Home > Tendências

Falta de mão-de-obra preocupa usuários SAP

Estratégia da companhia para o SMB e aquisição da BO também foram assunto durante reunião da ASUG

Thais Aline Cerioni

19/03/2008 às 22h57

worry_int.jpg
Foto:

A escassez de profissionais capacitados consiste em um dos principais desafios para os usuários SAP atualmente. Durante reunião da ASUG (Associação de Usuários SAP) realizada nesta quarta-feira (19/3) no SAP Forum 2008, o tema esquentou os ânimos dos CIOs presentes, que cobraram ações da gigante alemã para minimizar o problema. "Esse gargalo em relação aos recursos disponíveis é algo que sinto desde 1998", comentou um dos executivos.

José Duarte, diretor-regional da SAP para América Latina, fez questão de destacar que a questão está no radar da companhia e já vem sendo endereçada, tanto com estratégias locais quanto globais. "Estamos tratando desse assunto há pelo menos um ano e meio. Queremos inundar o mercado com recursos especializados", garantiu o Duarte. "Há um ano, tínhamos 10 mil, hoje são 15 mil e a expectativa é chegar ao fim do ano com 20 mil profissionais capacitados no mercado. Poderíamos ter mais, mas precisamos ter cuidado para não perder qualidade."

Questionado sobre a concentração dos cursos de capacitação na capital paulista, Duarte citou a certificação de centros de ensino externos para a realização das certificações. "Já incluímos 25 centros que não são da SAP e pretendemos duplicar esse número ao longo dos próximos meses", afirmou. Além disso, revelou os planos da companhia de investir em um sistema de e-learning, não como substituto, mas como mais uma opção para os profissionais interessados. "Ao longo do ano devemos apresentar essa alternativa. No inicio apenas em inglês, mas logo traduzido para o português", revelou.

 
Ecossistemas
A estratégia da SAP para as pequenas e médias empresas também foi foco das discussões durante a reunião. Uma das questões levantadas pelos usuários presentes foi a – falta de – integração com parceiros, clientes e fornecedores de menor porte, usando tecnologia SAP. Duarte vê o assunto como uma oportunidade para companhia, já que, em suas palavras, “o mercado evoluiu para uma rede colaborativa dinâmica impossível de se manter sem tecnologia.” Já Alberto Ferreira, presidente da SAP no Brasil, aproveitou para fazer um mea culpa. “Somos bons em idéias, mas a execução não está tão bem."

Para acalmar os CIOs preocupados com mudanças provenientes do foco em pequenas e médias, Ferreira declarou que a meta de aumentar a participação no SMB não deverá impactar negativamente os serviços prestados às grandes corporações. “Muitas tecnologias, inclusive, estão sendo criadas para as pequenas e médias mas, em breve, poderão estar disponíveis também para as grandes”, apontou o executivo, citando como exemplo a solução de software como serviço Business ByDesign, ainda não disponível no Brasil.

SAP + BO
Preocupados com a proteção dos investimentos já realizados e com futuras expansões de seus projetos de business intelligence, os CIOs aproveitaram a oportunidade para buscar respostas sobre o futuro das aplicações de BI com a aquisição da Business Objects. Mesmo sem revelar os detalhes do road map de integração das aplicações, Duarte garantiu que apenas poucos aplicativos serão descontinuados e que a companhia terá uma política de migração, com possibilidade de pay back em alguns casos. “De acordo com as nossas análises, pouquíssimos clientes na América Latina serão afetados pelos produtos descontinuados”, garantiu o diretor.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail