tecnologia. O projeto Y2K estava atrás da curva e todos se afastavam dele. Eu estendi minha mão a ele, ganhei muito reconhecimento na companhia e mereci o carho de CIO.
Bill Wray, CIO, Citizen Financial Group

Vá atrás de seus desejos. O melhor conselho me foi dado por um par quando estava na GE e tinha a ver com iniciar no cargo de CIO em uma empresa diferente. Sempre que se começa um novo cargo, você ouve muito, recebe muitas dicas e aprende o quanto pode sobre a atual situação. Mas após receber todos os dados e opiniões, é preciso seguir seus próprios instintos. Quando me tornei CIO na Medtronic, fui o primeiro CIO da história. Como resultado, recebi muita informação sobre qual deveria ser minha prioridade das pessoas que me contrataram. Eu arquivei todas as informações, mas eu sabia que a primeira área para ater a atenção era o time e a organização porque não estava organizado como deveria. Se eu tivesse ido atrás da prioridade dos outros, poderia não te sido tão bem sucedido.
Jeff Balagna, CIO, Carlson

O que interessa ao seu chefe deveria fascinar você. Meu mentor, Edith Kelly-Green, era VP de Sourcing da FedEx, quando ela disse isso para mim a muitos anos atrás. Quando a Edith chegou ao FedEx, ela aprendeu que os melhores acordos acontecem nos cursos de golfe. Sendo uma mulher afro-americana, esse era um território novo para ela. NAtes de se arriscar a ser jogada para escanteio, ele tomou aulas de golfe. Quando me mudei para Dallas, eu tinha pouco conhecimento de hockey, e o Stars tinham acabado de ganhar o campeonato. Eu sabia que se quisesse estabelecer relacionamentos na companhia, Teria que seguir os conselhos de Edith e entender o suficiente do esporte local para que pudesse participar dos diálogos.
Jeff Campbell, CIO, BNSF Railway

Se suje. No começo de minha carreira, eu era gerente de suporte de engenharia para a AIS, uma divisão da Raytheon. A divisão estava com problemas em colocar os aviões para fora da porta e o departamento de TI não tinha o repito do negócio. Os sistemas não estavam funcionando e precisavam de atualizações, pessoas não acreditavam no próprio trabalho. Meu chefe me disse, “Eu vou resolver esse problema. Você vai me ajudar?” eu não estava certo que eu estava apto ao desafio, mas o aceitei. Ele me promoveu a diretor e nos 19 meses seguintes, nós reestruturamos a organização, aumentamos os salários da equipe, fizemos grandes modificações nos sistemas e reviramos a organização.
Doug Debrecht, CIO, Chemtura

Ame ou deixe. Anos atrás, um autor chamado Beth Milwid estava trabalhando em um livro de conselhos de carreira para mulheres, e tive a oportunidade de ir a entrevistas com ela. Seu consleho para mim era de que passamos muito tempo no trabalho para não amar o que fazemos e se você não ama, siga em frente. Levei isso ao pé da letra e apliquei na minha carreira. Em dado momento, fui para uma nova companhia como líder de tecnologia de infra-estrutura global para melhorar meu currículo e me preparar para ser CIO. Mas quando cheguei lá, terceirizei grande parte da infra-estrutura. Sentiq eu havia aprendido o que havia para se aprender e não via crescimento na minha carreira onde estava. Então, quando uma boa oportunidade em outra companhia apareceu, aceitei.
Jody Davids, CIO, Cardinal Health

Martha Heller é diretora da IT Leadrshio Practice da ZRG, uma firma de recrutamento em Boston. Fale com ela em mheller@zrgroup.com

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail